Região Metropolitana de Porto Alegre cai no ranking de Índice de Desenvolvimento Humano

Área que engloba 34 cidades passou para nona colocação

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

O Instittuto de Pequisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançaram nesta terça-feira o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras. A pesquisa determina a qualidade de vida em municípios, unindo indicadores como longevidade, renda e educação. Conforme o Ipea, houve uma diferença no ritmo de evolução do Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM), causando um troca nas primeiras posições do ranking. Em comparação entre 2000 e 2010, a Região Metropolitana (RM) de Porto Alegre deixou de figurar entre as cinco com maior IDHM, ficando na nona colocação.

A RM de Porto Alegre, que conta com 34 cidades, possuía em 2000 um IDH igual a 0,685. De acordo com o Ipea, quanto mais perto de 1 estiver o índice, melhor é a qualidade de vida da região pesquisada. Já em 2010, a RM de Porto Alegre atingiu 0,762, ingressando na faixa de Alto Desenvolvimento Humano.

O IDHM Educação, em 2000, era 0,524 passando para 0,649 em 2010. O IDHM Longevidade era de 0,809 em 2000 e dez anos depois passou a ser de 0,855. Já o IDHM Renda era de 0,758 e passou a ser 0,797. Conforme os números divulgados, entre 2000 e 2010, a dimensão que mais evoluiu, em termos absolutos, foi a dimensão Educação, que registrou um aumento de 0,125.

De acordo com o gráfico desenvolvido pelo Ipea, a parcela de contribuição da Educação para o Desenvolvimento Humano na RM de Porto Alegre aumentou 5%. Em 2000, o índice era de 25% e em 2010 chegou a 30%. A Renda, que tinha 36%, passou a contribuir com 33% em 2010. A Longevidade contribuía com 39% e diminuiu para 37%.

Unidades de Desenvolvimento Humano

Conforme o Atlas do Desenvolvimento Humano, no ano de 2000 as Unidades de Desenvolvimento Humano (UDH) com valores mais altos na RM de Porto Alegre estão na região central, enquanto os mais baixos estão nas proximidades dos município-sede. As UDHs com as menores faixas estão nas cidades de Alvorada, Guaíba e Novo Hamburgo.

Já em 2010, as UDHs com os valores mais altos na RM de Porto Alegre migraram para a parte norte. Os números mais baixos estão na região central da RM gaúcha, concentrados nos municípios de Canoas, Novo Hamburgo e Porto Alegre.

Na RM de Porto Alegre, as UDHs com maior IDHM são Bela Vista; Belém Novo: Mário Carvalho; Boa Vista; Chácara das Pedras; Independência; Ipanema; Jardim Isabel; Menino Deus; Moinhos de Vento; Mont’Serrat; Rio Branco; Três Figueiras e Vila Ipiranga: Iguatemi / Germânia, todas como 0,958.

As UDHs com menor IDHM são Arquipélago: Ilha Grande dos Marinheiros; Arquipélago: Ilhas Pavão e dos Marinheiros; Belém Novo: Vila Esperança; Floresta: Loteamento Santa Terezinha e Vila Central; Mário Quintana: Chico Mendes; Mário Quintana: Recanto do Sabiá; Mário Quintana: Vila Jardim Protásio Alves; Praia de Belas: Vila Chocolatão e Vila Aldeia; Restinga: Quinta Unidade; Restinga: Vale do Salso; Restinga Vila Castelo; Rubem Berta: Vila Amazônia e Santa Tereza: Vila Ecológica, todas com 0,593.

Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

42 respostas

  1. Bom, a pesquisa fala de Regiões Metropolitanas… ok… Já temos muitos bairros pobres em POA, nas cidades vizinhas então… nem se fala. Realmente nossa situação não é nada boa, é ruim mesmo. Mas pergunto, conhecem as cidades das regiões metropolitanas de outras capitais? O que são as cidades satélites de Brasília??? Nem vou entrar no mérito, só passando por lá pra ter idéia. Cidades ao redor de SP? Tirando São Caetano do Sul… o resto, é resto mesmo. Cidades em volta do Rio de Janeiro? Um horror. Cidades em volta de Vitória? Mais show de horror. Cidades em volta de Goiânia… por favor. As outras capitais citadas eu não conheço mesmo.
    Olha, ou eu sou muito cego, muito bairrista mas eu discordo da pesquisa.
    Mas voltando a POA (que parece que se tornou o centro das discussões acima)… vamos lá:
    Vitória, quem conhece sabe, é EXTREMAMENTE violenta. POA é segura perto desta capital.
    Não são só palavras minhas, são de pessoas nascidas lá que moram aqui. Não é que POA seja uma maravilha mas francamente… Vitória, Goiânia, Cuiabá, SP, Rio melhores em QUALIDADE DE VIDA? Por favor. São Paulo só fica em primeiro por causa do PIB mas a renda é extremamente mal distribuída, mas isso não é levado em conta, apenas o PIB per capita, ou seja, se 10% da cidade é super rica e o outros 90% são pobres, ainda assim pode ser que esta cidade se saia bem no IDH. Isso é qualidade de vida? Vão dizer que SP (mesmo proporcionalmente) tem menos favelas que POA? O Rio de Janeiro também? Faça-me um favor, é ridículo.
    Acho que cada um acima tem certa razão, POA podia ser bem melhor, temos que compará-la com o que éramos e com o que podemos ser.

    Curtir

  2. Hoje em dia não dá mais nem pra exercer a profissão de taxista. O cara nunca sabe se voltará pra casa são e e salvo. Agências bancárias explodidas a cada dia, tráfico de quadrilhas fechando postos de saúde e cheches todos os dias. Nem vou falar do trânsito, pois esse é um problema inerente às grandes cidades que de uma hora pra outra começaram a ter que comportar uma frota exponencialmente crescente de veículos. Mas o fato é que a cidade piorou a mancheias. Violência, insegurança, lixo, vadiagem e drogadição. Paralelamente, Executivo e Legislativo cada vez mais inoperantes, homiziados nas mega-coligações que só querem fazer políticas rasteiras de formação de currais eleitorais, tais como o Orçamento Participativo e os Conselhos Tutelares. Antigamente as Secretarias eram ocupadas por servidores de carreira. Hoje em dia TODAS elas têm um CC ou um político na chefia. Uma coisa lamentável. Os caras chegam, usam a PMPA como trampolim político e se mandam. Qual o comprometimento com a cidade? ZERO.

    Curtir

  3. Mais um autista por aqui? Pelo visto eles estão se reproduzindo. Há trinta anos não havia a tecnologia disponível hoje, amigo, assim como ferramentas digitais em sistema de rede interligado, a não ser cartões de crédito do sistema bancário. É como querer comparar uma fogueira com um forno de microondas. Sem a coleta seletiva, há 30 anos o lixo nas ruas era uma fração do que temos hoje. As praças eram muito mais limpas, logradouros, monumentos, etc. Há 30 anos a pichação era menor do que 1% do que é hoje. As obras siam do papel dentro do prazo e não tinham que ser refeitas dois dias depois. Os projetos eram aprovados em muito menor tempo, mesmo sem as ferramentas digitais e a chegada era da informática. As subabitações eram uma fração das que temos hoje. Por exemplo, na entrada da cidade não havia favela. O belvedere Ruy Ramos ainda era bem “visitável”, era possível sair à noite sem medo de levar bala na cara. Não havia flanelinhas achacando motoristas em todos os cantos. Não havia meninos de rua e drogados esmolando nas esquinas. Não havia cracolândias espalhadas pelas ruas, nem menores idade prostituindo-se para poder comprar uma pedra de crack…e aí tu vens falar em ônibus com cartão? Francamente! É muita falta de noção. Basta um olhar menos solipsista para chegar às conclusões óbvias.

    Curtir

  4. Vágner (com V); Se a cidade está mal-cheirosa, eu não posso dizer que ela cheira como perfume. Se os serviços públicos estão cada vez piores, eu não posso inventar que estão bons. Eu sou um observador da cidade em que vivo. Minha “acidez” é apenas consequência, jamais causa. O chato é ser ufanista e derrotista quando ambos estão desconexos da realidade. Eu sou apenas um historiador, cujo olhar é neutro. O post não é propositivo, é investigativo. E a conditio sine qua non para a mudança é a capacidade de indignação. Sem ela, tolhe-se e perde-se a vontade de mudar. A isso chama-se “entreguismo”.

    Curtir

    • Que serviço público está pior?

      Há 30 anos não tínhamos UPA’s, tínhamos que pagar ônibus sempre em dinheiro, nem coleta seletiva devia ter.

      Está ruim, não quer dizer que tá pior.

      Curtir

  5. É por isso que Poa ruma célere para a várzea. Gente como Wagner acha que a cidade está melhor. O que dizer disso? Há porto-alegrense que parece viver numa redoma de vidro, isolada da percepção externa. Isso em suma, não deixa de ser um grau de autismo.
    Enquanto formos complacentes e condescendentes com a nossa visão turva e ufanista sobre a cidade, seremos cada vez menos cidade. Não há capacidade de indignação entre muitos de nós. Maldito bairrismo cego.

    Curtir

    • É Vagner, com “V”.

      Capacidade de indignação é diferente de dizer que tudo é uma merda, antigamente era melhor (maldito saudosismo cego), que a tendência é piorar, que todo país é um lixo…

      E sim, quando eu era criança (20 anos atrás, não trinta, como tu deduziu, pois nessa época eu nem era nascido, portanto não tenho como comparar) a cidade era bem pior em vários aspectos, a começar pelo transporte urbano (embora este siga longe do ideal).

      Tão chato quanto o ufanismo é o eterno resmungar de “é tudo uma merda, não tem mais jeito”. Há pontos positivos e negativos na cidade, e não vai ser resmungando que vamos resolver os negativos.

      Curtir

    • De acordo com o próprio índice abordado dessa matéria a cidade melhorou, a questão é que melhorou menos que as demais.

      Curtir

  6. Vitória em quarto lugar? Não levam segurança como dado na pesquisa?

    Curtir

  7. A decadência de uma cidade e estado!!!. A região metropolitana de POA era a quarta melhor no estudo divulgado a 10 anos, hoje desabou é a nona colocada, A cidade de Porto Alegre isoladamente era o quinto melhor IDH em 1991 em todas as cidades brasileiras, em 2010 desabou 23 posições, O IDHM Educação divulgado hoje mostra a educação de POA como a segunda pior do Brasil, bem próximo da medalha de ouro do Atraso Manaus. O povo tao politizado tem uma capital com indicadores sociais bem próximos das de Sao Luis do Maranhão mesmo aqui não tendo um Sarney, enfim o crescimento do PIB da cidade é pífio, crescimento populacional hidem, enfim a unica coisa aqui que cresce sãos os índices de violência e preços que vão da cesta básica ao imobiliário. Só nao esta situação pior porque tem alguns indicadores isoladamente bons como nível de desemprego baixo, e alta renda…Mais se continuar assim…. Enfim eu mesmo formado em ciências sociais nao sei explicar um motivo exato para um cidade regredir a passos tao largos…

    Curtir

  8. Roubando o título de outra notícia, o problema é que embora em PoA haja bairros com níveis Noruegueses, há uma vasta região com níveis iraquianos.

    Curtir

  9. Eu, como cidadão e morador de Porto Alegre, não preciso de rankings nem estatísticas. Para mim é mais do que suficiente perceber que a cidade está uma imundície maior a cada dia que passa. Basta viver…basta circular pela cidade. Violência, mendicância, tráfico, subabitações e infraestrutura depauperada. Tampouco quero saber em que posição está Poa em relação a outras cidades brasileiras. A realidade fala por si. Não sou idiota para ficar me gabando que nossa cidade está melhor do que Teresina ou Macapá. Grande porcaria! Se é bem verdade que o brasil é uma republiqueta de bananas, também é verdade que Porto Alegre é uma das capitais mais favelizadas e empobrecidas entre todas as capitais e grandes centros urbanos. Mas ainda há uma coisa pior do que tudo isso >> Vai piorar. Aonde vai chegar? Sei lá….nem quero imaginar. Vejam como era a cidade há 20 ou 30 anos. Façam uma retrospectiva, tragam fotos da época…as pessoas como eram, os logradouros, as submoradias, moradores de rua, drogadição, o nível cultural daquela época. Apesar de Porto Alegre nunca ter sido sombra de primeiro-mundo, ela era MUITO mais civilizada e segura, esse é o paradigma que me interessa. A comparação de Poa com ela mesma. Hoje em dia Poa não passa de um arremedo de cidade, dominada pelo mau humor estampado nos rostos das pessoas, com um centro da cidade nauseabundo, altamente violenta e suja. A favelização domina praticamente permeia todos os bairros e regiões. Vandalismo recorde entre todas as cidades do Brasil, gangues de assaltantes e desocupados, pedintes, flanelinhas, carroceiros, biscateiros e toda a espécie de rafuagem infestando ruas, praças, soleiras de portas, viadutos e terrenos baldios. É por isso que há uma diáspora entre os moradores que não aguentam mais isso aqui. Poa já parou de crescer do ponto de vista populacional…o próximo passo, vai ser o decréscimo. Falem com as pessoas que estão perto de se aposentarem e notem quantas dizem que pretendem morar em outras cidades. Porto Alegre está literalmente expulsando os seus moradores.

    Curtir

    • Há 20 anos os ônibus da capital eram umas carroças que não faziam uma viagem sem estragar no caminho (não que hoje em dia o transporte seja maravilhoso e perfeito, mas quem lembra dos ônibus nos anos 80 sabe que hoje está bem melhor), tinha muito bairro da cidade onde nem havia água encanada (o DMAE só chegou ao bairro onde eu morava – Lageado – em meados dos anos 90), e tinha muitas ruas principais da cidade que não tinham praticamente nada de urbanização…

      E, trabalhando no Centro há 11 anos (e morando há dois), digo que na minha opinião o bairro está bem melhor do já foi, embora ainda tenha realmente muito no que melhorar.

      Discurso apocalíptico não leva nada. Cada um que faça a sua parte pra preservar a cidade e cobre do poder público a parte que lhe cabe (em especial segurança e combate ao vandalismo). É assim que funciona nos países desenvolvidos, não há fórmula mágica.

      Curtir

      • Não há nada de discurso apocalíptico. É discurso de quem nasceu e mora na cidade há 50 anos, amigo. É a análise nua e crua de Porto Alegre na comparação com ela mesma.

        Curtir

      • Se tu achas que o centro está melhor do que há 30 anos, então tu estás demente. Sem comentários.

        Curtir

      • Só sei que esses dias rolou no face um vídeo do centro no início dos anos 90 (leia-se, 20 anos atrás) e não achei que tinha algo de melhor. Tinha menos gente, mas também tinha ônibus e lotações realmente piores.

        Curtir

  10. O importante é que somos um povo diferenciado, com qualidade de vida e o melhor por do sol do mundo.
    Ops…

    Curtir

  11. A marginalização das ilhas parece ser política pública. acreditam que até hoje o abastecimento de água é feito por caminhão pipa?

    Curtir

    • Inteligência rara, e quanto custa para mandar água pra uma ILHA? Quanto custa por habitante? Tem que canalizar quilômetros pelo LEITO DO RIO pra atender menos pessoas do que a população do meu prédio.

      Aqui nesse Brasil é uma maravilha né? O cara constrói seu casebre onde Judas perdeu as botas depois o governo tem a obrigação de dar infraestrutura pra ele.

      Quem está morando nas ilhas, construiu sua casa com a liberação da prefeitura? Se sim e se a prefeitura prometeu infraestrutura, ela tem que prover o combinado, senão é problema de quem construiu sua casa onde não deveria.

      Planejamento urbano aqui nesse país é enfeite.

      Curtir

      • talvez… se o preço dos imóveis no continente não fosse tão absurdo ou se investissem mais em moradia popular as pessoas não precisassem morar nas ilhas, mas né só uma ideia.

        Curtir

  12. Dados estranhos. Belém Novo está ao mesmo tempo na lista de maiores e menores IDHM. E, convenhamos, é muito difícil listar 8 RMs com qualidade de vida melhor que a de Porto Alegre. Gostaria de saber quais são.

    Curtir

    • Pelo que eu entendi, as UDHs dividem os bairros em núcleos (ou vilas) para realização dos cálculos. No caso de Belém Novo, o núcleo Mário Carvalho possui IDHM alto, enquanto a vila Esperança possui IDHM baixo.

      Curtir

    • Deve ser por causa do Terra Ville

      Curtir

    • Meu querido o Correio do Povo redigiu o texto de maneira incorreta, as UDHs, não bairros são regiões que podem está em qualquer parte da cidade. Falando de bairro em sí o melhor de Porto Alegre são Moinhos de Ventos, Tres Figueira e Bela Vista.

      E se voce tivesse oportunidade para conhecer demais cidades brasileiras saberiam quais sao as cidades que estão a frente de Porto Alegre, mais eu respondo pra ti, são. Sao Paulo, Brasilia, Curitiba, BH, Vitoria, Rio, Goiania e Cuiaba.

      Curtir

    • Tem no ZH os dados mais completos.
      Mas eu duvido muito.

      Lá ainda da uma detalhada, Independencia somente na Andre Puente, por exemplo. Mas continuo discordando, acho muito difícil o IDH do Menino Deus ser igual ao da Bela Vista.

      Aí vi que o Rio está na frente de POA. RM do Rio, risos né.
      Perdeu a credibilidade.

      Curtir

      • A educação em PoA e em toda a região metropolitana é muito ruim. Esse índice puxa tudo para baixo. Estamos junto com Natal ou Belém nesse quesito.

        Curtir

      • O índice relativo à educação engloba também as escolas públicas estaduais? Pois se diz respeito apenas às municipais, nem tem como ser diferente, diante do analfabetismo funcional imposto pelo ensino por ciclos (que, sim, foi criado pelo PT, e não sei por que cargas d’água não foi extinto nas gestões seguintes)…

        Curtir

      • O índice de educação usa a taxa de alfabetização e a taxa de escolarização, independente da escola, partido político, esfera pública que administra ou se é pública ou privada.

        Curtir

      • Mas do IDH isolado dos bairros, não há como serem idênticos.

        Curtir

      • A RM do Rio tem simplesmente Niterói, cidade com sétimo melhor IDH do Brasil, alias o bairro mais rico de toda RM do Rio fica em Niteroi, o Bairro de Icarai.

        Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: