Mais?

Está em votação hoje na Câmara de Vereadores uma proposta de aumento médio de 400% nas alíquotas dos alvarás em Porto Alegre. Fortunati diz que é “para fazer frente aos custos e garantir justiça tributária”.

Fortunati, como bom político que é, como bom esquerdista que é, não sabe o que é reduzir custos, enxugar a máquina, demitir pessoas desnecessárias, fundir secretarias e cortar cortar cortar. Num país que é referência mundial em impostos, tarifas altas e burocracia, querer aumentar alíquotas, em em 400%, é um deboche sem-vergonha.

(Olhando no Portal Transparência da Prefeitura: para que serve uma Secretaria Adjunta da Mulher (!), Secretaria Adjunto do Idoso (!!), Secretaria Adjunta da Livre Orientação Sexual (!!!),  Secretaria Adjunta do Povo Negro (!!!!), Secretaria Adjunta dos Povos Indígenas e Direitos Específicos (!!!!!). Vocês podem ter uma idéia de como tem gordura desnecessária para cortar nessa prefeitura, antes de pensar em aumentar a arrecadação.

Via Metro

No mesmo assunto, gastança pública, o Políbio Braga escreve que o governador eleito José Ivo Sartori (PMDB) começará seu mandato no dia 1º de janeiro de 2015 à frente do estado mais endividado do país, com 205% de sua Receita Corrente Líquida comprometida com dívidas. É a única unidade federativa acima do teto de 200% de endividamento fixado pelo Senado, o que impede a contratação de novas operações de crédito. Valeu Tarso!

Via Polibio Braga



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

58 respostas

  1. Um dia eu já acreditei nessa piada escrita no cabeçalho do blog: “tratados de forma crítica e sem caráter político-partidário”… um dia.

    Curtir

    • Nós malhamos todo mundo Gustavo, independente de partido. Principalmente quem está no poder. Jamais vamos compactuar com medidas populistas, demagógicas, seja de quem partir. Não entendi exatamente o teu comentário. Pode explicá-lo melhor? Eu não tenho partido. Te garanto que o Marcelo também não tem. Agora te garanto que temos vergonha na cara e conhecimento mínimo de história. Vai pesquisar ao longo dos mais de 8 anos do Blog e depois volta pra comentar. Não precisamos deste tipo de comentário aqui, que se torna sem sentido pra quem não nos conhece e nem tenta conhecer. Vc fez um comentário que não leva a lugar algum, não colabora com o tema do post e tá nos criticando? Te olha no espelho. Põe o dedo na tua consciência e depois retorna. Ou quem sabe cresce um pouquinho. Até mais.

      Curtir

    • Gustavo; como estudante de jornalismo da UFRGS, tu estás sendo muito venial e lacônico na tua análise existencial sobre o blog. Talvez estejas acostumado com o formato limitado do twitter, por isso espremeste tua prédica em tênues linhas generalizantes. Seria mais interessante, na condição de futuro jornalista, estender e embasar a tua tese.

      Curtir

  2. Nunca concordei tanto com o Marcelo.
    Amém.

    Curtir

  3. E o Marcelo querendo acabar com a CLT:

    “Uma delas, de tanto usar pausas pessoais por conta de sua cistite, começou a ser chamada, na frente de todos, de “Miss Mijona”. A partir de então ela começou a ir trabalhar usando fraldas geriátricas.”

    http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2014/12/23/teles-e-bancos-superexploram-operadores-de-telemarketing-aponta-mte/

    Curtir

  4. E o que dizer do Sr. Cristiano Tasch, responsável direto pela SMURB não atingir qualquer uma das metas de sua secretaria para 2014.
    Como prêmio, vai para o Governo Estadual.
    Baita bola, Sartorão!!!

    Curtir

    • O Tatsch é um banana. Não passa de um pulha e capacho da Ana Pellini. Quem manda na SMURB sempre foi ela, desde a criação do Edificapoa. Pior que esse Tatsch foi um dos mentores da GRFPO e o TART lá na Fazenda. Já vai tarde da PMPA. Coitado do estado.

      Curtir

  5. Enviei mensagens a respeito para vários vereadores, e o Ferronato me respondeu: “Pietro, o valor da taxa pela expedição dos alvarás estavam com o mesmo valor faz aproximadamente 30 anos. Com relação ao corte de gastos sou favorável desde que não seja reduzido em demasia o tamanho do Estado.
    Um abraço e Feliz Natal para ti e para todos os teus familiares.
    Vereador Airto Ferronato”

    Curtir

    • O Airton Ferronato é o beneficiário máximo do Projeto de Lei que concede gratificação especial aos auditores fiscais da Fazenda. Está legislando em causa própria. Lamentável. Quer ser aposentar com mais um mimo. O troço é nojento demais.

      Curtir

  6. Bem…agora quem vai escrever é um funcionário da PMPA há 27 anos ocupando cargo de Assistente Administrativo na SMURB (Antiga SPM)
    que está a ocorrer na prefeitura, é uma política odiosa e horripilante de segregação da categoria funcional. Apesar dessa prática nefasta e abjeta não ter sido inaugurada na gestão atual, é fato que, a partir da gestão Fogaça, abriu-se um precedente de magnitude jamais visto no serviço público municipal da cidade. A Secretaria da Fazenda foi aquinhoada com uma super gratificação estendida a todos os cargos e funções. Isso fez com os servidores da Pasta percebessem mais do que o dobro da remuneração percebida por servidores de outras Secretarias. Uma aberração jurídica que revoltou os excluídos. Posteriormente, na gestão Fortunati essa prática segregacionista foi alçada aos píncaros da indecência quando ele começou a gratificar a rodo algumas categorias que protestaram e berraram por gratificações tais como, a SMA, Previmpa, SMPEO, Técnicos-científicos, Guarda Municipal (trocou de faixa 2 vezes, sem concurso), biólogos, SMS, SGM, e PGM.
    Hoje as galerias estavam lotadas, pois o Executivo enviou mais um projeto absurdo, que contemplava mais uma gratificação fazendária, desta vez dirigida aos auditores fiscais, exatores e técnicos científicos da SMF. Mais uma violência brutal contra a isonomia salarial. Servidores de secretarias que já ganhavam muito acima dos demais, passariam a ganhar mais ainda, e com requintes de crueldade. Vocês de fora da prefeitura não imaginam como é estar excluído desse processo. Eu ganho UM TERÇO do que ganha um servidor de mesmo cargo na Fazenda. Isso mesmo! Fizemos o mesmo concurso, temos as mesmas atribuições, fazemos as mesmas coisas. Pior ainda! Trabalho dividindo espaço com colegas técnico científicos, que passaram a ganhar uma gratificação…justamente quem mais ganhava, acabou ganhando AINDA mais. Enquanto isso, faixas de nível médio e básico, continuaram sem nada. O abismo cresceu vertiginosamente. NÃO DESEJO ESSA SITUAÇÃO DE BRUTAL INJUSTIÇA AO MEU PIOR INIMIGO. Jamais imaginei que um dia passaria por uma situação tão acachapante, humilhante, degradante. Uma vergonha inominável. O que está ocorrendo hoje na PMPA é algo surreal, beirando o massacre moral entre funcionários. Uns trabalham e ganham gratificação. outros, trabalham e nada ganham. Pergunta: imaginem com que ânimo se trabalha num ambiente assim? De onde tirar forças pra suportar tamanha brutalidade? É uma situação desesperadora….só isso o que digo…desesperadora.

    Curtir

    • Oscar ,vou te dizer uma coisa que vale para todos os que trabalham para o governo: cai fora disso, se você confia no seu taco, senão vai ser sempre um servo da gleba, preso nessas questiúnculas de aldeia. Alce vôo, se se sentir capaz ,e pouse na montanha. Caso não tiver coragem,então conforme-se com o que tem e agradeça. Falo isto porque já trabalhei em estatal e com suor subi degraus.

      Curtir

      • Não é tão fácil quanto parece. Eu, assim como meus colegas, merecemos permanecer no serviço em que fomos aprovados em concurso público e perceber salários iguais aos nossos pares. Só pedimos justiça, equidade, isonomia. Não queremos vantagens nem privilégios…mas rogamos tratamento igualitário.

        Curtir

        • Oscar ,concordo com você. O salto de que falei quase sempre só acontece quando as contingências levam a isso. Assim como a decisão de pular da janela tendo um incêndio no prédio pelas costas. Eu já passei por tudo isso e lamento a aflição de vocês. O problema do serviço público é que o mérito pouco conta. O ambiente pode até comprometer a saúde mental e produzir reflexos fisiológicos na pessoa cujo temperamento não é compatível com este sistema de prestação de serviço e as formas de retribuição. Isto pode se tornar insuportável ao ponto de o próprio subconsciente tanger o indivíduo a saltar para fora.
          No mais, tenho a dizer que ,realizado o salto, passado o medo da morte e estabelecido em novo trabalho, a pessoa guerreira se dá conta que valeu a pena. Lhe desejo inspiração e constante equilíbrio.

          Curtir

      • Você captou bem a problemática. O pior de tudo é que quem está ditando as mudanças é a tal Lucem consultoria, cujo dono é Augusto Mainieri. A tal Lucem foi a responsável pela implantação da falácia PGQP no estado. No município, su8a atuação já mostrou a “competência”…com o desatrado SIAT e seus 20 milhões de prejuízo aos cofres municipais. E quem implnatou está ganhando gratificação especial. No final é o contribuinte que paga a conta da incompetência. Por isso o último desconto de IPTU adiantado, caiu de 20 para 12 por cento. Tiveram que tapar o rombo do programa e continuar pagando as metas a 100% dos fazendários. É a vergonha das vergonhas. De algum lugar teriam que tirar a grana. Adivinha quem pagou?

        Curtir

  7. Se pesquisar nos períodos pré-eleitorais que ascendeu tanto Fogaça quanto o Fortunati o seu Políbio Braga apoiou de alguma forma em seus comentários para que esses “esquerdistas” foram eleitos. Se eles são esquerdistas, qual será a posição política e ideológica desse comentarista?

    Curtir

    • Posição demagógica, você quer dizer…

      A posição dele é de xiita anti-PT, simples assim. Mesmo que o adversário seja Collor ou Maluf…

      Curtir

      • Qual é o brasileiro no fim de 2014 que não é anti-petista xiita?

        (Collor e Maluf são aliados do PT, a propósito)
        Mas o post não é sobre o PT, é sobre má administração pública, da cidade e do Estado, ambos nas mãos de socialistas no momento.

        Curtir

  8. Off : tá dando no site da ZH que a Agergs VAI LIBERAR o catamarâ entre o Centro e o Barra.

    Curtir

    • Melhor comentário deste post. Beleza!!!

      Curtir

    • Ué, antes o catamarã não podia ser urbano ,então porque agora pode? Me lembrei dos movimentos de 2013: antes era impossível não aumentar o preço da passagem urbana. Depois, até diminuiu.
      Alguém pode esclarecer aqui qual foi o raciocínio da AGERGS para o não e para o sim? Ou será que tudo é relativo e em função da disposição dos trouxas pagantes em aceitar a argumentação que sustenta o benefício de algum grupo?

      Curtir

      • Meu caro, uma coisa que o jornalismo gaúcho não faz é dar explicação. Apenas contam os fatos, pois explicá-los é escancarar a maracutaia.

        Curtir

  9. Marcelo Bumbel, post atrás de post, acabando com o blog. Pena.

    Curtir

    • Bom, para os socialistas, qualquer coisa que eu escrever aqui é anátema. Mas ao invés de criticar o autor dos posts, quem sabe argumentar sobre o assunto dos posts? Se tua argumentação fizer sentido, eu posso mudar de opinião.

      Curtir

      • Pronto, agora o autor assumiu o papel do herói da direita, consciente e esclarecido, que luta contra a opressão esquerdista. Os “socialistas” (qualquer um que discorde ou que exponha o ridículo da interpretação do personagem) podem argumenar o quanto quiserem, tudo o que disserem será motivado pelo plano de dominação mundial, ou pela ambição, ou pelo interesse das “esmolas governamentais”. Apenas os direitistas tem a “razão”. Difícil acreditar que alguém que anda exclusivamente fazendo doutrinação vá mudar de ideia, já que possui opiniões antecipáveis. O grande problema do governo do PT não é ser de esquerda, é ter alimentado esse tipo de maluco, Constantinos, Olavos, Políbios, que por acaso, agora, são de direita (mas poderiam ser de esquerda), que acreditam ter a solução para todas as mazelas do mundo (no teu caso, é o mercado). Marcelo, és igualzinho a esses que acreditas combater, apenas com o sinal invertido. E a tua catequese é tão irritante que é por isso que “atacam” o autor, até porque fica difícil atacar as ideias, que inexistem.

        Curtir

      • A solução para as mazelas é simples e todo mundo tá careca de saber: olhar para onde deu certo e copiar! Austrália, Canadá, Hong Kong, Nova Zelândia: governo eficiente, pouca burocracia, liberalismo econômico, liberdade de expressão e de imprensa, leis claras e que são compridas,proteção da propriedade privada, impostos baixos e capitalismo.

        Curtir

      • Pois é, veja que eu não critiquei nem o capitalismo, nem o liberalismo, nem nada, mas a tua pregação sacal, como se todos fossemos idiotas precisando de iluminação… e tu me responde com mais um discurso pronto. Obrigado por compartilhar sabedoria com meros mortais.

        Curtir

    • Pois é, saudades dos posts que não ficavam fazendo politicagem no blog… Saudades dos post do Gilberto Simon também.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: