Viaduto da Bento tem impasse para abrir

viaduto-bento-01 viaduto-bento-02

Jornal Metro – Porto Alegre – 16/12/2014



Categorias:Viadutos e pontes estaiadas

Tags:,

32 respostas

  1. Eu só conheço compra de índice construtivo. Nada tem a ver com o que ocorreu no projeto Pe. Cacique e Beira-rio. Lá foi uma presepada da PMPA que não anteviu a cacaca. Não existe compra de espaço aéreo. O que existe é aprovação de áreas de interesse específico AEI’s. É uma forma (gambiarra na marra) de contornar o Plano Diretor, quando algum grande empreendimento quer se estabelecer em um determinado local com limitação de altura de construção. Beneficia-se o empreendimento excetuando-o de cumprir as normas do plano diretor para aquela área, podenso assim construir mais pavimentos do que o permitido pelo Plano. Exemplos de AEI’s = o projeto da OAS na Azenha, Pontal do Estaleiro e prédios na Arena Grêmio. Há outros exemplos, mas esses são os mais famosos.
    As AEI’s acabaram por retalhar o PDDUA. Quem tem algum grande empreendimento em tese pode mandar o Plano Diretor tomar naquele lugarzinho.

    Curtir

  2. Estamos bem de engenharia em PoA: é estádio que invade passeio público, viaduto que precisa ocupar terreno da BM…

    Curtir

    • Leandro, o mimimi do estádio invade rua não existe: aumentou o número de pistas na Pe Cacique, logo se algo invadiu, foi a rua que invadiu o pátio!

      Curtir

      • E não tem nada de errado ter o teto em cima da calçada. A loureiro tem isso também, embaixo dos hotéis.

        Curtir

      • Não é esse o escopo! Do ponto de vista urbanístico não importa quem invadiu quem. O que interessa à sociedade, à cidade, ao povo, é que há uma cobertura em intersecção com uma rua. PONTO! Ambos invadem-se mutuamente. É esse o problema que não poderia ter ocorrido, e que foi aprovado pela Comissão de Análise Urbanística. A análise sobre quem invadiu quem é meramente técnica e jurídica. O que jamais poderia ter ocorrido é o que foi aprovado e executado.

        Curtir

      • Oscar, algum comentário sobre os prédios da Loureiro? Isso é previsto no plano diretor.

        Curtir

      • Oscar, tem uma medida que chama “compra de espaço aéreo” – não é bem esse o nome mas é isso que se faz: tu aluga/compra essa área.

        Curtir

  3. Foto de 5min atrás, pra situar quem não vê há tempos…

    Até esqueci de comentar: andando na Aparício, passando a Bento no sentido sul, tem uma quadra com bastante comércio – acho que algo em torno de 10 lojas entre lugar pra almoçar, ferragem, lotérica e afins.

    Bom, TINHA porque sobraram uns 3 desse comércio… o resto tudo fechou!

    Quanto ”pogresso” esse viaduto hein?! Vai ser tri bom subir 931831832 lances da rampa sem ninguém na volta, recomendadíssimo!

    Curtir

    • Triste ):

      Curtir

    • Esse estaio é a ciosa mais burra que pode existir. Ponte/viaduto estaiado serve para deixar a estrutura mais delgada, entretanto a concepção do projeto prevê uma caixa na estrutura, ou seja, não será delgada e portanto não precisa de estaio.

      E pensar que esse troço está custando 100 mi.

      Curtir

    • Bah, bem nessas Bi. Olhando a região no Street View, tem um comércio bem forte na área. A obra afundou essa galera e, mesmo quando pronta relegou estes comércios a uma sombra tinhosa.

      Uma opção muito mais razoável para essa região teria sido a construção de um túnel. Acho até que poderia ter saído mais barato. Uma possibilidade que comentei aqui há alguns anos era manter o corredor de ônibus da perimetral na superfície, e passar as pistas de carro desta avenida por debaixo da Bento. Sim, teríamos um cruzamento na superfície, claro, mas isso não seria tanto problema, pois o corredor de ônibus não precisaria de uma fase tão longa quanto a avenida “normal”, de forma que a Bento poderia seguir tendo uma fase generosa para o seu fluxo, parando de vez em quando para permitir a passagem dos ônibus e dos pedestres.

      Mas não né, resolveram construir esse trambolho. E botar esses prendedores-de-roupa bagaceiros em cima pra atender a modinha arquitetônica do dia.

      Curtir

    • Eu tava pensando nisso esses dias… vai ter uma sinaleira embaixo do viaduto ou se espera que o pedestre suba aquela rampa imensa pra atravessar a rua?

      E aquilo não são estaios. São chifres, estaios tem função estrutural.

      Curtir

  4. Sabotagem do governo estadual do PT ao prefeito Fortunatti. Não duvido. Política fede.

    Curtir

    • Depois da greve dos ônibus em fevereiro que a BM assistia de longe os caras fazendo piquete e churrasco enquanto o Fortunati implorava ajuda, não é de se duvidar mesmo.

      Curtir

    • Concordo com vocês, Juliano e Bi Grando. O PT quer mais que o Fortunatti se exploda. Mas vamos combinar que o Fortunatti não se ajuda… essa administração dele está péssima! É como disseram anteriormente… como começaram a obra sem ter isso definido? E que comentário TENEBROSO do Baú… POA largada a esta gente incompetente… que triste isso.

      Curtir

  5. Voto para que o exército não abra mão de sua área. Espero a tempos que essa obra seja finalizada. Mas diante deste comentário deprimente eu acredito que o exército mantenha sua postura de recuar. Que coisa escrota iniciar uma obra sem que os acordos estejam firmados. Eu continuo com a pergunta que sempre me faço… Porque será que TODA obra em Porto Alegre tem um caráter de gambiarra?

    Curtir

  6. Veja como ficou inóspita aquele espaço ao lado do viaduto.

    Curtir

  7. Estão tentando jogar a culpa para a BM, mas sem o terreno a obra sequer devia ter começando. Deviam ter pensando em uma alternativa ou resolver o impasse antes.

    Mas claro, daí não tem como o candidato a reeleição tirar foto da inauguração antes de começar a campanha.

    Curtir

  8. Por que quando começam uma obra, esses imbecis não resolvem tudo antes dela começar????? Santa irresponsabilidade!!!

    Curtir

  9. Esta informação só me confirma o que acho das indicações na BM. Combina com os desejos de cobrarem para policiar futebol (como se já não pagássemos impostos, …). Este é o nível do comando. E que nível!!!!

    Curtir

  10. “Nossa expectativa é que como a obra estava ali no quintal, eles iam ceder. Infelizmente não tivemos um bom entendimento.”

    Que comentário deprimente.

    Vocês já passaram ali? Aqueles pilares parecem prendedor de roupa!

    Curtir

    • Sinceramente, POA é uma cidade do interior com dinheiro demais. O nível técnico não acompanha. Talvez por isso nada aconteça e o dinheiro ainda vá fora (desviado ou desperdiçado).

      Curtir

    • Como é que fazem grandes obras e construções mirabolantes sem certar corretamente as coisas. Parece que tudo é na base do “achei que dava”.

      Curtir

      • Como sempre fazem obras mirabolantes, de mal gosto, e esquecem os detalhes. Assim como a rótula da Carlos Gomes, que nem pra rótula serve.
        Pra quê fazer um viaduto tão curto com 2 níveis? O negócio é uma mega caixa de concreto, uma nave especial no meio da cidade. Não era melhor simplesmente fazer um viaduto como o da Nilo, com ônibus e carros no mesmo nível, paradas com elevadores e pronto? Mais fácil de executar, mais barato e menor poluição visual.
        Além desse fetiche por pontes e viadutos estaiados, fazem essas obras de mal gosto e não têm nem capacidade técnica e administrativa para executá-las. E que venham as obras do metrô e da nova ponte do Guaíba!

        Curtir

      • Só tem picaretagem nessa PMPA. É tudo aventureiro com diploma de nível superior. O que mais irrita é que o Rogério Baú, juntamente com mais dois engenheiros da PMPA estão ganhando além da Gratificação de Alcance de Metas, mais um gratificação que é o art. 111, retroativo a abril de 2012, especialmente para essas “obras” de mobilidade urbana financiadas pela União. Não há mais planejamento algum. Pior! Não há nem mais a chamada vergonha na cara. São meus colegas que, com mais de 30 anos de serviço, não tiveram pejo algum em colocar seus nomes e reputação de outrora em porcarias como o viaduto torto-estaiado que invade o passeio e a mão francesa da rodoviária, pra garantir o leitinho das crianças. A CAUGE conseguiu aprovar um projeto em que a cobertura do estádio atinge o espaço aéreo da Pe. Cacique (ou a rua avança sobre a área do Inter), nem se trata de saber quem invadiu quem…o que importa é que aprovaram uma bosta daquelas. Tudo em nome da politicagem nojenta que permeia o Brasil. Vocês viram que as cabines de imprensa do Beira-rio não têm piso e os estacionamento simplesmente está inconcluso? Pois é…quanto às cabines, só ontem a imprensa daqui escancarou o problema. Durante a Copa, diziam estar tudo maravilhoso. Até a mídia é parceira nas mentiras políticas. Eta país mais submundo.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: