Serenata Iluminada do Cais Mauá reúne centenas no Centro

Grupo propõe diálogo sobre espaço público e se manifesta contra reforma prevista para o cais

Serenata iluminada movimentou o Centro na noite deste sábado | Foto: Fabiano do Amaral

Serenata iluminada movimentou o Centro na noite deste sábado | Foto: Fabiano do Amaral

Centenas de pessoas compareceram ao evento Serenata Iluminada do Cais Mauá, Centro de Porto Alegre na noite deste sábado. A proposta dos coletivos que organizaram e apoiaram o evento é propor uma reflexão sobre o uso dos espaços públicos de Porto Alegre. Músicos e outros artistas populares apresentaram-se em meio às pessoas.

A Brigada Militar não soube precisar a quantidade estimada de participantes, que se reuniram na avenida Sepúlveda, em frente ao pórtico de entrada do cais. Não houve, conforme a BM, registros de confusão.

Em carta aberta publicada pelo Grupo Porto Alegre.cecê na página da Serenata Iluminada no Facebook, o grupo critica a falta de participação popular na decisão sobre a reformulação do Cais Mauá, além das propostas estabelecidas para a reforma, como a construção de shopping center e de três torres às margens do Guaíba – algo que contraria o plano diretor de Porto Alegre.

“Entendemos que a cidade não pode ser tratada como mercadoria, e sim como espaço compartilhado de interação, apoio mútuo e fortalecimento dos que nela habitam”, ressalta a carta aberta publicada na rede social.

Correio do Povo



Categorias:Projeto de Revitalização do Cais Mauá

Tags:, ,

66 respostas

  1. Se a cidade fosse tratada como uma mercadoria, seria bem cuidada, valorizada, protegida, limpa, organizada e desejada. O que falta para Porto Alegre é exatamente ser tratada como um mercadoria.

    Curtir

  2. O marinha do brasil e a redençao estao nos conformes das exigencias dessa turma. Pq nao fazem esse mesmo mutirao para contestar a sujeira, o abandono, a drogadiçao,os estupros e todas as maledicencias que esses espaços publicos tao democraticos e que “toda a populaçao pode frequentar” se encontram? Será que vale a pena aderir a causa dessa turma? Isso me cheira a ranço ideologico, ou estou errado? Deus me livre o futuro do cais nos conformes das exigencias dessa turma!!!!

    Curtir

  3. http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/552005/Mutirao-realiza-limpeza-no-Parque-da-Redencao-

    Existem vários grupos ativistas na capital, alguns protestam, outros agem. Enquanto a maioria das pessoas só pragueja

    Curtir

  4. Sendo ou não tratada como mercadoria, fato é que, POA está jogada ao léu,,,,isso é fato; parece que nossos lideres politicos querem fazer de nosso espaço público, algo de sua própria obra de propriedade única, onde quem tem direito, não pode opinar e pouco , muito pouco participar. Fazer grandes obras, e muitas e mais importantes inacabadas, é o forte de nosso estado, municipio e governo politico. Mas de que adinat criar e evoluir nossa cidade, se não temos o direito de usufruir dessas inovações???? Fazer de nossa Capital um ponto turistico, onde não há segurança alguma, saúde – zero, educação – zero, sendo estas trêz a base de uma boa estrutura social ??? Pensemos antes de mudar nomes de ruas e investir em melhorias viárias e prediais, em nosso Povo em nosso bem físico e pessoal de cada um nessa Capital tão cheia de perpectivas e riquezas humana, que, como em todo o País. está de lado, jogada num canto sem interesse do poder publico.
    Teem de organizar a casa, para depois dazer-se as reformas. de muita obra que desde antes da copa do mundo, não foram terminadas; a BR448 foi uma das últimas a ser iniciada, e a 1ª a ser acabada e ainda cheia de defeitos na estrutura. chega de mecher onde não é preciso, vamos cobrar e exigir que o que está necessitando de concerto seja arrumado, para depois, mexerem no nosso lazer, praças, parques e prédios históricos para o nosso bom usufruto, com segurança de qualidade, onde vagabundo deve ser preso e ficar na cadeia, hospitais funcionem quando precisar-mos se , durante uma caminhada um fim de semana no parqque…com nossa familia, educação de qualidade, nem precisa de qualidade, basta existir em nossas esciolas em ruínas, para que nossos filhos(as) saibam cuidar e preservar nossa cidade…….. Estou cansado de ver ruas mudando de nome, obras que começam e não terminam, milhões e bilhões sendo noticiado em obras que começam e não terminam por falta de verba, assaltos ao comércio, nas ruas contra nossa mulheres, filhas e filhos, nossos velhos, e nós mesmos; não podemos usufruir de nada que a cidade nos proprociona, pois, não temos segurança. Segurança só funciona para os poderosos, os politicos. Usam nosso imposto em pról deles mesmos…..

    Curtir

  5. Agora é tarde. A esquerdalha vadia e drogadita já se reproduziu. Cada vez mais vale o ditado “Artista bom é artista morto; ou no mínimo, exilado.”

    Curtir

  6. Esse pessoal só critica as propostas pro Cais, pra revitalização da Orla, pro Pontal, mas apontar PROPOSTAS e SOLUÇÕES nunca fizeram!

    Olhem a vergonha que é o entorno do Gasômetro, não há um espaço decente para se tomar um café ou almoçar, equipamentos públicos mal-cuidados, lixo por todo lado e muita insegurança. É disso que precisamos mais??

    Curtir

  7. João; há toda uma ideologia da destruição por trás desses grupelhos de criaturinhas desocupadas. Elegeram um demônio a ser combatido; o capitalismo. Colocaram na cabecinha oca deles, que o marxismo é a solução para os problemas da humanidade. Tudo o que for iniciativa privada deve ser rechaçado, pois na área do empreendedorismo, os melhores se destacam, e os ruins afundam. Isso evidentemente é contra eles, que são uns bostas. O que eles querem é mamar nas tetas do estado e poderem obter dinheiro fácil para fumar o cigarro do capeta.

    Curtir

    • Pra variar nosso guri de apartamento não frequenta nem lê nada a respeito daquilo que critica. Chegou a ir lá dar uma olhada ou vai ficar nas frases prontas?

      Curtir

      • Casualmente passei à frente do portão central do Cais no sábado. Havia uns 20 MIB (men in black) fazendo a segurança do local. Regra rígida: quem não tinha um baseado no bolso erra barrado.

        Curtir

      • “quem não tinha um baseado no bolso erra barrado” – quer dizer que tu acha que alguém da festa entrou no cais? hahaha

        Curtir

  8. Estranho é que antes de resolverem melhorar o caís, ninguém falava nada, não existia serenata, nada do tipo.

    Quando envolve a redenção, é pra criticar a idéia de por cerca, e agora o caís, essa brincadeira.

    Eles não querem negociar, eles querem que o cais não tenha prédios, shopping, e o que for, eles querem algo que a iniciativa privada não teria condições de fazer, e a prefeitura menos ainda.

    É politicagem, não adianta, e acreditem ou não, conseguem mobilizar muitas pessoas com historias bizarras.

    Curtir

    • Concordo. Mas a questão é que não dá pra negar que eles se mobilizam e conseguem se fazer ouvir.
      O que falta é mobilização de quem é a favor das melhorias, pra fazer as autoridades ouvirem os seus anseios. Enquanto nós resmungamos num blog, eles se mobilizam. Simples assim.

      Curtir

  9. Bem, já que os coxinhas de sempre já se manifestaram, vou falar da posição de quem foi lá dar uma olhada.

    Não houve conflito algum. Não houve sequer um protesto. O pessoal lotou a praça da alfândega e ficou ouvindo um som, bebendo sua cerveja, namorando, etc.

    Oficialmente se pediu mais DIÁLOGO na forma da exploração do cais.

    Se muitos tem problemas com isso, me desculpe, mas só posso lamentar.

    Curtir

    • “Bem, já que os coxinhas ”

      Eu sempre soube.

      Curtir

    • Ah, se foi esse o motivo da aglomeração, eu concordo.

      Independente de ser favorável ou não à obra (e eu sou favorável), acho um saco a falta de transparência do poder público sobre a forma como será realizado o projeto, pois não há detalhamento do projeto, do motivo para ele estar parado etc..

      Curtir

      • Por que não devemos confiar nos políticos aliados com seus financiadores de campanha né rsrsrsrs

        Curtir

      • Adoro quando tu confirma tua viés politiqueira e tendenciosa.

        Curtir

      • Felipe X, aparentemente tu é o único com “viés politiqueira e tendenciosa”. Ninguém mais aqui é tendencioso nem defende nada com uma opinião pré-concebida. O resto é só meritocracia, né?

        Curtir

      • E viva o binarismo…

        Curtir

      • Adriano, em anos de blog nunca vi tu falar nada além de encher o saco.Procurar uma palavra num texto e concluir mil coisas sobre uma pessoa é um exemplo.

        Antonio, não falei em viés politiqueira, mas concordo contigo que é mais fácil pra ti pensar isso de mim. Eu penso que o pessoal é conservador e preconceituoso. Se tu não conhece um grupo e fica chingando sem qualquer capacidade de debate de idéias, é isso que és.

        Curtir

      • Felipe X, acho que o Antônio estava sendo sarcástico com o resto do pessoal.

        Curtir

      • Caso tu estava te referindo aos políticos e os financiadores, eu não preciso ter viés algum. Aliás meu comentário é sobre todo e qualquer partido. É só ver quem está do outro lado do balcão no lava jato, ou quem recebeu o dinheiro para construção do porto de Mariel, a lista não acaba nunca.

        Curtir

      • Felipe, não entendi tua colocação… Ficou fora de contexto…

        Curtir

    • “O pessoal lotou a praça da alfândega e ficou ouvindo um som, bebendo sua cerveja, namorando, etc.” (Felipe X)
      Todos imensamente preocupados com o projeto.

      Curtir

      • Para variar se acha tão superior que cabe a si dizer como os outros devem se manifestar e viver sua vida.

        Curtir

      • A vida de cada um, é da conta de cada um. Agora, por questão de lógica, já que a justificativa deles era participar das discussões sobre o projeto do cais, eles poderiam ao menos, participar na íntegra, você não acha? Beber, passear e namorar poderia ter ficado para outro momento…mas claro…sempre entendendo que cada um sabe cuidar de si, como você apropriadamente disse.

        Curtir

      • E ontem teve discussão sobre o projeto do cais, por acaso? O pessoal só se reuniu como forma de pressão por mais diálogo (justa, pois a Prefeitura nunca deixa claro os projetos de obras).

        Discutir o projeto, em tese, se faz nas audiências públicas. Você vai?

        Curtir

      • Não vou. O cheio da maconha me deixa enjoado.

        Curtir

      • “eles poderiam ao menos, participar na íntegra, você não acha?” – como se o projeto não foi discutido? Sério, tu não entendeu nada.

        Curtir

      • Ah entendi, Felipe. Está provado então que eles estavam lá só pra encher o saco por antecipação. Típico do grupelho.

        Curtir

      • De encher o saco tu entende bem.

        Curtir

      • Aprendi por osmose.

        Curtir

  10. Boa sorte meus caros Porto alegrenses. Boa sorte. Vai nos restar ir aos shoppings como sempre. Ainda bem que o Iguatemi está expandindo.

    Curtir

  11. Eu achei uma perda a retirada dos guindastes. Eles eram elementos dramáticos, verticais, deveriam ter sido mantidos. Foram desmontados e vendidos como sucata, por 7 mil cada, não foi isso??

    Tenho umas fotos tão bacanas deles. Será aquele tipo de coisa que daqui uns anos as pessoas irão nos perguntar “Como deixaram retirar algo tão bacana??”

    Que nem hoje em dia as pessoas perguntam dos bondes, da estátua do Guaiba, o mata-borrão, mercado modelo, enfim…

    Curtir

    • Horrível né! Também achei um absurdo terem removido o navio paraguaio que estava ancorado no cais há mais de 10 anos; ele dava um charme todo especial ao local, como elemento dramático vertical.

      Curtir

      • Que tipo de navio é vertical? O Titanic depois que afundou?

        Curtir

      • Acho que são duas coisas bem distintas, ele estava bem danificado, honestamente não sei se tinha o que fazer. Mas as vezes pode funcionar, na Europa é cheio desses lugares meio decadentes mas extremamente chiques.

        Eu já fui em portos revitalizados que tinham navios que foram transformados em restaurantes onde você fica em mesas na proa, mas eram bem diferentes no navio paraguaio.

        Uma vez eu vi na Europa a revitalização de um espaço que tinha guindastes como estes, e eles colocaram uma luminária no topo do guindaste, e você colocava uma moeda numa máquina e podia controlar o faixo de luz, então as pessoas brincavam de direcionar ele pra uma pessoa, ou um casal de namorados, enfim…

        Mas em Porto Alegre parece que as pessoas tem um ódio pelas coisas, pra destruir, derrubar, transformar em sucata, são os primeiros.

        Curtir

      • Mea culpa. Navio horizontal….se bem que navios também possuem duas dimensões no plano 2D.

        Curtir

      • Uau, um gênio da perspicácia.

        Curtir

      • Sempre procuro explicar de um modo que todos possam compreender sem consultar o léxico, Felipe.

        Curtir

      • Eu disse que os navios são predominantemente horizontais, não que não tem partes verticais. A gente vive num mundo de 3 dimensões. Mas o ponto é que eu estava apenas fazendo troça do seu comentário por ter tentado ridicularizar o amigo sem ter absorvido nada do que ele realmente disse. Abra$$o

        Curtir

  12. Fico até triste de pensar, nossa, que vergonha

    Curtir

  13. Tem comentários aqui que são dignos de uma denúncia pra PF.

    Curtir

  14. É frustrante ver como tem gente que pode passar anos aqui sem nunca escerver nada que preste e sem nunca aprender nada. E esse pessoal barulhento estraga qualquer tentativa de haver um debate decente, isso cansa.

    Curtir

  15. “É frustrante ver como tem gente que pode passar anos aqui sem nunca escerver nada que preste e sem nunca aprender nada.”
    Não seja tão cruel consigo mesmo, Felipe.

    Curtir

  16. essa crítica se faz desde o anúncio do projeto, lá por 2011/2012. Diziam que ia ser instalado um escritório que receberia as contribuições da população biriri. Nem escritório, nem a empresa que vai fazer e acontecer apareceu até o momento.

    Curtir

    • Tu tá querendo demais exigindo o conhecimento destes fatos por parte de alguns debatedores…

      Curtir

    • Pra mim está claríssimo que não haverá projeto algum que lembre o render do shopping e dos prédios. O que vão fazer (se fizerem), será uma guaribada em alguns armazéns. Toda aquela badalação de hiper-mega-giga projeto era mais um pega ratão. E outra coisa; esse novo projeto do estaleiro também entra no mesmo caso de render-factóide.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: