Prefeitura entra com ação contra pichadores do Paço Municipal

Pedido do município é de indenização de R$ 9,5 mil e R$ 10 mil por danos morais

Prefeitura identificou pichadores por meio do videomonitoramento | Foto: Reprodução / PMPA / Divulgação / CP

Prefeitura identificou pichadores por meio do videomonitoramento | Foto: Reprodução / PMPA / Divulgação / CP

A procuradoria do município de Porto Alegre entrou na última segunda-feira com uma ação contra os pichadores que em outubro fizeram inscrições no Paço Municipal, sede do governo da Capital. Após denúncias anônimas, foi constatado através do sistema de videomonitoramento da prefeitura que dois homens haviam pichado a fachada do prédio.

“Depois das manifestações (contra a Copa) ocorreram pichações nas paredes e nos mármores, que são as peças mais precisas, pois dependendo do solvente entranham e modificam a estrutura. A recuperação, que nem sempre se consegue, é muito difícil e cara. A prefeitura gastou neste último período R$ 9,5 mil e isso recém foi feito. Ou seja, as peças hoje danificadas há pouco foram limpas e, a cada vez que se limpa, temos que remover uma parte da camada. Ou seja, se retira uma parte do monumento”, afirmou Luiz Custódio, coordenador do Memorial Cultural da Secretaria Municipal da Cultura.

A ação, que está ajuizada na 4ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, pede indenização de R$ 9,5 mil para a restauração e R$ 10 mil por danos morais. Em julho deste ano, as bases dos leões, que são de mármore italiano de Carrara, partes pichadas, haviam passado por limpeza e proteção, um trabalho realizado por um escritório de arquitetura que custou R$ 9,5 mil.

O procurador municipal da Procuradoria de Patrimônio e Domínio Público (PPDP), Mauro de Almeida Canabarro, atua na ação. O prédio sede da Prefeitura de Porto Alegre, construído em 1901, foi o primeiro tombado como patrimônio histórico e cultural pelo município.

Prefeitura.



Categorias:Pichação, vandalismo

15 respostas

  1. Eu morava na cidade baixa, na Luis Afonso, e é, horrível sair pra trabalhar e ver que a cada dia uma nova parede foi pichada, e nada é feito impedir esses marginais. Imagina que em 2009 começaram a pichar carros, imagina se essa moda pegasse… Mas enfim se pegar pesado vem o carinha dos direitos humanos encher o saco e defender esses maconheiros vagabundos que picham tudo. Solução pra isso: Fazer doer no bolso deles o estrago feito e responsabilizá-los pela reforma com custo de mão de obra e material, e se forem pegos de novo a multa deve ser triplicada…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: