Após seis atropelamentos fatais em setembro, Semana do Trânsito tem ações voltadas a pedestres

Débora Fogliatto

No início de setembro, dois pedestres foram atropelados por ônibus em Porto Alegre | Foto: Ramiro Furquim/Sul21

No início de setembro, dois pedestres foram atropelados por ônibus em Porto Alegre | Foto: Ramiro Furquim/Sul21

A partir desta quinta-feira (18), os governos municipal e estadual promovem ações de conscientização relacionadas à Semana Nacional do Trânsito. O Ministério das Cidades realiza ações voltadas para o pedestre, assim como a Prefeitura de Porto Alegre, que lança a campanha “Cidade para as Pessoas: Proteção e Prioridade ao Pedestre”. Já o governo do Rio Grande do Sul lança a Viagem Segura, voltada tanto para a Semana quanto para o feriado Farroupilha.

De acordo com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), os dados de janeiro até agosto deste ano, em relação ao mesmo período de 2013, apresentam uma redução de 17,88% no total de acidentes; menos 6,17% em feridos, em Porto Alegre. Houve ainda uma redução das mortes por atropelamentos em 2,78% e uma diminuição de 46,15% em atropelamentos por ônibus e lotações. No entanto, houve um aumento de 3,49% em vítimas fatais no total de acidentes.

Nos primeiros dias do mês de setembro, chama atenção o dado de seis atropelamentos fatais na capital. No dia 7, uma pedestre morreu atropelada por um ônibus enquanto atravessava a faixa de segurança no corredor da João Pessoa. Quatro dias depois, um homem também foi atropelado fatalmente por um coletivo, no viaduto da Conceição. O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, demonstrou preocupação com os acontecimentos. “Agora setembro está muito estranho a quantidade de pedestre que tem sofrido óbito por atropelamento, está acima da média”, afirmou.

Ações voltadas ao pedestre

A ciclista Patrícia Figueiredo morreu atropelada na Avenida Erico Verissimo, onde manifestantes prestaram condolências e protestaram | Foto: Ramiro Furquim/Sul21

A ciclista Patrícia Figueiredo morreu atropelada na Avenida Erico Verissimo, onde manifestantes prestaram condolências e protestaram | Foto: Ramiro Furquim/Sul21

Cappellari destaca, no entanto, que a Prefeitura já realiza ações de conscientização com os motoristas de coletivos. “Nos ônibus temos trabalho já desde 2012 e nos primeiros 8 meses tivemos redução de 41,5% dos atropelamentos por ônibus. Esse trabalho que está sendo todo refeito que é o treinamento dos motoristas em relação à operação dos corredores”, explicou.

De acordo com a EPTC, 85% das mortes no trânsito são ou de pedestre ou motociclistas, com alternância entre os dois grupos, dependendo da época. Cappellari pondera, no entanto, que a maior dificuldade é fazer ações para conscientizar os próprios pedestres, pois não há como fiscalizar suas ações de forma tão completa. “No caso do pedestre, não temos muita gerência sobre o comportamento. Única maneira é através da engenharia de trânsito e da conscientização. Não tem operacionalidade de como fazer isso, abordagem e conscientização são a única forma”, descreve.

Para ler a matéria completa no SUL 21, clique aqui.



Categorias:acidentes de trânsito, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

9 respostas

  1. Por isso que eu não gosto dos corredores de ônibus.
    É um trambolho de varias toneladas andando num pequeno espaço onde diversas pessoas precisam passar, muitas dessas pessoas estavam num dos ônibus.
    É perfeito pra matar gente.
    O ônibus pode andar a 20km/h, que se alguém atravessar correndo, não vai conseguir parar, não existe milagre, e o estrago vai ser grande, já vi um idoso ser atropelado assim, perdi uma ex colega na bento dessa mesma maneira, e é o que acontece em muitos atropelamentos.
    Não tem milagre pra isso, é muito fácil uma pessoa perder a atenção, ainda mais quando envolve pouco espaço e tempo.

    Por isso que acho que a faixas exclusiva de ônibus deveriam ser no lado direito das ruas e avenidas.

    Curtir

  2. Bom, eu canso de ver pedestre atravessando no sinal vermelho na esquina da Caldas Júnior com a Andradas, e motorista esperando (se fosse motorista passando no vermelho, iam reclamar horrores). Punição teria que ter para ambos.

    Curtir

  3. Não tem conscientização para pedestre nem para motorista. O cara ganha uma multa e vai descobrir meses depois e só vai doer no bolso no próximo ano. Isso não é conscientização em nenhum lugar do mundo.

    Curtir

    • Sem falar que pedestre NUNCA é multado, e tem muito pedestre imprudente, que não respeita semáforo. Caberia uma conscientização por esse lado, também.

      Curtir

      • Tem que ter conscientização mesmo, porque punição pro pedestre desatento já existe: ele morre, ou se tiver sorte vai parar no HPS com vida. Os motoristas estão no seu direito de não prestar atenção enquanto dirigem, quem tem que prestar é o pedestre mesmo.

        Curtir

      • Eu entendo mas me preocuparia se começassem a multar. Uma por que ia chover multa em lugares que não tem faixa de segurança (ou que tem uma a mais de 50m).

        Outra por que discordo da ideologia atual da EPTC: motoristas não podem esperar 30s senão furam o sinal vermelho mas pedestres podem esperar 3minutos para ganhar 8s para cruzar a faixa.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: