Novas composições do Trensurb passam a atender nos horários de pico

Companhia já recebeu nove dos 15 trens, com três deles já operando

Companhia já recebeu nove dos 15 trens, com três deles já operando | Foto: Divulgação / Trensurb / CP

Companhia já recebeu nove dos 15 trens, com três deles já operando | Foto: Divulgação / Trensurb / CP

A partir desta terça-feira, dois dos três trens em fase de testes com passageiros já vão circular das 5h às 20h, atendendo também ao horário de pico da tarde. Uma terceira nova composição vai permanecer sempre no pátio da empresa, à disposição da equipe técnica da Trensurb para que possa passar por ajustes – de forma que haja um revezamento entre elas na operação.

As 15 composições de quatro carros cada uma, fornecidas pelo consórcio FrotaPoa, terão gasto energético cerca de 30% inferior às usadas atualmente. Elas dispõem de sistema de ar condicionado automatizado, sistema de comunicação multimídia, iluminação interna com LED, sistemas de autodiagnóstico e monitoramento de falhas, além de possibilidade de acoplamento – tornando possível a operação de dois trens acoplados nos horários de pico, totalizando oito carros e dobrando a capacidade de transporte de cada viagem. Nove dos novos veículos já foram recebidos pela Trensurb e a expectativa é de que todos estejam circulando até o fim do verão.

Correio do Povo



Categorias:Trensurb

Tags:, ,

15 respostas

  1. um alivio par aos usuarios, pena que hoje ja deu crepe em um desses novos

    Curtir

  2. A composição atual comporta no máximo 5 vagões certo? Pelo que lembro, o trem ficava uma carroça com 5 vagões. Se essa nova suporta 8, acho que teríamos um ótimo ganho em vazão. Claro, teria que ver a capacidade de cada vagão.

    E ar-condicionado não é luxo não. Pelo que eu lembre, no verão era comum ver alguém desmaiado dentro do trem.

    Curtir

    • pelo que eu entendi a trensurb pretende acoplar os trens inteiros, sendo assim ficariam 4 vagões motores (2 por trem) e 4 vagões reboque, então na prática funcionaria como um único trem de 4 vagões

      Curtir

  3. Pena que a prefeitura inútil perdeu o prazo pra colocar ar-condicionado nas composições atuais. Imaginem quanto tempo mais elas ainda circularão como estão hoje? Mais composições, e todas com ar-condicionado com certeza faria as pessoas começarem a usar mais o Trensurb.

    Curtir

    • Correção, não foi a prefeitura. Foi a própria Trensurb que perdeu o prazo.

      Curtir

    • Nem tudo é culpa do Fortuna, calma. Fora Dilma!

      Curtir

    • Não é essa barbada instalar ar-condicionado em um trem. Primeiro, seria necessário cortar o teto do trem. Só isso já requer reforço estrutural, que precisa ser soldado à caixa do trem, necessitando trocar o revestimento interno para acomodar os novos tubos da estrutura e com isolamento térmico para que a temperatura dentro do trem se mantenha. Fora que os motores precisa, ser trocados, para que possam levar o trem e ainda manter funcionando o ar-condicionado. Com novos motores, todo o sistema elétrico precisa ser revisto e revisado.

      Por isso, creio eu, a Trensurb esperou primeiro chegar os novos trens para depois começar uma reforma mais completa nos antigos. Assim, os novos podem ir dando conta da demanda enquanto os antigos estão na oficina passando pelas mudanças.

      Curtir

  4. O que è mais interessante é que apesar do ar condicionado e mais eletronica embarcada, as composições gastarão 30% menos energia. Imagine um carro que fazia 12 km por litro passar a fazer 16.

    Curtir

    • Realmente, é muito bom (e até esperado) que os novos trens gastem menos energia que os antigos, mesmo contando com mais recursos.
      Mas ainda assim a conta de luz da Trensurb não vai baixar, pois ela não vai trocar um carro pelado que fazia 12 km/l por um mais equipado que faça 16km/l. Ela vai manter 25 carros de “12 km/l” e adicionar mais 15 carros de “16km/l” à frota. Kkkkkkkk. Quem sabe depois da reforma das atuais composições o consumo energético dos trens realmente diminua, afinal, os trens da série 100 ainda desperdiçam energia com motores de corrente continua (suponho eu), lâmpadas fluorescentes, e outros componentes elétricos e eletrônicos defasados.

      Curtir

      • Uma vez que vai transportar mais pessoas, pelo aumento da capacidade, e como haverão mais composições no total. O “consumo médio de combustível” por passageiro transportado vai cair.

        Fora isso, trocar composições custa dinheiro, e dinheiro não dá em árvore. Melhor usar essas composições enquanto der, cuidando da manutenção e conservação.

        Esse pensamento de trocar tudo é típico de PoA. Compra ônibus de baixíssima qualidade, não faz manutenção e bota fora a cada 5 anos, gerando lixo e gastando dinheiro, impactando diretamente na passagem.

        Curtir

      • Não tinha pensado nessa hipótese, de o custo da energia diluir com o aumento da quantidade de passageiros, mas na prática não sei o quanto ira mudar, pois a passagem é subsidiada e não sei se esse preço é pela quantidade de passageiros ou se é um preço fixo.

        Quanto à reforma, a própria Trensurb já disse que está esperando o ultimo trem da frota nova entrar em circulação para que possa começar as reformas do antigos. Isso é completamente comum no mundo inteiro. Kiev, Moscou, Praga, Paris, Budapeste, todas essas cidades contam com trens reformados em suas frotas de metrô, sendo que muitos são mais antigos que os da série 100.

        Provavelmente a reforma será feita pela CAF, que já é responsável pela manutenção preventiva e pesada da série 100, e foi a mesma empresa que fabricou a parte mecânica da série 200.

        Curtir

  5. O assunto não é esse. Mais ver no link que segue o projeto da cidade de São Luís – MA, que transformou uma área ameaçada de erosão em um novo cartão postal da cidade com a construção de um centro de eventos e lazer. Ou seja qualquer cidade sabe fazer algo legal da sua orla (Não quer São Luís seja uma cidade qualquer), mas Porto Alegre oooh lugarzinho atrasado!

    http://kamaleao.com/saoluis/4535/espigao-costeiro-ponta-dareia

    Curtir

    • Você pensou naquela cratera que é aquela pedreira abandonada? Seria uma boa, porque aquilo é muio feio!

      Curtir

    • Realmente POA poderia estar bem melhor… mas ainda prefiro POA (com sua orla feia) a São Luis (que tem este projeto aí, mas em compensação é muito mais feia, violenta e pobre). Talvez a política das 2 cidades estejam trocadas. POA precisa de mais atitudes como a de São Luis (turística) e São Luis precisa gastar menos com isso e mais com qualidade de vida da população em si. Não estou falando que POA é a Estocolmo do Brasil, mas existe uma diferença ENORME entre as 2 cidades em questão, isso é inegável.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: