Hidrovias: estado do RS na direção oposta

Agência só para hidrovias

Navio no Guaíba. Foto: Gilberto Simon

Navio no Guaíba. Foto: Gilberto Simon

A Associação Brasileira de Terminais Portuários vai sugerir aos candidatos ao Piratini a criação de uma Agência de Desenvolvimento específica para tornar os 1.200 quilômetros dos rios gaúchos decisivo fator de redução de custos de transporte. A proposta se baseia em exemplos de sucesso no exterior, sobretudo no Mississipi (EUA) em que uma entidade pública, não estatal, tornou aquela bacia hidrográfica a mais importante via de movimentação de cargas do país, explica o presidente da entidade, Wilen Manteli. Cálculos preliminares indicam que pelo menos R$ 1 bilhão é perdido por ano, no Estado, pela logística inadequada de transporte, apenas no escoamento das exportações, através do porto de Rio Grande. Link

Estado na direção oposta

O Rio Grande do Sul está indo hoje na direção oposta. Ele já teve 1,2 mil quilômetros navegáveis e sobraram 700 km, mas aproveitáveis comercialmente só 500, diante da limitação de calado e outros fatores. A agência integraria todos os 66 municípios gaúchos com margem de rio e potencial para implantação de hidrovias.

Affonso Ritter



Categorias:hidrovias

Tags:, , ,

3 respostas

  1. Um Estado com infraestrutura deficiente tem que procurar alternativas. Não entendo a dificuldade desses nossos governantes em não enxergar o óbvio. Que estradas, ferrovias, hidrovias e aeroportos traz desenvolvimento, crescimento e VOTOS.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: