Parceria aproxima Porto Alegre e Medical Valley da Alemanha

Comitiva gaúcha visitou instalações na cidade de Erlangen   Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini/Divulgação PMPA

Comitiva gaúcha visitou instalações na cidade de Erlangen   Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini/Divulgação PMPA

No primeiro dia da agenda pela Europa, o prefeito José Fortunati, integrando a comitiva oficial do governo do Estado, visitou o complexo industrial do Medical Valley, na cidade de Erlangen, localizada no estado da Baviera, no sudeste alemão. Além de Fortunati, acompanharam o governador José Ivo Sartori, o chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi, a presidente do Banco de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul (Badesul), Susana Kakuta, e parlamentares gaúchos.

No último dia 15, o prefeito Fortunati recebeu o diretor do Instituto Central de Engenharia Biomédica (ZiMT), Tobias Zoebel. Na ocasião, foi apresentado o projeto do Medical Valley, uma espécie de Vale do Silício, na Alemanha, voltado à engenharia e tecnologia na medicina. A instituição planeja montar outros núcleos fora da Europa e tem grande interesse pela região metropolitana de Porto Alegre. Naquele encontro, o prefeito recebeu das mãos do diretor um certificado de cidade parceira do Medical Valley.

Entrega de projeto – Desde então, a possibilidade de Porto Alegre sediar um inédito cluster de saúde e alta tecnologia levou o secretário Municipal da Fazenda, Jorge Tonetto, a pedido do prefeito, a se debruçar sobre o assunto, garantindo, em curto espaço de tempo, parcerias importantes de hospitais e universidades para a implantação do complexo, também no 4º Distrito de Porto Alegre, a exemplo do que deve ocorrer com a Airbus. Uma versão em inglês do projeto foi entregue, por Fortunati, nesta terça-feira, 26, aos diretores do cluster, durante a visita.

“Trata-se de uma oportunidade de ouro, que não podemos desperdiçar. Por isso, estamos fazendo todos os esforços para atrair parceiros para esse projeto, que significa geração de empregos, renda e tecnologia para a cidade de Porto Alegre e para o Rio Grande do Sul”, afirmou Fortunati. Após o encontro, o governador José Ivo Sartori também comemorou as boas perspectivas e a agenda positiva para o Estado. “Estamos tratando de investimentos que irão contribuir na área de ciência e tecnologia, procurando envolver as universidades, o que terá um efeito multiplicador para o Estado”, afirmou. (Fotos)

Antes de seguir para Paris, Fortunati, o governador Sartori e o CEO do Medical Valley, Siegfried Reinhardt, assinaram um protocolo de intenções para a instalação do Medical Valley na região metropolitana de Porto Alegre. A visita também incluiu uma reunião na sede da Universidade de Erlangen (FAU), onde conheceram o sistema que abrange 40 mil alunos e mais de 70 cursos de pós-doutorado, vinculados às empresas.

Referência mundial – O complexo é referência mundial na integração de diversas empresas, universidades e instituições de saúde para o desenvolvimento de projetos e soluções em engenharia aplicada à área de saúde. Criado em 2008, ultrapassa atualmente a marca de 500 empresas instaladas, entre companhias de grande porte e startups. Congrega, ainda, 16 universidades e mais de 40 instituições de saúde. Além de auxiliar a medicina na criação de tecnologias, o Medical Valley contribui para a expansão econômica da região da Baviera.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

5 respostas

  1. Pra quem não esta por dentro desta história, o RS ganhou a concorrência de outros estados como SP e MG devido a logística da região metropolitana, ser um polo na medicina nacional e já ter startups de biomedicina no tecnopuc e tecnosinos.

    Curtir

  2. É amigo, enquanto isso, tem chapa de esquerda achando um absurdo um tecnopuc por pensar apenas em dinheiro.
    hahaha

    Outra excelente noticia para o estado.

    Curtir

  3. O que ainda salva o nosso estado sao as nossas universidades, em especial a puc e a unisinos. Acho que o caminho para atrair novos investimentos para o RS é se focar na formaçao de parcerias entre empresas do exterior e essas universidades. Falando nisso, como anda o ceitec do Lula? Ele comentou que a estatal seria o catapultor de um novo vale do silicio no RS. Será que ele tinha bebido cachaça no dia do anuncio?

    Curtir

  4. Pelo que sei, desde pelo menos 94 ou 95 dentro do II Congresso da Cidade, se fala em coisas assim. Ao lado do Parque Tecnológico Urbano do IV
    Distrito, que nunca saiu do papel, entre 95 e 2004 e que foi depois desativado com a mudança de poder na Prefeitura, já naquela época… e já faz 20 anos… se propunha o Parque Tecnológico Urbano no Setor de Saúde, juntamente com outros parques tecnológicos, como o Tecnopuc, todos esses projetos seriam partes do Projeto Porto Alegre Tecnópole, promovido pelo PT na Prefeitura.

    Só que o cluster médico estaria ao longo da Av. Ipiranga, não no 4º Distrito como se propõe agora, o que de certa forma tem uma certa lógica, como se dizia 20 anos atrás:

    “Parque Tecnológico Cidade Saúde (Parque Tecnológico Urbano no Setor de Saúde): está localizado ao longo e na região adjacente à Avenida Ipiranga onde se encontram vários hospitais, universidades e laboratórios. O Parque está sendo concebido de forma a estruturar um polo voltado a produção de bens e serviços na área das ciências biológicas.”

    “Projeto de parque tecnológico Cidade Saúde: Na área de abrangência do Parque estão instaladas duas grandes Universidades (UFRGS e PUC), bem como a Escola de Saúde Pública do Estado, o Laboratório Central do Estado e vários outros hospitais (São Lucas, Clínicas, Instituto do Coração, Independência e outros). Além disso, há cerca de 60 pequenas e médias empresas de fármacos, de equipamentos e suprimentos, distribuídos pela cidade.”

    Depois de 20 anos, nenhum desses projetos públicos vingaram, nem mesmo começaram, com exceção dos parques tecnológicos das universidades privadas, como Tecnopuc e o Parque Tecnológico do Vale do Sinos,

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: