Porto Alegre mobiliza ações para revitalização do 4º Distrito

Capital mobiliza ações para Revitalização do 4º Distrito e atração de investimentos  Na foto: Beyond Bulding Barcelona (BBB) aborda cases de revitalização urbana como o projeto local @22 Barcelona Foto: Divulgação/PMPA

Capital mobiliza ações para Revitalização do 4º Distrito e atração de investimentos Na foto: Beyond Bulding Barcelona (BBB) aborda cases de revitalização urbana como o projeto local @22 Barcelona. Foto: Divulgação/PMPA

A prefeitura da Capital inicia uma série de ações para buscar a ampliação do desenvolvimento econômico e urbano de Porto Alegre. Uma delas é a criação de um grupo de trabalho (GT) envolvendo áreas estratégicas para definir um planejamento para a revitalização da região do 4º Distrito. Nesse sentido, nesta segunda-feira, 18, o coordenador do PoAdigital e integrante do GT 4º Distrito, Thiago Ribeiro, embarca para Barcelona, a convite da prefeitura catalã, onde participa da Beyond Bulding Barcelona (BBB), evento internacional que abordará, entre outros temas, cases de revitalização urbana como o projeto local @22 Barcelona.

“Esse projeto, já reconhecido no mundo inteiro, é um exemplo da união de forças entre poder público, iniciativa privada e academia. É um cluster criativo que se propõe a concentrar empresas e profissionais ligados ao design, à tecnologia da informação e da comunicação, às ciências médicas e às novas fontes de energia, segurança, entre outras, e constitui uma referência importante para o que pensamos para a região do 4º Distrito”, afirmou. Ribeiro ressalta também que está prevista uma agenda com o projeto Barcelona Ativa, que é a agência de desenvolvimento local da prefeitura, voltada à comunidade empreendedora, sobretudo às startups.

A definição do marco regulatório do 4º Distrito é outro ponto de destaque que será trabalhado e deve ser uma das alavancas do desenvolvimento da região e um dos principais diferenciais para atração de investimentos. Nesse sentido, a experiência de Barcelona também tem muito a acrescentar, pricipalmente na fase de planejamento.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

4 respostas

  1. Interessante.
    Mas com a crise chegando, acho difícil encontrar empresas, ao menos para fazer prédios residenciais e comerciais.

    Trazendo grandes empresas, como dos setores de tecnologia, dando incentivos, pode ajudar, mas, na minha opinião, uma zona sem residencias não tem vida.

    Curtir

  2. hahahahahahaa…..olhei a foto e logo vi que nao era aqui.

    Curtir

  3. Acho importante encontrar uma solução para o quarto distrito, mas não acredito que necessariamente envolva a instalação de empresas naquela região, considerando que há outras regiões “vazias” da cidade. O quarto distrito seria melhor usado, atualmente, como um bairro misto (mas predominantemente residencial) de alta densidade (entre 30.000 e 50.000 habitantes por km quadrado) para a classe média baixa. Seria atrativo por permitir que mais pessoas morassem perto de seus trabalhos no centro, reduzindo a necessidade de deslocamento. A zona entre a rodoviária, Farrapos, Voluntários e Cairú teria grande potencial para isso. Suponho que esse processo de ocupação residencial do 4o distrito não tenha ocorrido naturalmente por causa de empecilhos jurídicos de prédios e terrenos abandonados (acho difícil que toda aquela zona degradada tenha donos que realmente estejam esperando décadas por “especulação imobiliária”, mas não é impossível), da própria degradação da zona e da antiga proibição do uso da zona como residencial.

    Curtir

  4. Acho que um modelo excelente é o do Distrito Tecnológico Parque Patricios de Buenos Aires. Os caras conseguiram atrair várias empresas de tecnologia para uma área esquecida e degradada e extensa do tal bairro Parque Patricios, muito parecida com o 4 Distrito. Fato é que este projeto ambicioso foi bem planejado e executado com esmero, para seu sucesso caras tiveram a correta percepção que naquele caso concreto só poderia vingar com uma política de atração ousada e principalmente com a estruturação da área e garantia da acessibilidade e mobilidade. Para tanto fizeram uma extensão de metrô que permite aos trabalhadores que atuam no Parque Tecnológico o fácil deslocamento ao centro porteño e dali a qualquer ponto da metrópole argentina. Então minha gente não se precisa ir para a Europa, onde às vezes tudo é belíssimo (algumas fachada) e de qualquer forma tudo tem outro nível de orçamento que uma capital pobretona como Porto Alegre não tem condições de bancar, mas prestemos atenção que aí do lado há belos exemplos como este da capital Argentina, mais próximo literalmente em todos aspectos, e até certo ponto fácil de replicar se houver vontade política e um mínimo de competência.
    http://www.buenosaires.gob.ar/noticias/el-distrito-tecnologico-cuenta-con-200-empresas

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: