Nova composição da Trensurb começa a operar

Trens possuem quatro vagões equipados com ar condicionado

Novos trens possuem quatro vagões com ar-condicionado  Crédito: André Ávila

Novos trens possuem quatro vagões com ar-condicionado
Crédito: André Ávila

Por Ananda Müller

A primeiras das 15 novas composições adquiridas pela Trensurb para realizar o transporte de passageiros por meio do sistema de trens metropolitano, entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, começou a operar na manhã desta segunda-feira. Cada um dos carros possui quatro vagões equipados com ar condicionado.

A previsão da Trensurb é de que uma nova composição seja colocada sobre os trilhos a cada 15 dias. A meta é de que os novos 15 trens estejam em operação até março de 2015.

Quando todo o sistema estiver em operação plena, as composições poderão ser acopladas em horários de pico, dobrando a capacidade para duas mil pessoas por viagem. O próximo passo é buscar recursos para reformar os trens utilizados desde os anos 1980.

Os trens ainda permitem a passagem de usuários entre os vagões e podem acomodar até cinco bicicletas nos horários de menor movimento. Sete novos veículos já foram recebidos em Porto Alegre. Cada um dos 15 trens está orçado em R$ 14,7 milhões.

novo-trem2

novo-trem3

Correio do Povo



Categorias:Trensurb

Tags:,

14 respostas

  1. Os meus sinceros elogios a trensurb pela iniciativa de modernização da frota de trens equipados com ar condicionado e muito mais moderno e silencioso. Aos poucos todas as demais composições serão renovadas. Iniciativa que deve ser aprovada e reconhecida por seus usuários. nota 10.

    Curtir

  2. Meus elogios ao Trensurb, o processo de compra/mecânica/liberação foi um dos mais rápidos que já presenciei.

    Curtir

  3. Enquanto isso o transporte coletivo de PoA continua com a licitação enrolada, BRT parado e previsão de ar condicionado só daqui a 10 anos.

    Curtir

  4. Havia um projeto para modernizar os trens antigos com ar condicionado, que foi cancelado posteriormente. Espero que as composições velhas sejam substituídas no máximo em 10 anos.

    Curtir

    • Provavelmente desistiram da instalação do ar condicionado, pois para isso é necessário cortar o teto, e para cortar o teto é necessário reforçar a estrutura do trem. Se reforçarem a estrutura, provavelmente vai ser necessário trocar os revestimentos internos, inclusive com melhor isolamento térmico e acústico para manter a temperatura dentro do trem. E com tudo isso, ainda seria necessário ver se os motores aguentariam levar o trem e ainda dar força pro ar condicionado, e com certeza consumiriam mais energia.

      Provavelmente a opção pela reforma completa (instalação de ac, reforço estrutural, substituição do revestimento interno, isolamentos acústico e térmico e motores) se deu para mais tarde, para que fosse feita depois que os trens novos estivessem funcionando, para que o serviço não fosse comprometido.

      E antes que o pessoal com síndrome de cachorro diga que só no RS reformam vagões antigos, saibam que sistemas famoso como Kiev, Budapeste, Praga, Berlim e Paris rodam com composições que vem desde a década de 50 reformadas ou apenas com a devida manutenção em dia. Só é necessário que o trabalho seja bem feito, para que não aconteça o mesmo que está acontecendo com a frota K do metrô de sp.

      Curtir

      • E acho que não tem trens sobrando, a linha tá rodando em capacidade máxima, se tirassem os trens pra reforma, faltariam pra circular, já que são os mesmos desde que a linha iniciou a operação.

        Curtir

    • Pessoal, não “desistiram” da modernização dos vagões atuais. Perderam o prazo, e consequentemente a verba para isso. Sobre substituir, não creio que aconteça tão cedo. Fui em Buenos Aires em 2010 e ainda usavam, numa das linhas do metrô de lá, vagões com interior de madeira. Foram aposentados em 2012. Lá eles implantaram corredor de ônibus na avenida principal em 7 meses. Corredor de fato, com piso novo, estações e tudo mais. Se comparar com a velocidade que as coisas andam aqui, ficaremos com esses vagões por muito tempo ainda.

      Curtir

  5. Sem duvida os trens novos serão um bem para todos usuarios, por muitos anos fiz o trajeto -estação sao leu mercado – todos dias e era penoso o calor no verão, o ar pesado na chuva (com janelas fechadas) e o frio conflitante entrando nas janelas no inverno X O forte calor humano dentro do trem, abre a janela ganha torcicolo, deixa fechada pega virose.
    Alem de tudo o ar condicionado com janelas fechadas será um alivio para os ouvidos principalmente.
    Amém!, sejam bem vindos os novos vagões.

    Curtir

  6. Alem do ar condicionado, que se foi dimensionado de forma adequada, vai ser fundamental pra qualificação do serviço, especialmente durante o verão, o fato de poderem acoplar duas composições vai ser fundamental pra atender a crescente demanda pelo serviço, especialmente com as ampliações que a linha recebeu nos últimos anos, e que pretende receber nos próximos.

    Só não entendi, por que já não fizeram composições com mais do que 4 vagões, poderiam ter feito todas já com 5 ou 6, ou até mesmo 8, e deixado as velhas pros horários de baixo movimento.

    Curtir

    • Tenho um conhecido na area técnica da trensurb, a anos atrás a discussão era se seriam de 8 ou 6 vagoes. Por fim seria de 6 mas chegaram a conclusão que o numero ideal seria 4 para poderr com 4 ou 8 vagos emendando duas composiçoes ou nao.

      Nao discordo deste tamanho de 4 vagoes pois todas estaçoes tem o tamanho para apenas 8 destes vagoes, ou seja quando em 10 anos por exempo o sistema estivesse sobrecarregado os trens de 6 vagos estariam superados e nao poderiam ser emendados para ficar com 12 pois nao caberiam na estação.

      Curtir

      • Interessante essa informação, eu desconhecia ela, interessante saber que as estações apesar da idade, só usam 50% da sua capacidade.

        Então minhas duvidas ficam em, pq já não fazer composições com 8 vagões, sendo que no horário de pico já é necessário.
        e
        Não seria possível essas composições serem desmontadas e reorganizadas conforme a necessidade e demanda, variando em numero de vagões?

        Curtir

      • Não é necessário desmontar e reorganizar as composições. Apenas acoplando-se duas já dá uma composição de oito vagões, sem grandes trabalhos provavelmente decidiram por trens de 4 vagões, pois assim podem rodar nessa configuração nos horários de baixa demanda e rodam acoplado (8 vagões) nos horários do pico.

        Curtir

      • Concordo, dessa forma é realmente mais pratico.
        Mas eu não falei em necessidade, e sim possibilidade, caso optassem por composições de tamanho intermediario, entre 4 e 8 vagões, pq tem horários que 4 é pouco, e 8 vai sobrar.

        Curtir

      • Felipe Silva, pra completar: A trensurb nao usa 8 vagoes nos horarios de pico por que nao tem trens o suficiente para isso. Atualmente tem um trem a cada 4 minutos no horario de pico usando os 25 trens da frota, se fossem emendados o tempo de viagem dobraria. Mas a promessa é usar 8 vagoes em horarios de pico a partir da chegada dos novos trens (AEEEEEEEE VIVA!)

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: