Turismo para mim é novidade, afirma secretário escolhido por Sartori

Juvir Costella salientou contato com Esporte e Lazer dentro da pasta que irá liderar

Juvir Costella salientou contato com Esporte e Lazer dentro da pasta que irá liderar | Foto: Divulgação CP

Juvir Costella salientou contato com Esporte e Lazer dentro da pasta que irá liderar | Foto: Divulgação CP

O governador eleito José Ivo Sartori completou, nesta sexta-feira, o anúncio de seu secretariado, dois meses após a vitória em segundo turno. O último a ser oficializado foi Juvir Costella, futuro gestor da pasta que reúne Turismo, Esporte e Lazer.

Minutos após ser anunciado, em entrevista a Rádio Guaíba, Costella apontou que o Lazer é uma área de conhecimento compartilhada entre todos, portanto mais fácil de se entender. Pai de um jogador de futebol, ele também contou ter intimidade com o Esporte. Por outro lado, admitiu: “Turismo para mim é uma novidade”. Ele ainda disse não ter nenhum constrangimento de buscar auxílio de especialistas para implementar as políticas definidas por Sartori.

Costella, que ficou como primeiro suplente e conseguiu uma vaga na Assembleia Legislativa após Fábio Branco (PMDB) ser anunciado como secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, abre, com o anúncio de Sartori, vaga para Ibsen Pinheiro no Parlamento. Antes dele, na segunda suplência, está a esposa de Sartori. Maria Helena Sartori já avisou, porém, que vai abdicar da vaga para assumir o Gabinete da Primeira-Dama.

Costella, de 55 anos, é servidor público estadual aposentado. Casado, pai de dois filhos, foi gerente da Caixa Estadual, vereador em Esteio por dois mandatos e chefe de gabinete do ex-deputado Marco Alba, hoje prefeito de Gravataí. Costella exerceu a atividade de chefe de Gabinete no Governo Yeda Crusius da pasta da Habitação. Nos últimos dois anos, assessorou o deputado Márcio Biolchi – escolhido por Sartori para comandar a Casa Civil.

Outro anúncio desta sexta-feira foi do jornalista Cleber Benvegnú, que vai responder pela Coordenação de Comunicação, órgão ligado ao Gabinete do Governador. Sem filiação partidária, Cleber Benvegnú é formado em Jornalismo pela PUCRS e em Direito pela Unisinos. Aos 37 anos, é casado e pai de dois filhos. Desde 2005, é empresário na área de comunicação. Antes, trabalhou no banco HSBC e foi assessor executivo das diretorias do BRDE e Banrisul.

Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

38 respostas

  1. Estamos salvos, agora tem uma pessoa que entende de Turismo trabalhando como Secretária Adjunta…. uma ex-miss Brasil que morou 6 meses no exterior… mais qualificada que o secretário escolhido!!!

    Curtir

  2. O Tarso foi um lixo de governador. Conseguiu ser pior do que os antecessores. Não sei de onde vem esse argumento de continuidade do projeto. Quê projeto, cara pálida? Em verdade, não há quebra de continuidade. Tudo continua mais do mesmo. Amaral, Guazelli, Jair Soares, Simon, Collares, Olívio, Britto, Rigotto, Yeda, Tarso, Sartori….tudo porcaria. Todos juntos f%&$#@& o Rio Grande.

    Curtir

      1. Respeito de opinião é o minimo que alguém que PENSA deve ter. Cara pálida é tua mãe.
      2. O Tarso não foi um lixo de governador, o economia que estava em decadência REVERTEU esse cenário.
      3. É exatamente este teu pensamento de “tudo lixo” que todo o gaúcho tem e por isso que tu merece o que tem. É tudo lixo por que fazem 30 anos que temos um problema de endividamento e sim, precisamos de uma continuidade.

      Curtir

      • O Tarso é tão patético que não respeita nem a ele próprio. Vide entrevista de hoje no clicrbs. “Faltou força política ao estado”(Tarso Genro). Na boa…um governador, do mesmo partido que a Dilma, que fala uma coisa dessas, passa o atestado definitivo de incompetência pessoal. Encerrou sua gestãoZINHA da forma mais acachapante e melancólica possível, acusando a si mesmo de claudicante e incapaz. Comentários adicionais são desnecessários. Ele mesmo colocou a pá de cal da sua imagem política. Só pedindo asilo na casa do amigo Battisti.

        Curtir

  3. Eu sinceramente não entendo o pensamento do gaúcho. Tarso nao foi perfeito mas trouxe um número de empresas e investimentos para o estado no mandato dele. Muitos destes citados pelo próprio blog. E aí ao invez de tentar a continuidade, tiram ele pelo simples fato de não ter resolvido problemas que governador nenhum conseguirá ou conseguiria por pura birra politica. Boa sorte na quebradeira gaúchos, voces não sabem o que querem.

    Curtir

    • “Tarso não foi perfeito ” Que má vontade é essa com o Tarso? Pra mim ele e o PT sempre foram perfeitos, assim como o Maurício, o analista político.

      Curtir

    • O Oscar para variar não fala nada com nada.

      Mas concordo, a gente nunca dá continuidade para coisa alguma. Agora vamos pro Sartorão que vai desfazer tudo que ele fez, depois ou damos uma radicalizada com uma Ana Amélia e depois voltamos para o PT de novo. O importante é não ter um projeto nunca, sempre votar contra.

      É o que o Britto disse no artigo que colei lá em cima.

      Curtir

      • Querem a continuidade do Tarso mas não quiseram a continuidade da Yeda. Interessante a lógica.

        Curtir

      • Honestamente não entendi o que tu escreveu. Meu ponto é completamente genérico, minha crítica é que nenhum projeto tem continuidade, tanto faz se for a Yeda ou o Tarso.

        Curtir

  4. Podem ficar felizes.
    Dias atrás a Rosane de Oliveira indicava BIBO NUNES como o provável Secretário.

    Curtir

  5. OFF. Que tal essa?

    LEI Nº 11.746, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014, que “Obriga os bares, os
    restaurantes e os estabelecimentos similares a conceder desconto especial ou a
    oferecer prato especial de porção reduzida às pessoas que tenham realizado
    cirurgia bariátrica ou outra gastroplastia para redução do estômago”.

    Curtir

  6. Na realidade, o Sartori entrou de gaiato no navio. Foi empurrado pelo PMDB e forçado a concorrer. Ele, nem ninguém jamais esperava ganhar as eleições. O Palácio Piratini literalmente caiu-lhe no colo. E agora, José? Ele nem sabe o quê fazer. Logo que ganhou, isolou-se em Marte, pra tomar fôlego antes de começar a montar um governo. Eu acho que o sonho dele mesmo, era perder e puxar uma rede Curumim. Agora vai ter que gerenciar um estado falido e f******.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: