Passageiros reclamam do número de bancos nos novos trens do Trensurb

Cada trem possui quatro vagões, 85 metros de comprimento e são equipados com ar-condicionado

Novos trens estão em período de teste | Foto: Mauro SchaeferJézica Bruno

Novos trens estão em período de teste | Foto: Mauro SchaeferJézica Bruno

Das 15 novas composições, adquiridas pela Trensurb para realizar o transporte de passageiros por meio do sistema de trens metropolitano, entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, 13 estão com a empresa (o último chegou na sexta-feira) e seis operam com passageiros, em período de teste. Durante essa etapa, a reportagem do Correio do Povo fez a viagem, da Capital até Novo Hamburgo, em um dos novos trens para buscar a avaliação dos usuários.

O contrato das novas composições tem o valor de R$ 243,75 milhões. O trem custa cerca de R$ 15 milhões e os sobressalentes, R$ 20 milhões. Cada trem possui quatro vagões e 85 metros de comprimento. São equipados com ar-condicionado e possuem amplo espaço.

No entanto, apesar da tecnologia e de se diferenciar das composições antigas, ainda utilizadas pela Trensurb, as novas não agradam a alguns usuários e já apresentaram falhas.

Na partida de Porto Alegre, na Estação Mercado, às 14h31min, os vagões lotaram e muitos precisaram fazer a viagem em pé. Outra reclamação é a falta do espaço para bagagem.

A estudante Júlia e sua tia Bernadete utilizaram o trem para fazer compras no Mercado Público, na Capital. Na volta para Novo Hamburgo, onde haviam deixado o carro, as moradoras de Ivoti viajaram sentadas no chão. Bernadete alerta para o aumento de passageiros. “Muitos que moram no Interior fazem a viagem como nós. Isso é bom, mas é preciso ter mais trens para a demanda.”

O estudante Augusto, que faz a viagem todos os dias até a Unisinos, em São Leopoldo, está contente. “O espaço é muito bom e tem menos barulho do que os outros.” Outro fator positivo é o aviso sonoro, na chegada de cada estação e 15 segundos depois que as portas se fecham anunciando a próxima. “Nos trens antigos, muitos nem dão mais o aviso ou é difícil de escutar.”

Até a chegada a Novo Hamburgo, uma hora após a partida, não houve falha técnica. A expectativa é de que até março todos os trens estejam funcionando comercialmente.

Correio do Povo



Categorias:Trensurb

Tags:,

17 respostas

  1. Reclamando? Essa tigrada sebenta votou pra manter os mesmos ladrões incomPTentes mandando… agora aguentem!

    Curtir

  2. Manchete do correio totalmente sensacionalista, mas a gente entende porque. É um veiculo do grupo da mídia tradicional da província que trabalha integralmente para o lobby do automóvel com coluna diária no jornal, programa semanal na rádio e momento de opinião na tv, a cada quinze dias.

    Curtir

  3. É um requerimento justo, mas para que isso seja de fato efetivado teríamos que separar o que é um trem intermunicipal, como os SB na Alemanha e o que é trem urbano, como os UB, também na Alemanha.

    Na prática temos uma mistura dos dois, ou melhor, é o único que temos.

    Obs. Na Alemanha tem ainda o DB que são os trens de longa distância.

    Curtir

  4. Diminuir a quantidade de bancos em trem é uma tendência mundial, inclusive metrôs como Barcelona, Madri e Paris estão reduzindo bancos e utilizando somente modelos laterais, paralelos ás paredes, que são inclusive mais seguros, pois ninguém fica “de costas para o movimento do trem” e não ficam a mercê do efeito chicote em frenagens bruscas.

    Curtir

    • O problema é que o transurb não é um metrô.
      As viagens são de normalmente 30 minutos pra mais.
      Então são 60 minutos de pé, 300 dias por ano. É foda né?
      Pessoal tem o direito de reclamar. Isso aí estraga a saúde de qualquer um…

      Curtir

  5. Viajar em pé, de Novo Hamburgo até POA, deve ser muito cansativo. A expansão do Trensurb até Sapiranga é inviável, por ser um transporte urbano de massa e não de média distância. O correto é um trem expresso de média velocidade, conectando as principais cidades desde Caxias do Sul até POA. [/sonho

    Curtir

    • Pois é, essa história de extender pra Sapiranga é uma loucura. Com o sistema atual, simplesmente não dá.

      Nessa altura do campeonato, já deveríamos estar pensando em reaproveitar aquele terceiro trilho da ALL que é paralelo ao Trensurb e depois diverge em direção a Triunfo. Esse trilho poderia ser estendido para contornar Canoas, o parque Assis Brasil e ir direto para as cidades do Vale dos Sinos depois (Portão, Estância Velha, Novo Hamburgo, Sapiranga).

      Esse serviço teria características de interurbano expresso, imitando os ICs da Alemanha, com uma parada por cidade pequena e paradas estratégicas nas cidades grandes. Poderíamos ter então Mercado, Rodoviária, Aeroporto, e depois uma parada por cidade atravessada.

      Curtir

  6. https://portoimagem.wordpress.com/2012/10/29/trensurb-abre-licitacao-para-instalar-ar-condicionado-nos-vagoes/
    Primeiro a climatização era uma solução de emergência, depois eles iriam adquirir novas composições e por fim a reforma das antigas, era o cronograma de obras. Onde estão os ar condicionados????????

    Curtir

    • Não é fácil assim instalar ar-condicionado em um trem. É necessário cortar o teto do veiculo, o que por si só já exige reforço estrutural. Fora que com isso, revestimentos e motores precisam ser trocados. Para instalar AC nos trens antigos é necessário uma reforma mais geral, nos moldes do que o metrô de São Paulo, onde 4 frotas com 30 anos ou mais estão sendo reformadas.

      Curtir

      • A ideia e projeto de instalação de ar condicionados foi do próprio Tresnurb, isso uma promessa em outubro de 2012. Havia inclusive um cronograma para execução – 2 trens mês. Isso quer dizer da viabilidade e condições de recuperação dos vagões. Pelo registro do tempo, depreende-se que a climatização dos antigos trens, NUNCA VAI ACONTECER!

        Curtir

  7. Querem transformar um transporte de massa em transporte seletivo?

    Curtir

    • Não. Pelo jeito, está mais para caminhão boiadeiro.

      Curtir

    • A solução é facil.
      Comprem um carro, assim ganham esse conforto.

      Ao menos pelo que ando lendo aqui no blog, é uma barbada comprar um carro zero no Brasil, de tanto incentivo que o governo da para comprar uma carroça de 40 mil reais.
      hahaha

      Curtir

  8. Só faltou explicar porque o número de bancos é problema. Quase entendi que o melhor seria mais bancos.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: