Linha de ônibus do aeroporto a hotéis alcançará mais bairros

Empresa estuda ainda a ampliação da frota de veículos

Cláudio Isaías

Cresceu procura pela linha de ônibus entre o Salgado Filho e hotéis nos últimos seis meses | Foto: Lucas Barroso / PMPA / Divulgação / CP

Cresceu procura pela linha de ônibus entre o Salgado Filho e hotéis nos últimos seis meses | Foto: Lucas Barroso / PMPA / Divulgação / CP

Criada para atender os turistas brasileiros e estrangeiros que chegavam a Porto Alegre pelo Aeroporto Salgado Filho para assistir aos jogos da Copa do Mundo em Porto Alegre, a linha de ônibus da Carris chamada “S1 Aeroporto/Hotéis” poderá ter o seu itinerário ampliado no próximo ano, inclusive com roteiros por outros bairros da Capital e pela região Metropolitana de Porto Alegre. A empresa estuda ainda a ampliação da frota de veículos. Hoje, são cinco ônibus, que circulam das 6h às 19h30min, com intervalos de 30 minutos. A partir das 19h30min, o intervalo aumenta para 45 minutos, até a meia-noite. Além disso, a Carris estuda a realização de uma campanha para divulgação da linha entre a população.

O diretor-presidente da Carris, Sérgio Zimmermann, informou que estas propostas serão discutidas em conjunto com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Segundo ele, durante o mundial de seleções a Linha Aeroporto/Hotéis transportou 844 pessoas no mês de junho e 783 passageiros em julho.

Em agosto, os ônibus transportaram 1.154 pessoas, 1,2 mil em setembro e 1.477 passageiros em outubro. Novembro fechou com 1.429 pessoas transportadas. Conforme Zimmerman, em seis meses de operação, a S1 já transportou quase 7 mil pessoas e permaneceu como um legado do mundial de seleções em Porto Alegre. Em novembro, o número de passageiros transportados pelo seletivo foi de 1.429, um crescimento de 70% em relação a junho, primeiro mês de atividade da linha.

O diretor-presidente da Carris acredita que a procura seguirá crescendo, uma vez que a população deve ter tempo para conhecer esta alternativa de transporte. “Vamos investir na divulgação da linha que passa por diversos bairros, pela Praça da Matriz, Centro e Estação Rodoviária”, destacou. Ele lembrou que veículo semelhante em utilizado nos aeroportos de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, e também em países da Europa.

Os cinco ônibus são equipados com espaço reservado para bagagens, assentos acolchoados com encosto para a cabeça, piso baixo, rampa de acessibilidade, ar-condicionado e capacidade para acomodar 25 pessoas sentadas. Os carros dispõem ainda de GPS e câmeras internas e sistemas que permitem o acompanhamento do coletivo durante o trajeto.

A linha passa por diversas regiões da cidade como o Aeroporto Salgado Filho, os bairros Higienópolis, Auxiliadora, Mont Serrat, Independência, Bom Fim, Moinhos de Vento, Centro, Estação Rodoviária e Cidade Baixa. O valor da passagem, por ser uma linha seletiva, é de R$ 5,00.

Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

10 respostas

  1. Ou seja, a maioria dos executivos não pega ônibus.

    Curtir

  2. Claro que é uma boa notícia.

    Mas como em Porto Alegre não há turismo, mas sim forte movimento de executivos que viajam a negócios e eventos, é bom lembrar que essas pessoas geralmente têm as despesas pagas pelas empresas.

    Curtir

  3. Por ser seletivo imagino que o custo dessa linha deficitária não impacta nas demais linhas, é isso? Fiquei na dúvida.

    Curtir

    • Isso é importante esclarecer. E também não deve entrar no sistema ATP/EPTC/TRI de transporte coletivo.

      Curtir

      • Não sei se não entraria… as lotações não são seletivas? Elas não aceitam vale transporte, mas estão no sistema TRI através do tal “passe antecipado” (que não compro por que preciso ir até o centro para isso)

        Curtir

  4. O mais importante é nao desistirem da ideia, e seguirem tentando fazer dar certo.

    Para quem nao é da cidade é sempre bom esse tipo de linha.

    Em SP usei uma linha aeroporto hoteis destas, paguei 20,00 para ir a guarulhos, enquanto o taxi era 80,00 na epoca.

    Curtir

  5. Pô, é uma boa, com um movimento tão fraco, acho que assim aumenta a procura.

    Curtir

  6. Não era esse ônibus que transportava 1,2 passageiros por vez? Se for essa média tem que custar uns 150 reais por passageiro para não dar prejuízo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: