Programa Orla POA: limite de financiamento passa a 92 milhões de dólares

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou nesta segunda-feira (22/12) projeto do Executivo que solicita ao Legislativo autorização para contratar junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina/Corporação Andina de Fomento (CAF) operação de crédito até o limite de 92 milhões de dólares com vistas à execução do Programa Orla POA – Organicidade e Requalificação do Espaço Urbano, do Lazer, do Acesso e Mobilidade de Porto Alegre. O projeto aprovado altera a Lei nº 11.694, de 1º de outubro de 2014, que autoriza o Executivo Municipal a contratar operação de crédito junto à União, por meio da Caixa Econômica Federal (CEF), e operação de crédito externa junto ao CAF.

De acordo com o prefeito José Fortunati, a modificação refere-se ao acréscimo de 7 milhões de dólares no valor limite da operação de crédito a ser contratada com o CAF, “haja vista a necessidade de inclusão da segunda etapa do Projeto Orla – Trecho 3, conforme Carta Consulta de número 60101”. Esta etapa do programa, segundo ele, trata do setor esportivo e corresponde à urbanização de 16 hectares de área, compreendidos entre a foz do Arroio Dilúvio e a área do Parque Gigante, pertencente ao Sport Club Internacional.

“O projeto prevê a implantação de equipamentos esportivos e de toda a infraestrutura de apoio, contando com áreas de passeio e estacionamento, praias de areia e madeira, parque infantil, pista de skate e patinação, academia ao ar livre, campo de futebol e rugby, quadras de futebol society, areia e paddle, cancha de bocha, paredão de escaladas e caixa d’água, quiosques padrão bar e vestiário, rampa de concreto para barcos, deck na água, arquibancadas e aterro.”, explica Fortunati.

Texto e edição: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)

Câmara Municipal



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

16 respostas

  1. Não sei se fiz o calculo certo, mas com esse valor, o m² ficaria meio alto, não?

    Curtir

  2. Parece ate a ladainha do PAC……anunciam com toda a pompa o PAC2 sem nem mesmo conseguirem terminar o primeiro.
    #EternaTerraDasBananeiras

    Curtir

  3. O pior é que as pessoas que fazem piada e dizem “vai ficar pronto daqui 50 anos” em sua maioria são aquelas que continuam votando nos mesmos

    Curtir

    • Negativaram-te 3 vezes, porque todos os babacas olham-se no espelho e enxergam gênios. Eu dei um joinha, porque reconheço a minha própria babaquice.

      Curtir

    • E vão votar em quem?
      Nos que já governaram a cidade e nada fizeram, ou nos que querem governar mas são contra o que queremos?

      Sobra o que faz lentamente e mal feito.

      Curtir

      • Quem disse que há saída ou alternativa, Guilherme? Todos somos inexoravelmente forçados a ser babacas. O problema não está nas opções, mas no povo. Nossas representações democráticas são pertinentes à nossa natureza. Enquanto um povo chulo e corrupto tiver a prerrogativa de lançar e escolher os seus representantes, o país permanecerá exatamente como está. Não significa dizer que um regime ditatorial seria melhor, igual ou pior….mas o fato é que, se o atual regime democrático fosse jogado pras cucuias, haveria ao menos alguma chance, mesmo que reduzida, das coisas mudarem para melhor. Claro…toda vez que escrevo isso não faltam chusmas de pessoas me alcunhando de lunático, estulto, reacionário, golpista, militarista, bolsonarista, fascista e outras coisas. Enfim…viva a democracia do Brasil, não é mesmo? O eleitor e contribuinte faz juz ao que lhe é servido.

        Curtir

      • O problema que vejo na tua lógica (de um povo chulo só podem sair líderes chulos) é que sendo assim ou
        1- Nenhum país tem líderes bons
        2- Os países que tem lideres bons tem um povo bom desde o princípio

        Sobre a discussão de ditadura ou democracia… bem, numa ditadura a chance de entrar alguém melhor acho que é menor ainda pois não há chance de alternância 🙂

        Curtir

      • Se você argumentar que os povos sueco, dinamarquês, finlandês, japonês, islandês, canadense, australiano, alemão, austríaco são tão chulos do ponto de vista ético e educacional quanto o do Brasil, aí eu te entenderia. Pais cujo povo tem educação, princípios de eticidade e moral mais elevados, que valorizam sobretudo o trabalho, o esforço e o potencial individual das pessoas em nome da coletividade e progresso da nação, naturalmente GERAM líderes condizentes com a sua essência de povo. Nunca falei em povo bom. Falei sempre na COMPARAÇÃO entre os povos. Prefiro os termos MELHOR e PIOR. Há países com líderes melhores e outros com líderes piores e invariavelmente, os líderes não destoam do modus operandi do povo…mesmo por que, eles vêm do povo. Não há como haver líder (democraticamente eleito) bom em repúblicas como Gana, Gabão, Serra leao, Timor Leste, El Salvador, Burkina Fasso, Etiópia, etc…simplesmente porque o lpider é o espelho da sociedade que o elegeu. Á única chance, mesmo que reduzida, é uma quebra desse elo…ou seja, um golpista. O exemplo clássico de golpista que realinhou o seu país foi Pinochet. Queiram ou não, ele, reconduziu o Chile ao status de melhor país da américa latina em termos sociais, educacionais e culturais. É que não é de bom tom admitir que um ditador e/ou belicoso tenha méritos e virtudes como chefe de estado. Há uma genial propaganda clássica brasileira que, sem querer, acabou admitindo uma série de pontos positivos na conduta de Hitler. Foi espantoso para a época, e até para os dias de hoje…..mas pra quem tem um olhar aguçado e mais amplo, foi muito importante para entender a irresponsabilidade da mídia em querer demonizar á todo custo certas pessoas, vendendo uma imagem desabonadora em todos os aspectos da vida da criatura, mesmo que em muitos aspectos ela tenha grandes méritos.
        É aquela história: quem perde a guerra é bandido, Os vencedores são heróis e mocinhos…salvadores da humanidade.

        Curtir

      • Oscar e sua “lógica”. Naturalmente, quando tiveram chance, os militares mudaram o Brasil para algo bem melhor (só que não).

        Curtir

      • Oscar, acontece que os países que listaste como “bons” não tiveram um salto de qualidade por causa de um golpista. São países com um história antiga, e a cultura deles foi construída muito aos poucos, geração após geração… tanto por seus ditadores (monarquias, etc) quanto por políticos eleitos.

        Sério, é fácil ser pessimista. Mas o Brasil há 30 anos tinha inflação galopante e há uns 10 não tinha UPA. As coisas melhoram aos poucos, ainda mais em um país que começou com uma massa de pessoas sem educação alguma.

        Curtir

      • Felipe X falou tudo. Queria ter a paciência dele pra argumentar tudo isso…

        Curtir

  4. Não vai sair nem estacionamento, Felipe.

    Curtir

  5. Vai sair só estacionamento rsrsrs

    Curtir

  6. 2080 ta pronto

    Curtir

    • Otimista tu, eu ja colocaria 2100, junto com o metro, o cais, a licitação dos onibus, o aeromovel em porto alegre, num pacote, tudo junto pra 2100, isso se não houver greve.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: