Gaúchos indignados com o Minha Casa Minha Vida

Sem iluminação entre os prédios, fios de energia elétrica expostos nas caixas sem tampas, choques nos corrimões das escadas e das janelas, rachaduras no teto, goteiras em dias de chuva e barras de apoio que já estão enferrujadas e caindo, é assim que os moradores do Condomínio Altos da Figueira, no Jardim Nossa Senhora Aparecida, em Alvorada, inaugurado em Outubro do ano passado, descrevem suas novas residencias.

“- Só temos problemas por aqui. Quando os novos moradores chegarem perceberão que isso aqui é uma bomba-relógio! – alerta a síndica Jaqueline Moreira Lima, 48 anos, moradora do bloco M.

A obra levou cinco anos para ser concluída, passou pelas mãos de duas construtoras e custou R$ 28,3 milhões.

Via Diário Gaúcho



Categorias:Outros assuntos

Tags:

18 respostas

  1. Quem já fez uma reforma em casa uma vez na vida sabe que esse setor tem uma das mais baixas qualificações de todas as atividades econômicas brasileiras. Como conseguem ser tão lerdos e fazerem tanta M?

    Curtir

    • Realmente, conseguir um bom “pedreiro”, marceneiro ou “colocador de pisos” é uma tarefa árdua!

      Curtir

    • isso se chama falta de planejamento governamental
      vamos supor que inicialmente 1 milhão de pessoas trabalhassem na construção civil de casas e apartamentos……..de repente o governo começa a dar crédito barato a juros baixos pra construção dessas casas e apartamentos….cresce a demanda… daí já são necessários 1.5 milhão de pessoas trabalhando no setor…. não precisa ser inteligente pra concluir que essas pessoas que entram rapidamente nesse mercado de trabalho sem treinamento farão um trabalho desqualificado
      deveriam é ter feito um pronatec pra técnicos em edificação, mestre de obras, azulejista e demais cargos técnicos do setor uns dois anos antes de começarem a incentivar com crédito essa área

      Curtir

  2. o sistema implementado pelo governo lula e dilma é o paraiso das construtoras ,custo de produçao baixissimo dado ao material e mão de obra empregada e altissimos lucros.Como esta jorrando dinheiro para a construção civil e o onus a divida quem assume é o mutuário eles fazem o que querem e o pior que não é só minha casa ,minha divida são outros empreendimentos de medio padraõ que infelizmente as pessoas compram por não ter dinheiro. O mercado imobiliário esta com os preços nas nuvems é triste mas é a lei da oferta e da procura.

    Curtir

  3. O povo brasileiro, sofredor e sobrevivente do setor público, principalmente os de menor poder econômico, que muitas vezes não têm nem onde morar ou vivem em sub-habitações, são constantemente iludidos por planos governamentais como, por exemplo, esse que deveria chamar-se de “MINHA CASA, MEU TÚMULO”.
    E lamentavelmente não possuímos o “túnel do tempo”, para enviarmos nossos empreiteiros e construtoras inteiras para as cidades da Antiguidade e Idade Média, para que aprendessem como se faz construções. As de antigamente dão de dez a zero nas de hoje.

    Curtir

  4. Vão xingar muito no Twitter.

    Curtir

  5. Nome das construtoras? porque sinceramente, essa manchete deveria ser, gaúchos indignados com obras da construtora X e da Y.

    temos coragem para uma manchete dessas?

    Curtir

  6. Um brinde a inciativa privada.

    Minha Casa Minha Vida foi jogar para as construtoras o que é responsabilidade do estado, e isso nunca dá certo, a iniciativa privada visa sempre o lucro dos seus acionistas, e não a qualidade do trabalho.

    Aí você ve a qualidade dos MCMV, vê o problema da falta de água em São Paulo da SABESP privatizada, o 0km de rodovias duplicadas no RS das estradas privatizadas, as empresas de telefonia privatizadas entre as campeãs de reclamação no PROCON, o Cais do Porto privatizado que não sai do papel…e tem gente que ainda mantem aquele discurso dos anos 80 de estado mínimo. Isso fracassou, o estado precisa reconstruir sua capacidade de projetar e executar, visando a qualidade, e não o lucro.

    Curtir

    • Nem tanto ao céu, nem tanto à terra.

      O ideal é a iniciativa privada fazer e o poder público fiscalizar… Problema é que nenhum dos dois lados faz sua parte, daí fica difícil.

      Curtir

    • Cada louco que aparece por aqui…

      Curtir

    • Ta certo, vamos deixar tudo com o governo, para termos qualidade igual ao Sus e as nossas escolas publicas.

      haha

      Curtir

    • Você deve estar brincando, né? Como você consegue distorcer tudo deste jeito?

      Curtir

    • o governo tem culpa
      mas alguns defendem a iniciativa privada como se fosse uma religião
      a questão não está no governo ou na iniciativa privada, a questão está que em ambos está o b-r-a-s-i-l-e-i-r-o… esse povo malandro, maledicente, com gingado e que cava a própria desgraça com suas atitudes

      Curtir

  7. Isso acontece em qualquer condomínio. Esses tempos teve a notícia de um pomb… ops, condomínio fechado em que o encanamento de gás vazava pelas paredes, o que provocou uma explosão em uma das unidades.

    A única saída é pressionar as construtoras para que consertem. Obviamente, em unidades do MCMV as construtoras devem se atirar mais nas cordas, pois sabem que trata-se de uma clientela que não costuma estar ciente dos seus direitos, não dispõe facilmente de advogados e estão longe das sedes dos órgãos de fiscalização.

    Curtir

  8. é amigo, dessa maneira vai ficar difícil convencer as pessoas para saírem de áreas invadidas e optarem de morar em lugares com uma “boa” infraestrutura.

    Curtir

  9. Não acontece só com eles. Meu condomínio entrou com ação contra a construtora pois todos banheiros tinham vazendo a ponto de dar bolha no lado de fora do edifício. Tiveram que refazer todos e arrumar a fachada.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: