Conselho deve acelerar implantação de ciclovias em Porto Alegre

Criação do grupo permite busca de parcerias com entidades locais, nacionais e internacionais

Conselho deve acelera implantação de ciclovias em Porto Alegre | Foto: Tarsila Pereira

Conselho deve acelera implantação de ciclovias em Porto Alegre | Foto: Tarsila Pereira

Tomaram posse nesta sexta-feira os membros do Conselho Gestor do Fundo Municipal de Apoio à Implantação do Sistema Cicloviário. O grupo é composto por 12 integrantes de diversos setores da sociedade, como órgão públicos, associações e sindicatos interessados no tema. O objetivo é acompanhar a gestão financeira das contrapartidas voltadas ao fundo cicloviário e acelerar a implantação de ciclovias na cidade. Os conselheiros foram empossados pelo prefeito José Fortunati e pelo presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari.

Fortunati destacou a importância de a sociedade participar deste debate e da gestão do fundo. “Temos que estimular cada vez mais alternativas de transporte que melhorem a mobilidade e a qualidade de vida do cidadão, como a bicicleta. Por isso, é importante um conselho gestor que nos ajude na implantação do sistema cicloviário na cidade”, afirmou. O prefeito ressaltou ainda que o momento é de crise, com queda nos repasses de verbas aos municípios, e que a criação do grupo permite a busca de parcerias com entidades locais, nacionais e internacionais para que os investimentos nas ciclovias de Porto Alegre sejam mantidos.

O presidente da EPTC explicou outra vantagem do Fundo Municipal de Apoio à Implantação do Sistema Cicloviário, que é a possibilidade de unir vários trechos de ciclovias que seriam executados por parceiros diferentes numa obra só, reduzindo o custo. “Com o depósito dos recursos no fundo, o conselho poderá contratar a construção de trechos maiores. Sem contar também que abre a possibilidade de parcerias até com organizações internacionais. É uma ferramenta adequada e positiva no sentido de acelerar a implantação de ciclovias em Porto Alegre”, concluiu Cappellari.

A medida atende a lei municipal complementar 744, de 2014, que indica a criação de um conselho gestor, instrumento de política pública municipal de destinação, gerenciamento e aplicação de receitas oriundas das contrapartidas à construção de empreendimentos considerados como Projeto Especial de Impacto de Primeiro, Segundo e Terceiro Graus, neste caso específico, as ciclovias.

Fernanda Pugliero – Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

3 respostas

  1. Para quem está em ritmo de tartaruga tetraplégica, não é muito difícil “acelerar a implantação de ciclovias”…

    Curtir

  2. Porto Alegre é a penúltima capital em implantação de ciclovias. Bem capaz que uma comissão sei lá o que dessa administração fo~fo vai fazer alguma coisa que preste.

    Curtir

  3. Gostaria de saber quantos destes usam bicicleta para algo que nao seja lazer

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: