Primeira etapa do viaduto da Bento será liberada para o trânsito

Viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego  Foto: Divulgação/PMPA

Viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego  Foto: Divulgação/PMPA

A partir das 7h desta quinta-feira, 26, data do aniversário de 243 anos de Porto Alegre, será entregue oficialmente à cidade a primeira etapa do viaduto da Bento Gonçalves, com a liberação do trânsito de veículos. Os condutores que circulam nos dois sentidos da Terceira Perimetral, avenida Aparício Borges, poderão transpor o cruzamento com a avenida Bento Gonçalves sem interrupções, ganhando tempo significativo nos deslocamentos.

A liberação de uma das mais importantes obras de mobilidade da Capital terá a presença do prefeito José Fortunati e dos secretários dos órgãos envolvidos. O objetivo do viaduto é qualificar o fluxo de mais 80 mil veículos que circulam por dia na região, conforme dados da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Para facilitar a orientação aos condutores e pedestres, foram instaladas 25 novas placas indicativas de trânsito no local.

A obra de mobilidade, que interliga as avenidas Salvador França e Aparício Borges, sobre a avenida Bento Gonçalves, faz parte das cinco obras da Terceira Perimetral (além das passagens de nível das avenidas Ceará, Anita, Plínio Brasil Milano e Cristóvão Colombo) e é uma intervenção urbanística já prevista no projeto original. A obra é executada pelo Consórcio Nova Bento (Construtora Cidade Ltda e Sultepa Comércio e Construções Ltda), vencedor da licitação, com custo de R$ 79,4 milhões.

“A primeira etapa da liberação será somente para veículos. Nas próximas etapas, que têm previsão de conclusão no primeiro semestre, serão liberadas as alças laterais e a estação de ônibus. A partir disso, o transporte público também vai utilizar o viaduto. Acreditamos que a obra vai facilitar muito a vida das pessoas, sendo a principal alternativa, mais ágil e segura, para interligar as zonas Norte e Sul”, afirmou Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC.

O viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego, rampa com declividade de 8% para veículos e de 6% para corredor de ônibus. O viaduto vai incorporar estação de ônibus do corredor da Terceira Perimetral e alças laterais para acesso a Bento Gonçalves. A altura mínima entre a superestrutura do vão do Viaduto e a Bento Gonçalves é de 5,5 metros. Nos retornos sob os acessos ao vão central, a altura livre é de 3,8 metros.

Desvios – Nas próximas etapas, as alças laterais serão liberadas ao tráfego e os trabalhos para a estação de ônibus São Jorge, concluídos. Com isso, os usuários de transporte coletivo poderão realizar a integração entre as linhas que circulam na avenida Bento Gonçalves e Terceira Perimetral (Aparício Borges). Até a conclusão da segunda fase das obras do viaduto, o desvio implantado pela EPTC segue valendo para as linhas ônibus, em razão da continuidade das obras na estação São Jorge, que segue bloqueada para embarque ou desembarque.

Os condutores que pretendem acessar a Bento Gonçalves, nos dois sentidos, vindos das avenidas Aparício Borges ou Salvador França, também deverão utilizar o desvio, pois as alças laterais ainda não estão concluídas.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Viadutos e pontes estaiadas

Tags:, ,

22 respostas

  1. Essa é uma ótima oportunidade de pegar em flagrante os pichadores de muros. Aposto que se deixar um policial disfarçado próximo ao viaduto ele pega algum vagabundo…

    Curtir

    • Aproveitando o gancho, olhando as imagens do topo deste blog, mas bah, são dignas de uma mostra fotográfica com um título talvez de “Um Porto não muito Alegre”. Parabéns aos autores das imagens.

      Curtir

  2. Maldita muralha da cultura egocarrocentrica!
    Daqui a dez anos vão derrubar essa vergonha!
    Rio demoliu-a perimetral elevada para projeto do porto maravilha.
    SP decidindo se vão demolir parcialmente ou total o minhocão.
    E porto alegre como sempre… Aff… Na contramão.
    Malditos seja o lobby do automóvel e malditos sejam os provincianos egocarrocentricos Porto Alegrense.

    Curtir

    • Nesse caso acho que o principal é o loby das empreiteiras e construtoras que pagaram a campanha do Fortunati e cia. Ninguém doa esse montante de dinheiro de graça. Como diz o Felipe, é a logica de “o que posso fazer pela cidade, com dinheiro publico, construído?”

      Curtir

    • Eu gostaria que pessoas que pensam assim dessem uma solução para o transito de Porto Alegre.
      Eu faço um trajeto de carro que demoro 20 min. e que de ônibus levaria 1:30 h. De bicicleta não tem como porque não tem ciclovia. Então eu pergunto pessoal contra viadutos, pontes, estradas me deem a saída para eu fazer meus trajetos mais rapidamente ou vocês acham que eu devo perder 3 horas do meu dia no transito dentro de um ônibus lotado?

      Curtir

      • Tu mesmo respondeu: por que o ônibus demora 1h30? Falta corredor de ônibus talvez? Temos que fazê-lo. E botar ar condicionado.

        Curtir

      • Poderia desregulamentar o transporte público também. Se eu quiser oferecer esse serviço aqui em POA eu sou proibido por lei. Pode?

        http://thecityfixbrasil.com/2015/03/25/esqueca-tudo-sobre-onibus-conheca-o-leap/

        Curtir

      • Aqui tem uma solução:

        Curtir

      • Esse projeto aí que o Pablo postou é fantástico, inclusive é da Metroplan. Entretanto, nunca mais ouvi falar. Infelizmente, vai ser mais uma coisa renegada à Porto Alegre das maravilhas… das ideias de papel.

        Curtir

      • Dois órgãos da prefeitura encrencaram com o Catamarã porque um trecho ia ser municipal e outro trecho ia ser interminucipal. Daí vemos que o entrave no transporte integrado na Região Metropolitana é “simplesmente” político.

        Curtir

      • Se voce realmente espera que tenha ciclovias em todas as ruas do seu trajeto para.poder andar de bicicleta pode esquecer, nem na europa todas ruas tem ciclovia.

        Mas se quer usar isso como desculpa para nao pedalar, ai sim! Servira para toda a vida essa desculpa

        Curtir

  3. Pedestre: desfrute do prazer de ter que subir e descer de um prédio para atravessar a rua.

    Curtir

    • Cara, creio que ainda vá ter a estação de ônibus do corredor da Bento, pois ali é eixo de integração norte-sul com a zona leste. Muita gente desce ali e troca de ônibus. Imagino que em virtude disso, ainda vai existir semáforo pra pedestre na parada ali. O suposto ganho, é pra quem circula pela 3ª perimetral, pq ali tinha sinaleira de 3 fases.

      Curtir

  4. Nasce o monstrengo…

    Curtir

  5. Segundo a ZH, Capellari disse que vai melhorar o trânsito em 15 minutos. Sim, 14 deles relativos ao desvio da obra e 1 da sinaleira que tinha ali. ¬¬

    Curtir

  6. Boa parte do problema desse cruzamento, antes do viaduto, era que o semáforo do cruzamento era de três tempos:

    1) para quem vinha pela Bento (nos dois sentidos);
    2) para quem vinha pela Aparício (nos dois sentidos) e
    3) para quem vinha pela Aparício sentido Norte->Sul e faria a conversão à esquerda, pegando a Bento no sentido centro-bairro.

    O mais coerente, num cruzamento dessas dimensões, era criar uma alça de quadra para o motorista que quisesse fazer a conversão do caso (3), e deixar o semáforo apenas com dois tempos. Certamente, 50% do problema estaria resolvido.

    Agora, com o viaduto, não se pode mais fazer essa conversão do mesmo jeito. Por que será que não fizeram esse teste antes de decidirem fazer a obra?

    Curtir

  7. Eis um prefeito que bate palma para os carros. Essa eu nunca tinha visto!
    http://bancodeimagens.procempa.com.br/visualiza.php?codImagem=137858

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: