Parque cercado de mistérios!!!, por Adeli Sell

Parque da Redenção. Foto: Gilberto Simon. Arquivo Porto Imagem

Parque da Redenção. Foto: Gilberto Simon. Arquivo Porto Imagem

Cercar ou não cercar! Esta não é uma questão correta, apesar de um vereador teimar há 24 anos com o tema, sempre cavando mídia, fazendo proselitismo. A questão definitivamente é outra. Porque deixamos de frequentar e curtir a vida em espaços públicos de dia, quiça à noite? Esta sim é uma razão verdadeira e oportuna de averiguar, pois a violência não será impedida de ocorrer com o simples fechamento de uma área pública. Ela só não vai acontecer, quando o sistema de segurança funcionar. Portanto, este tema é falso, a questão é demagógica.

O poder público local passa, segundo afirmam seus gestores, por dificuldades financeiras graves. Logo, não investirá no cercamento de parques. O povo tem o direito de saber disto. As pessoas querem mais segurança como, melhor atendimento no posto de saúde.

Nós deveríamos reivindicar mais vigilância através de policiais e guarda-parques frequentemente presentes; ronda da Guarda Municipal num processo combinado com a Brigada Militar.  As secretarias e os poderes, no entanto, não se falam, não se combinam. Logo, nada vai dar certo deste jeito. Nós deveríamos reivindicar melhor iluminação, controle e fiscalização, pois os crimes são na maioria das oportunidades, o fruto da impunidade.

Deveríamos ser chamados a comprar o jornal em uma banca do parque, mas a Smam não deixa. Deveríamos poder alugar uma bicicleta, só para circular em áreas permitidas deste ou daquele parque. Não deixam. Não organizam. Deveríamos ser chamados a continuar andando com nossos cachorros, com um saquinho para o seu cocô mais à mão, mas nada disto existe.

As árvores poderiam ser sinalizadas com seu nome vulgar e científico por um convênio da Smam com as Escolas de Biologia, para que professores(as) pudessem levar suas turmas para estes espaços e aprender não só com as árvores, mas com outros elementos do parque, por exemplo, um espaço para o lixo orgânico, outro para o reciclável. Mais um local para deixar nosso óleo de cozinha que tanto polui.

Por que tantos mistérios em torno da Redenção? Ou melhor, nome oficial, Parque Farroupilha… Ele fica no coração da cidade. Fica perto de tudo. Tem gente de todos os lados, de todas as classes, tem consumidores. Porque as pessoas compram, estão ávidas dentro deste processo do Capital por comprar e adquirir coisas. Logo, se o poder público não puder pagar a cerca, alguém banca e põe sua publicidade e vai ditar normas . Ou alguém acredita no contrário?

Não somos contra a parceria entre o público e o privado. Mas que o público, a circulação, a não poluição prevaleçam. Se quiser ajudar, pode. Quer deixar sua marca, deixe, de forma discreta como no resto do mundo, em equipamentos que faltam nos parques, como as academias ao ar livre. No Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, em Esteio, colocamos uma academia pelo Banco Sicredi, sem desfigurar nada. Isto é aceitável e desejável.

No entanto, esta fúria misteriosa em torno do nosso principal Parque nos leva a crer que tem interesses outros que não a essência do interesse pelo bem comum. Lastimável que a ingenuidade de muitos usuários deste espaço entrem neste papo de mais segurança, de mais isto ou aquilo.

Segurança se conquista com o uso permanente dos espaços. Se houver algum ponto de venda de drogas, quem deve agir é a Polícia. Se o espaço for ocupado por moradores de rua – como é comum hoje em dia em Porto Alegre – deve entrar o serviço social da FASC. Se tem gente alcoolizada e drogada deve entrar o serviço de saúde da municipalidade. Equipem os guarda-parques, façam a Guarda e a Brigada circular, façam o Denarc trabalhar por “batidas” em horas inesperadas, a maioria das ilicitudes irá desaparecer.

Estamos invertendo tudo.

Não vejo parlamentares demandando o essencial. Alguns até deixam criar este caldo de cultura, estado de natureza (barbárie) para apresentar o milagre da multiplicação dos bens e dos ganhos. A História mostra o contrário no mundo inteiro. Não é porque temos alguns parques bons e bonitos cercados pelo mundo afora que isto deva ser a regra para o usufruto tranquilo e sereno de um Parque.

Se estes apontamentos que fizemos fossem realizados,  se tivéssemos abertos a pensar o uso público e não privado destes espaços, este debate não se colocaria. Tomou vulto agora, obteve uma maioria na Câmara Municipal, porque houve uma deteriorização dos espaços públicos na cidade.

Lastimável como o Projeto são as emendas de todos os tipos e gostos, todas para marcar uma posição, ajudando neste atraso de rebaixamento do debate e da busca de soluções. Afinal, se quisermos que a cidade seja uma cidade para todos, que os parques sejam para todos, é bom não se irritar com quem pensa diferente de você, não caluniar quem se opõe, mas abrir seu coração e mente para o verdadeiro debate e suas soluções.

Quem quiser mesmo uma cidade para todos, deve lutar para que ela funcione 24 horas por dia, num processo tal que o poder público tenha incidência sobre o privado, ordenando o (com)viver entre pessoas, sinalizando as boas práticas de civilidade, deixando de sancionar medidas contrárias à Lei e à civilização.

ADELI SELL – escritor e consultor.



Categorias:Parques da Cidade

Tags:, , ,

11 respostas

  1. Prezado Simon, bom dia.
    sobre o tema de cercamento da Redenção, tenho as seguintes considerações:
    1º Os parques nas cidades européias são cercados e a noite depois de um determinado horário são fechados.
    2º Em Porto Alegre temos o exemplo do Parque Germânia, que é cercado e a noite depois das 23hs é fechado.
    No caso do Germânia o vandalismo é diminuto em relação à outros logradouros de nossa cidade, razão pela qual sou totalmente favorável ao cercamento da Redenção com o objetivo manter aquele que é o melhor parque da cidade em melhores condições.
    Grato.
    Ricardo Sessegolo.

    Curtir

    • A grande maioria dos parques nas cidades europeias NÃO são fechados durante a noite, apenas alguns poucos são.

      Curtir

    • O Campus da UFRGS é cercado, o da PUC tb, um é seguro e outro não. Cercar e não por nenhum guarda como a UFRGS faz não adianta nada. O parcão não é cercado e não tem problemas como a redenção. Se for por essa lógica, cerquem o parcão tb antes que os problemas da redenção migrem pra lá. A questão é cerca não resolve, Polícia resolve. Pra que serve a guarda municipal? Mais, a redenção podia ser sede da Guarda-Municipal na região central, podiam ter um posto de atendimento permanente ali no parque. Poderiam até usar o café do lago, já que os empreendimentos ali fracassaram.

      Curtir

  2. Desta vez concordei 150% com o texto do Adeli. Nada como estar afastado do poder para que as ideias fluam de forma menos politiqueira.
    Porto Alegre é um lixo de cidade, com uma latrina de Câmara de Vereadores e uma fossa séptica de Executivo. Tudo o que é emanado dos nossos detestáveis edis cheira escremento.

    Curtir

  3. “Não vejo parlamentares demandando o essencial.”

    Capaz… achei que só eu que percebia isso e estava julgando mal nossos nobres parlamentares!

    /ironicoff

    Curtir

  4. A população vai votar contra o cercamento.

    Houveram casos de assassinatos e estupros ali, mas nenhum deles causou de fato uma comoção na população ao ponto de votarem em massa pelo cercamento.

    Curtir

  5. Na minha opinião, não vejo clara a serventia do cercamento proposto. Se hoje a população não se arrisca a entrar de noite no parque, com o cercamento e fechamento à noite, não vai poder entrar também.
    Será que, caso aprovado esse cercamento, e dada a falta de recursos da prefeitura para bancar essa obra, alguém não vai propor uma parceria público /privada, entregando uma parte do parque para nele construirem espigões ou um shopping?

    Curtir

  6. Quanta besteira.

    Como se a Pepsi tivesse se tornado dona dos parques, ou a Coca Cola em frente ao mercado publico.

    O Zaffari ta fazendo grandes obras na redenção pra poder fazer um novo shopping, o Praia de Belas deu uma cara nova na São Pedro, também por causa das obras, não precisa desse desespero todo.

    E queira ou não, como já falaram, olha o germania, como é mais cuidado e seguro, é cercado.

    Moro em uma das regiões com um dos maiores números de roubos de carros, a praça em frente a minha casa é cercada, a policia diversas vezes pegou traficante ali, justamente por causa da tal cerca, vi isso muitas vezes.
    As cercas podem não ser a solução, mas ajudam sim.

    Não temos policiais nem pro dia a dia da cidade, ainda querem uma tropa pra cuidar do parque? Não sei se sabem, mas o estado ta falido, e a prefeitura não ta esbanjando muito também.

    Curtir

  7. O Parque Germânia, cercado, foi totalmente pichado na véspera da inauguração. Foi inaugurado com tinta fresca nos bancos e a segurança foi reforçada. Prova de que a solução é a segurança, e não o cercamento.

    Curtir

  8. A grande pergunta é:
    – Se a Redenção fosse cercada, você entraria lá de madrugada?
    Resposta: Não.

    O que é preciso?
    – Dividir a redenção em um sinal de + .
    tendo acessos Norte, Sul, Leste e Oeste, para circular a noite, (os demais espaços a noite não deveriam ser utilizados para evitar assaltos).
    Nesses corredores principais, a iluminação deveria ser melhorada e ter policiamento.
    Pronto você já pode atravessar a Redenção a noite com segurança, basta trilhar um caminho principal ilumina-lo e policia-lo, e não precisar cercar um parque e desviar um monte de dinheiro desses políticos corruptos…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: