Cinzas de vulcão chileno chegam a Porto Alegre

Extremo Sul do RS teve cores diferentes no pôr do sol desta sexta-feira

Extremo Sul do RS teve cores diferentes no pôr do sol desta sexta-feira | Foto: Daniel Badra/Especial CP

Extremo Sul do RS teve cores diferentes no pôr do sol desta sexta-feira | Foto: Daniel Badra/Especial CP

Uma mancha cinzenta no horizonte indica que as cinzas do vulcão chileno Calbuco atingiram Santana do Livramento, na Fronteira do Rio Grande do Sul. De acordo com Metsul, imagens de satélite mostram a nuvem alcançando com maior densidade e em elevada altitude a região do Chuí e com menor densidade a área da Campanha. O material lançado chegou à Porto Alegre por volta das 22h, nos níveis mais altos da atmosfera.

Dos pontos mais elevados de Livramento, e da cidade vizinha, a uruguaia Rivera, foi possível vislumbrar, no fim da tarde, uma nebulosidade cinzenta em meio às nuvens. As colorações do pôr do sol tiveram tonalidades diferentes em pontos mais atingidos pelo material expelido pelo Calbuco.

De acordo com o coordenador do Departamento de Treinamento de Voo da PUCRS, professor Lucas Fogaça, as cinzas do vulcão podem causar problemas em aeroportos ou em voos. No caso de Porto Alegre, a probabilidade é de que possam ocorrer problemas apenas para voos da Capital para regiões afetadas. “Como em Porto Alegre devem chegar apenas resquícios das partículas, o aeroporto Salgado Filho em si não deve ser atingido”, disse. Na questão dos voos, o professor afirma que o acúmulo de cinzas pode corroer os equipamentos de uma aeronave. “Essas partículas são extremamente abrasivas. Elas podem prejudicar as asas, a cabine e, principalmente, a parte interna dos motores”, relatou.

Conforme Fogaça, dependendo da densidade da nuvem pode ser julgado que o voo não será afetado. “A companhia aérea é que opta pelo cancelamento da rota”, disse. “Os voos mais distantes não tem tanto combustível para desviar da rota”, comentou o professor. “Não há muito o que fazer, tem que esperar passar”, completou.

Enquanto as cinzas do vulcão começam a se deslocar para o Estado, as operadoras e agências de viagem já temem prejuízos por conta do fenômeno. O principal destino prejudicado é Bariloche, onde os voos já estão cancelados. “O setor está alarmado caso o vulcão por mais tempo em erupção”, afirmou a vice-presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem do RS (ABAV-RS), Rita Vasconcelos.

Nas próximas 24 horas se espera que mais regiões gaúchas tenham cinzas em dispersão na média e alta atmosfera. No entanto, não deve haver riscos e os efeitos percebidos devem ser apenas na percepção de tom mais acinzentado do céu. O vulcão Calbuco registrou duas violentas e surpreendentes erupções na última quarta-feira após meio século de inatividade, o que provocou espanto nas cidades de Puerto Montt, Puerto Varas e localidades próximas, 1,3 mil quilômetros ao Sul de Santiago. Cinzas chegaram a cidades da Argentina e do Uruguai ainda na quinta.

Imagem de satélite mostra cinzas sobre a Capital:

imagem-satelite-cinzas-vulcao

Correio do Povo



Categorias:Clima

Tags:, ,

4 respostas

  1. Interessante a matéria fazer referência tão somente a possíveis danos em aeronaves, em especial ao Aeroporto Salgado Filho, aquele que gastou uma fortuna imensa para colocar o Aeromóvel fazendo aquele “longo e turístico” trajeto. Mas não menciona nada sobre orientações/informações a população. Até porque a gauchada respira, ainda mais em final de semana de Grenal. Seria interessante publicações a respeito.

    Curtir

  2. As cinzas do Calbuco deixaram Porto Alegre com cara de Porto Alegre.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: