MPC aponta repasses irregulares da Prefeitura à Opus

Valores são refentes à administração do Auditório Araújo Vianna

Valores são refentes à administração do Auditório Araújo Vianna  Crédito: PMPA Divulgação / CP

Valores são refentes à administração do Auditório Araújo Vianna
Crédito: PMPA Divulgação / CP

Por Samantha Klein

Após a realização de uma auditoria pelo Ministério Público de Contas (MPC), a Prefeitura confirmou que foram realizados pagamentos de serviço de limpeza e segurança no auditório Araújo Vianna. A Prefeitura informou que, entre 3 de outubro de 2012 e 25 de junho de 2013 – quando ocorreram sete shows patrocinados pelo poder público –, aproximadamente R$ 53 mil foram pagos a fornecedores da Opus Produtora. Conforme o contrato estabelecido, a administração do auditório é de responsabilidade da empresa.

Segundo um cálculo do MPC, o custo estimado para manter o pagamento pelo total de 91 dias disponibilizados para a utilização do espaço pela Secretaria da Cultura era de mais de R$ 900 mil por ano. Há duas semanas, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) determinou a suspensão dos pagamentos pelos serviços terceirizados. A Prefeitura informou que acatou a decisão até que seja realizada uma inspeção pelo próprio TCE. Procurada pela reportagem da Rádio Guaíba, a Opus não se pronunciou.

Neste ano, a realização de shows no Araújo Vianna caiu pela metade em relação. De janeiro a agosto deste ano, foram 22 datas utilizadas pela produtora. No mesmo período do ano passado, foram 39. Durante todo o ano de 2013, foram realizadas 65 apresentações. Em 2014, estão previstas 32, o que corresponde a uma queda de 50%.

Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

5 respostas

  1. A Opus, entao, por “ressarcimento”, podia arrumar (reformar) todo o entorno do Araujo!

    Curtir

  2. E isso que a prefeitura está no vermelho, imagina se estivesse sobrando dinheiro.

    Curtir

  3. Mas puta que pariu! Não tem UMA obra ou atividade SEM irregularidade??

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: