Metrô de Porto Alegre é prioridade da União, diz ministro

José Fortunati afirma que tem palavra do governador eleito que recursos do Piratini serão honrado

Cíntia Marchi

Metrô de Porto Alegre é prioridade da União, diz ministro | Foto: Luciano Lanes / PMPA / CP

Metrô de Porto Alegre é prioridade da União, diz ministro | Foto: Luciano Lanes / PMPA / CP

Os recursos para a implementação do metrô em Porto Alegre pautaram o encontro entre o prefeito José Fortunati e o ministro das Cidades, Gilberto Occhi, em Brasília, nesta quinta-feira. O prefeito ouviu do ministro que a obra na Capital é tratada com prioridade pelo governo federal. No momento, uma comissão formada na prefeitura analisa as Propostas de Manifestação de Interesses (PMIs), que subsidiarão o Edital de Licitação do metrô previsto para ser lançado em março de 2015. As PMIs foram entregues por cinco empresas. Uma delas – Queiroz Galvão – atualmente é alvo de investigação na Operação Lava Jato.

Apesar de ainda estar em fase de investigação a participação da Queiroz Galvão em esquemas de corrupção na Petrobras, a presença dela na futura execução do projeto do metrô poderá ser barrada se for declarada inidônea, na forma da lei, de acordo com a Controladoria-Geral da União (CGU). Entretanto, o coordenador do projeto MetrôPoa, o engenheiro Luiz Cláudio Ribeiro, diz que o metrô não sofrerá qualquer tipo de prejuízo em função disso. “Quando o edital de licitação for lançado, qualquer empresa poderá participar da licitação, independente se entregou PMIs ou não”, explica.

Na conversa com o ministro, Fortunati informou que o governador eleito do RS, José Ivo Sartori, já garantiu que o governo do Estado irá honrar a sua parte no arranjo financeiro para a construção do metrô – aporte de R$ 1,080 bilhão em financiamento. Occhi reconheceu que Porto Alegre tem sido ágil no cumprimento das etapas necessárias ao bom andamento da obra. Fortunati também teria agenda com a presidente Dilma Rousseff, que foi cancelada em função da morte do ex-ministro Márcio Thomaz Bastos. Mas o prefeito aproveitou o voo da presidente de Brasília a São Paulo, onde acontecia o enterro, para conversar sobre o assunto.

Na próxima terça-feira, o secretário municipal de Gestão, Urbano Schmitt, irá a Brasília para uma reunião com o corpo técnico do ministério. O projeto técnico do metrô, que embasará o edital de licitação, deve ser apresentado até o final do ano. Para viabilizar a construção, o governo federal destinará R$ 1,770 bilhão; a prefeitura R$ 1,385 bilhão e o parceiro privado participará com R$ 1,303 bilhão.

Correio do Povo



Categorias:Metro Linha 2

Tags:,

9 respostas

  1. Sobrou alguma empreiteira para fazer a obra?

    Curtir

  2. Porto Alegre precisa desta obra, muito mais do que outras cidades que também ganharão este tipo de infra-estrutura como Curitiba por exemplo. Até Salvador já tem metrô, porque não POA ainda mais quando é gritante a necessidade deste novo modal, que é utilíssimo, retira carros da rua (menor poluição atmosférica) e permite uma mobilidade eficiente entre pontos-chave da metrópole facilitando a vida de milhares de pessoas. Porto Alegre, merece e principalmente precisa. Espero que mentes pequenas e ideias curtas tão comuns neste portinho atual não atrapalhem e que esta cidade tome seu rumo natural de ser uma das mais relevantes capitais do país, uma Porto Alegre moderna, arrojada e em sintonia com o que existe de melhor no mundo. Espera-se portanto que evolua em ciclovias, no sistema público de transporte coletivo por ônibus, transporte aquaviário e uma rede ampla de metrô, ou seja, que siga criando novas linhas além desta primeira.

    Curtir

  3. No dia que o Prefeito e seus asseclas conseguirem limpar a cidade (sim, varrer, tirar o lixo, arrumar as calças) eu acredito em metrô, senão é proselitismo profissional do magrão.

    Curtir

  4. Um questionamento que vem martelando há horas minha mente… por mais que metrô seja ótimo e etc e tal, será que realmente tem demanda pra uma cidade com a população estagnada como POA?

    Mesmo atendendo RM… porque o valor gasto pra um trecho tão curto vai passar da casa do bilhão (e do preço original, lógico) e poderiam ser realmente feitos os brt’s de verdade, tanto dentro como fazendo as ligações com as cidades vizinhas e até linhas de aeromóvel.

    Enfim, não sei… alguém tem dados sobre?!

    Curtir

    • Não, talvez não tenha demanda hoje. Talvez São Paulo não precisasse de um metrô em 1978. Agora é inegável que o metrô PERMITE que a cidade faça novos planos, isso é inegável. Esse é o problema do Brasil: nós pensamos em resolver o problema somente depois de estarmos estrangulados. O trânsito é um problema sério, a cada ano no Brasil mais de 2 milhões de novos carros entram nas ruas, a estrutura que já não era perfeita em 1990, no ano 2000 começou a incomodar e hoje já é absurdamente irritante, mas as pessoas ainda acham que a solução é construir viadutos, quando na realidade a solução passa por um repensar no modo de se mover. E o metrô exerce um papel importante nesse cenário. O problema do metrô em Porto Alegre é que o plano do metrô fala Mandarim e o plano diretor da cidade fala Klingon, esse sim é o problema.

      Curtir

    • Jà me perguntei o mesmo e honestamente acho que considerando o valor exorbitante era melhor gastar essa grana fazendo VLT, aeromóvel, monotrilho… Mas eu não epseraria algo assim arrojado aqui em POA.

      Curtir

    • Um BRT não consegue chegar perto da facilidade e agilidade de um metrô.

      Sem contar que com tanta gente indo para o centro, daria certo sim, existem cidades menores pelo mundo com metrô, que funcionam bem.

      Curtir

    • Se Boston, Estados Unidos, tem ótimo metro com população de 500 mil pessoas, Porto Alegre com 1,5 milhão + RM deve ter demanda. Ainda mais se Beira-Rio e Arena se consolidarem como alternativas casas de grandes shows. Fora a própria FIERGS que fica perto do caminho do metro.
      Se isso não te convence, pensa em quantas linhas de ônibus percorrem o trecho do metrô. Agora quantos ônibus por linha. E agora quantos desses ônibus ainda ficam lotados ou levam tempo para chegar as paradas origem e destino.
      Tem demanda sim. O que eu acho é que o fato de que será construído o metro não justifica mais de 20 linhas passarem na Assis Brasil, muito pelo contrário, sustenta de que isso é muito mal feito.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: