Confirmada tarifa de ônibus em R$ 3,25

Foto: Divulgação/PMPA Salário dos rodoviários é o item de maior peso (47%) na composição do valor

Divulgação/PMPA

O prefeito José Fortunati sancionou nesta quinta-feira, 19, o reajuste nos valores das passagens do transporte coletivo de Porto Alegre. A passagem de ônibus passa para R$ 3,25 e das lotações para R$ 4,85. Os novos valores valem a partir de domingo, 22, no primeiro horário operacional.

Nesta manhã, o Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) aprovou o reajuste para R$ 3,27. No início da tarde, acompanhado do diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, o prefeito anunciou o valor de R$ 3,25, R$ 0,24 centavos a menos do que foi solicitado pelas empresas de transporte coletivo. Todos os créditos no Cartão TRI , carregados até sexta, dia 20, terão validade por 60 dias pelo valor não ajustado de RS 2,95.

Fortunati destacou que a planilha da tarifa foi amplamente discutida, durante um ano, pelo Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Ministério Público de Contas e Tribunal de Justiça. “Temos a planilha mais transparente do país”, afirmou.

Composição do valor – O prefeito apresentou os principais índices que impactaram no aumento das passagens. De acordo com ele, o aumento de 8% no salário dos rodoviários, por exemplo, corresponde a 47% no peso da tarifa. Hoje, Porto Alegre tem o maior salário do país. O salário do motorista de ônibus urbanos passou de R$ 2.007,82 para R$ 2.168,45; já os cobradores tiveram aumento de R$ 1.206,00 para R$ 1.302,76.

Outro índice importante apontado por Fortunati foi o aumento em 12% no óleo diesel, correspondendo a 23% no valor final da passagem, e a redução no Índice de Passageiros Equivalentes Transportados por Quilômetro (IPK), que diminuiu em 1,98%. Fortunati salientou que o incentivo ao uso do transporte individual provocou, em 2014, uma queda de 30 mil passageiros/dia no transporte coletivo.

O prefeito lembrou, ainda, o aumento do número de isentos transportados em Porto Alegre. Somente em 2014, as linhas de ônibus transportaram cerca de 1 milhão de passageiros por dia, em média, sendo que 32% não pagaram a passagem. Desses, 100 mil são relativos à segunda passagem gratuita, 75 mil idosos e os demais divididos em Escolar, no projeto “Vou à escola”, deficientes, acompanhantes, entre outros. Por fim, destacou o aumento da frota, que, desde o Plano Real, passou de 1.433 para 1.697 ônibus cadastrados, um incremento de 18%.

“Este não é um problema de Porto Alegre, atinge todas as prefeituras, mas o processo de reajuste das passagens em Porto Alegre tem se dado de forma totalmente transparente e com o acompanhamento dos órgãos fiscalizadores”, disse Fortunati, lembrando que todo o processo de discussão está à disposição no site da EPTC.

Estudantes – A passagem para estudante fica em R$ 1,62 apenas para a primeira viagem. O prefeito lembrou, ainda, que Porto Alegre possui o passe livre social. Segundo ele, cerca de 9 mil estudantes da rede pública estadual e municipal de ensino estão isentos da tarifa através do Programa Vou à Escola. A iniciativa destina-se a alunos carentes que não conseguirem vaga em escola próxima à sua residência e que não possam arcar com o custo da passagem escolar, bem como a alunos com necessidades especiais educacionais. O programa teve início em 2010, conforme Lei Municipal nº 10.996, de 7 de dezembro.

Luta nacional – “A diminuição nas tarifas do transporte público tem sido uma luta de todas as capitais”, afirmou o prefeito e presidente da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP). A entidade, destacou ele, vem lutando para a aprovação do Regime Especial de Incentivos para o Transporte Urbano de Passageiros (Reitup), que está em tramitação no Congresso Nacional. “Calculamos que, caso o projeto já tivesse sido aprovado, poderia ter havido uma diminuição de até 20% no preço das passagens”, disse Fortunati, que esteve reunido no Ministério da Fazenda, ainda em fevereiro, quando recebeu a negativa da pasta. O Reitup prevê incentivos fiscais através de isenção do PIS e Cofins para as empresas para a compra de combustíveis e equipamentos, entre outros.

A FNP, lembrou ele, também defende que uma parte da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina e o diesel poderia ser repassada. “Agora que o governo federal está retomando a Cide, seria o momento para direcioná-la. É nas cidades que as pessoas abastecem. Parte desse valor poderia ser direcionado ao transporte público”, destacou.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Ônibus

Tags:,

14 respostas

  1. Meu carro faz 12km/litro na cidade. Considerando que faço um trajeto de 9km de casa até meu trabalho, consumo em média 1,5L de gasolina por dia para ir e voltar.
    Com o preço médio de R$ 3,10/litro, posso dizer que gasto R$ 4,65 para me deslocar diariamente, no meu horário, sem estar apertado, sem estar abafado e sem ter ficado 15min na parada suja esperando o ônibus.

    Tem como criticar uma pessoa que troca o transporte público de Porto Alegre por um carro particular?

    Curtir

    • Raciocínio meio atropelado, pois tem de se por na conta o custo anual de manutenção, roub.. opa, licenciamento e demais encargos do governo, seguro (opcional, mas meio que obrigatório), e sempre tem o risco de algum imprevisto…acho que teu valor suba um pouco.
      Não digo que seria ruim, talvez até eu faria o mesmo, omitindo estes outros poréns citados….
      Agora, onde está o benefício de se andar de coletivo? O faço por extrema necessidade mesmo, pois senão…

      Curtir

      • Bem atropelado mesmo, mas com todos os benefícios citados… Vale a pena mesmo que a conta saia um pouco mais cara.
        Acho que o Santos quis dizer que os custos são “semelhantes” mas a diferença de conforto é gritante.

        Curtir

    • To praticamente na mesma.
      Não considero os custos de seguro, ipva, etc.. pois isso é inerente ao uso diário ou somente no final de semana
      TEMPO ÔNIBUS: 2h a 2,5h dia (trajeto a pé, espera e ônibus)
      TEMPO CARRO: 40 – a 50min dia
      SEGURANÇA ÔNIBUS: 2 quadras de casa e caminhar as vezes a noite no centro, fora o próprio ônibus
      SEGURANÇA CARRO: sai do estacionamento anexo do prédio e desço no estacionamento da minha casa
      MOBILIDADE ÔNIBUS: trajeto pré definido, se eu descer tenho alguns minutos limitados para não pagar passagem no próximo onibus
      MOBILIDADE CARRO: posso ir para qualquer lugar da cidade ou parar no caminho de casa para fazer compras diárias
      Vida sedentária? Com as quase 2 horas a mais que ganho no dia eu vou pedalar ou caminhar na orla… as vezes alguns exercícios de academia.

      Em 22 dias:
      Valor ônibus: R$ 143
      Valor carro: (gas + estac): R$ 492,68

      Diferença: R$ 349,68… colocando esses pontos é neste valor que eu sempre avalio o quanto é valido ou não deixar o carro na garagem. Como meu pai diz: “eu trabalho no mínimo 8 horas por dia para pagar o meu conforto”

      ainda assim tenho planos de um dia poder ir e voltar pro trabalho de bicicleta, mais demorado que ônibus, porém estarei realizando 2 horas diárias de exercícios físicos. Não chega a ser perda de tempo.

      Curtir

    • Eu já fiz essas contas e fiquei pensando. Como pode o ônibus sar tao caro? Com toda a tecnologia não tem como fazer um ônibus mais forte e mais eficiente? Não tem como balancear as rotas otimizando o todo?

      Como pode o preço do deslocamento com o ônibus que carrega 40 pessoas ser tão parecido com um veículo com uma única pessoa?

      Curtir

    • Daí coloca nesse custo do ônibus o custo de ficar apertado dentro dele. Imagine q o cara é estagiário e ganhe uns R$10,00 por hora. Se de ônibus o cara demora 1,5 horas e de carro meia hora, o cara economiza R$10,00 indo de carro.

      Curtir

  2. A opção de se locomover com veiculo próprio é assunto privado e não merece critica se você tem como arcar com todos os custos,não só o combustivel , é por sua conta.Transporte publico eficiente e de qualidade deveria ser a prioridade dos governantes,pois alargar ruas fazer binários pontes e viadutos para absorver o transito são obras de vulto e geram dividas para a cidade muito mais até o que ela arrecada em taxas pagas pelos veiculos,a longo prazo com a manutenção das obras é uma arca de dinheiro ou um poço sem fundo.O problema do transporte publico de massas não é problema só de Porto Alegre é um problema em todo o Brasil.Como já falei se é publico o sindicato toma conta e se é privado tem de remunerar o capital ou seja tem de dar lucro.Talvez as pessoas não percebam que muitas linhas de onibus em Porto Alegre são ociosas durante grande parte do dia,tem muito onibus mas não tem passageiro.Eu não sei como é pago para as empresas o serviço se é por km rodado ou por passageiro.Pois se for por Km rodado tanto faz ter ou não ter passageiro se ganha igual.E cade a licitação cade os brts cade o metro.São perguntas sem muitas respostas concretas,só lero lero.

    Curtir

  3. Tá na hora de construímos pedágios urbanos nas principais avenidas, e usar os recursos arrecadados para subsidiar o passe livre ou desconto nas passagens.

    Curtir

    • Enquanto não houver uma rede decente de transporte coletivo, seria uma medida inócua.

      Mas, pelo menos esta medida poderia estimular os prejudicados (motoristas sem condição de pagar pedágio) a lutarem por melhorias no transporte coletivo.

      Curtir

    • E como ficam os imóveis dentro das áreas com pedagio? Vão desvalorizar.

      Como ficam os comércios? Vão receber menos compradores.

      E como ter certeza de que o dinheiro recolhido pelo governo não vai entrar pro ralo da corrupção ou da incompetência?

      Qual político cai ter coragem de criar uma medida que desagrade a maioria da população?

      Pedagio urbano não serve para financiar transporte coletivo pois a receita dele é muito pouca. Serve para restringir áreas da cidade que já estariam com circulação restrita por causa de intensos congestionamentos.

      Curtir

      • O aumento de uma miséria no salário dos motorista já e apontado como principal fator do reajuste e você me diz que um pedágio urbano com milhares de carros passando não faria diferença? Sei não… e quantos as ações desvalorizarem imóveis, e a vida, a prefeitura toma decisões pelo que e melhor para cidade, não no que e melhor para o proprietário. Na pior das hipóteses aumenta o potencial construtivo do terreno que ele volta a valorizar

        Curtir

  4. Bonecão de posto melhorou…. vai melhorar………..

    Curtir

Trackbacks

  1. Transporte Público em Red Deer | Ando de Bike no Canada
%d blogueiros gostam disto: