Obra da trincheira da avenida Ceará terá nova licitação

imagem99798A prefeitura realizará nova licitação para execução da trincheira na avenida Ceará. O consórcio Farrapos, que venceu a concorrência para realizar a obra, não aceitou os novos preços decorrentes da alteração da metodologia construtiva. Os valores já estavam ajustados entre a prefeitura, a Caixa Econômica Federal e Tribunal de Contas (TCE). A obra apresenta 20% de execução, e o cronograma prevê 18 meses para implantação. Em novembro, o novo edital será publicado, com previsão de ordem de início para janeiro de 2015.

Conforme o responsável pelas obras de mobilidade urbana de Porto Alegre, engenheiro Rogério Baú, inicialmente o projeto básico apresentava solução da estabilização das paredes de contenção por meio de tirantes. Porém, em testes realizados, não se obteve estabilização estrutural, devido ao nível do lençol freático alto no solo da região. Baú explica que a solução alternativa, detalhada em projeto executivo, prevê a execução de paredes-diafragma estabilizadas com estroncas como solução de contenção. A adoção dessa metodologia executiva exige o uso de equipamento de escavação (clamshell) de grande porte (aproximadamente 22m de altura).

Em função da localização da obra ser próxima à cabeceira da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho, a Infraero e o V Comar (Comando Aéreo Regional da Aeronáutica) impuseram restrição de horário de funcionamento do equipamento de escavação. Por questões de segurança da operação dos voos, somente o turno da noite foi liberado para o funcionamento da máquina. “Além dos novos serviços de engenharia, o aditamento contratual também contemplava o preço da mão-de-obra em horário noturno, muito mais caro”, esclarece Rogério Baú.

A obra:

Com extensão de 315 metros e largura de nove metros, o trecho será rebaixado em aproximadamente 5,5 metros. O fluxo da avenida Ceará, sentido bairro-centro, passará por baixo da avenida Farrapos.  A obra é conhecida como Trincheira da avenida Ceará e integra uma das cinco intervenções ao longo da Terceira Perimetral.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

22 respostas

  1. Não entendi como fica o atual cruzamento de quem vai da Edu Chaves pra 116. Hoje tem uma sinaleira ali… na imagem ilustrativa do projeto tem uma faixa de segurança, parecendo ser um ponto de PARE. Quer dizer que quem vem direto da perimetral não vai conseguir acessar livremente a 116/Aeroporto? Absurdo daí né.

    Curtir

  2. Nao ter desviado o transito, cercado td e iniciado as obras que está a um ano as moscas já seria uma grande ajuda

    Curtir

  3. Na realidade (a mais perversa delas), a atual administração está usando Porto Alegre como um laboratório do Dr. Frankenstein. Estão travando as obras de mobilidade em nome da eleição do Tião. Está na cara que estão acumulando tudo pra cortar fita lá no segundo semestre de 2016. Esse é o tipo de gentinha que está no Paço Municipal. Quando tem PDT (hoje com mais 13 outros partidos f******* a cidade) no meio da parada, é bucha. Lembro do Collares. Que partidozinho mais rasteiro.

    Curtir

  4. Realmente é um show de incompetência, quem dera q fosse só essa obra parada mas São tantas… além disso os desvios sempre meia boca toda hora aqueles bastoes iluminados caem na via de rolamento quase gerando acidentes.. terra e britas espalhados por vários metros um verdadeiro chiqueiro.. obras aqui São extremamente baguncadas e sujas (sei q alguém vai dizer “obras São assim mesmo”… observei obras nas estradas alemãs e tem q ver o capricho e a qualidade… sei q fui um pouco malvado com a comparação visto que Alemanha é um dos melhores paises do mundo, mas eles tem q ser nossa inspiração, sempre em busca do melhor… esse negócio de se vangloriar de ser menos ruim q outros lugares é uma involucao… sujo contra o mal lavado não da), nosso prefeito e seus correligionários não andam pela cidade, se fosse eu prefeito circularia sempre pela cidade para ver essas calamidade e daria uma mijada nos responsáveis. Mas eles sempre arrumam uma desculpa e nunca uma solução.

    Curtir

  5. Está ficando cada vez mais evidente a premeditação do Executivo em estender o cronograma de várias obras até o final do mandato. Lá, na hora da onça beber água, é que eles vão inaugurar obras, e as que ainda não estiverem prontas, inauguram meia-boca, como o viaduto Mazembe e o viaduto da rodoviária. Sebastião Melo vem aí!

    Curtir

  6. Começa em Janeiro de 2015 e tem 18 meses para implantação. Será que tem alguma relação com as eleições municipais?

    Curtir

  7. É o que dá colocar os tapumes antes de fazer os estudos necessários só pra dizer que tá fazendo obra. E os amigos empreiteiros fazem a festa na nossa Porto Alegre. Abra$$o!

    Curtir

  8. Tá difícil hein.

    Curtir

  9. Anos de estudo. Depois mais tempo para projeto. Mais alguns anos até a obra ser licitada. E ainda conseguem achar erros de projeto quando a obra já está em andamento? Tá complicado viver em Porto Alegre hein.

    Curtir

    • Porque não jogam os riscos do projeto para a empresa executante?

      Curtir

      • Por que daí empresa nenhuma toparia né. Ou simplesmente os preços iriam ser muito mais altos pra compensar o risco.

        Bah, vocês acham que é culpa da empresa? Acham que se faz uma obra do início ao fim sem que nenhum imprevisto aconteça?

        O problema é o engessamento enorme com processos demoradissimos do poder público, numa tentativa obviamente obviamente inútil de evitar corrupção. Em vez disso, deveríamos adotar estratégias inovadoras que permitissem que mudassem os planos rapidamente quando necessário.

        Curtir

      • Interessante é que todos imprevistos aumentam o preço. Nunca acontece um imprevisto de baratear algum material ou conseguir um bom preço no aluguel de maquinário. Isso é falta de planejamento de custos, prazo ou ao menos colocar um coeficiente de k-gaço. Todas as empresas decentes fazem isso. Em algumas obras perdem dinheiro, em outras ganham, de modo que na média dispõem de um lucro razoável.

        Curtir

      • Não acho que seja só burocracia não, tem um problema de falta de planejamento e de execução de projetos básicos. A obra não devia nem começar sem uma análise mais detalhada do solo.

        Curtir

      • Não tem o rabo de ninguém na reta… faz o projeto certo ou errado… tanto faz… se obra atrasa e fica tudo parado o problema é de ninguém…

        mas até entendo… é tanta autorização e licença que já nem se sabe mais quem cagou.. é licença do COMAR, é licença da FEPAM, do DAER, do papa, do Didi mocó…

        qd tudo q se precisa é cavar a droga d’um buraco…

        Curtir

      • Algum de vocês já reformou uma casa? Dá certo do início ao fim por mais que se planeje? Alguém já vou um imprevisto baratear uma reforma?

        Essas construções que mexem com subsolo ou trabalham com grandes estruturas são assim no mundo todo. O motivo pelo qual as obras andam rápido na China por exemplo é que lá não tem licitação, pois o país é uma ditadura que não presta contas. Isso funciona lá enquanto o superavit da balança comercial for gigantesco (atualmente a China tem 2 trilhões de dólares de reservas).

        Curtir

      • Adriano, concordo em relação a ser quase impossível algum imprevisto ser positivo. Não sei sobre esse caso da trincheira, mas o “pedrão” da Anita poderia ser identificado com uma análise geológica sem nenhum problema, até por ultrassom.

        Sairia mais caro, mas e o custo do bloqueio dos corredores de ônibus, desvios, etc??

        A China não é bom critério de comparação. Honestamente não sei se essas obras custumam demorar tanto em outras democracias não.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: