Recebimento de propostas da orla é cancelado (atualizado)

orla-edital

 

Metro, 15/10/2014

EXPLICAÇÃO PUBLICADA NO SITE DA PREFEITURA:

Edital para revitalização da orla do Guaíba será republicado

15/10/2014 12:13:33

A equipe técnica responsável pela elaboração do edital para a primeira etapa do projeto de revitalização da orla do Guaíba identificou que os anexos ofertados às empresas interessadas não contemplaram todas as pranchas técnicas necessárias à elaboração dos orçamentos. Para propiciar que as concorrentes desenvolvam propostas precisas quanto aos detalhes técnicos do projeto elaborado pelo urbanista Jaime Lerner, o edital será publicado novamente nos próximos dias com o conteúdo completo das plantas, abrindo novo prazo para apresentação das propostas.
Com custo estimado em R$ 57,4 milhões, o projeto contempla os 1.320 metros entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias, na avenida Edvaldo Pereira Paiva. Essa é a primeira etapa, pois a intenção nos próximos anos é revitalizar toda a orla, até o extremo da zona Sul. O projeto foi analisado por diferentes secretarias municipais e possui todas as licenças necessárias.


Categorias:Projeto de Revitalização da Orla

Tags:,

39 respostas

  1. Off-topic urgente: Não pude resistir: o Jornalista Ayres Cerutti acaba de comentar no Facebook, que já está em estudo um sistema de transporte hidroviário pelo Arroio Dilúvio !!! Seriam construídas pequenas comportas para elevar um pouco o nível dele para que barcos pudessem navegar ao longo dos seus 10 km aproximadamente. Os barcos teriam capacidade para 60 passageiros. O que vcs acham, daria certo ? E sai o projeto ? Não seria melhor e com maior capacidade um aeromóvel sobre o Dilúvio ?

    Curtir

    • Só se distribuíssem máscaras com filtro de carvão ativado (anti-miasma) aos passageiros, juntamente com doses de vacina antitetânica. Fico imaginando os respingos de água “potável” dentro do barco. Nem o Bear Grylls iria encarar uma uma viagem dessas.

      Curtir

    • Achei a capacidade dos barcos ridiculamente pequena. Tambem nao curto a ideia do aeromovel. Por mim, com esses numeros, ficariam os onibus, e futuramente, segregaria uma faixa exclusiva.

      Curtir

    • Me parece inviável em razão das pontes, que não permitiriam um barco passar por baixo delas, ainda mais elevando o nível do arroio…

      Curtir

      • Também acho inviável. Não sei de onde saiu essa ideia na verdade, mas não vai adiante. Significaria que se chovesse muito, seria interrompido o sistema?

        Curtir

    • A ideia é interessante. Na prática é bem difícil de acontecer, pois envolveria uma série de investimentos e forçaria a limpeza do mesmo.

      Eu apoio a ideia, mas sem muita esperança, para falar a verdade.

      Curtir

    • Acabei colocando o vídeo em outro tópico… foi mal

      O máximo que consigo imaginar é algo mais ou menos como em San Antonio – Texas

      Curtir

      • Fui esse ano a San Antonio, conheci o Riverwalk, andei nos barquinhos e posso dizer o seguinte: não se compara ao Dilúvio.

        Claro, não estou dizendo que o Pablo fez essa comparação, mas o que quero dizer é que esses barcos são para passeios, não para transporte. O rio também fica bem mais abaixo do nível da rua do que o Dilúvio. Também não tem a complicação das pontes (como falei acima) e da chuva, porque lá há um sistemas de comportas que não deixa o nível subir – invadindo a calçada, bares e restaurantes da volta…

        Na minha opinião, Porto Alegre se daria melhor com um projeprojeto tal qual aquela cidade chinesa, cujo nome esqueci! Hehehe

        Curtir

      • Eu também fui a San Antonio e confirmo o que você colocou, esses barcos são apenas para passeio.

        Quanto a profundidade do rio, o que aconteceu foi que houve uma grande inundação em San Antonio que acabou com boa parte da cidade, na época. Para resolver o problema eles ao mesmo tempo escavaram o leito do rio e aterraram as margens, por isso que abaixo do nível da rua há prédios bem antigos e acima do nível da rua basicamente prédios modernos.

        No caso do dilúvio, não teria como aterrar as margens, mas poderia aprofundar bastante ele, deixando-o mais estreito e mais profundo. Com arborização as margens poderiam ser usadas para pedestres e ciclovia.

        Como você conhece San Antonio, pode confirmar que apesar do calor tórrido do Texas, ao longo do rio é agradável e não há o ruído da cidade ou do trânsito. O que mais se escuta mesmo são os mariachis tocando.

        Curtir

      • Sobre o rio a que se referes

        http://inhabitat.com/seoul-recovers-a-lost-stream-transforms-it-into-an-urban-park/

        Parece que coisas legais estão acontecendo no mundo

        Curtir

      • Verdade, peguei temperatura de 35° em San Antonio, mas no Riverwalk a temperatura era bem agradável. Que diferença faz ter um local arborizado, sem asfalto, carros e com um rio…
        Era esse rio rio de Seul que me referi quando falei “cidade chinesa”. heehhe. Porto Alegre está a léguas de fazer isso, mas poderíamos nos mobilizar – bem como as cidades cujos rios alimentam o Dilúvio – para despoluir o arroio. É triste para quem vê de cima a sua foz, onde sua água preta contrasta com o marrom do Guaíba!
        Achei interessante esse documentário sobre os rios. Há anos que nossos gestores vêm canalizando e escondendo nossos cursos d’água, seria uma boa devolvê-los à população (não degradados, claro).

        Curtir

    • Seria ótimo e muito barato….torco que de certo…

      Curtir

  2. A prefeitura nao vai se desculpar publicamente pelo ocorrido? O responsavel pelo erro infantil nao deveria ser exonerado do cargo?
    …Ooooops, esqueci que nao estamos na Escandinavia, mas na provincia mais meridional da Bananaland.

    Curtir

  3. Só eu percebi o erro de concordância na manchete do Metro?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: