Carro elétrico gaúcho chega em 90 dias

Projeto de empresário de Lajeado busca financiamento para fabricação em serie. Foto: Divulgação

Projeto de empresário de Lajeado busca financiamento para fabricação em serie. Foto: Divulgação

Criado em 2010 em Lajeado (RS), o carro elétrico gaúcho JAD vai ter sua segunda geração apresentada em de 90 dias. “Estamos nos detalhes finais e, com certeza, dentro de no máximo três meses estaremos testando dois novos modelos do JAD”, garante João Alfredo Dresch, idealizador do projeto do carro elétrico.

Construído a partir de estrutura com canos de aço e carroceria em fibra, o JAD (iniciais de João Alfredo Dresch), tem 1,95 metro de comprimento, por 1,05 metro de largura, 1,20 metro de altura e pesa 295 quilos, podendo acomodar duas pessoas. “O novo modelo é maior, com 2,30 metros de comprimento por 1,30 metro de largura”, revela Dresch confirmando melhorias também na parte mecânica. “Temos um novo motor elétrico de 15,8 cavalos de potência (o atual é de 5 cv), capaz de atingir velocidades de até 120 km/h e as novas baterias de lítio garantem uma autonomia para rodar 120 quilômetros com uma carga”.

Mostrado este mês no prédio da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, durante o “IV Seminário de gestão urbana sustentável”, o carro elétrico gaúcho ainda tem um longo caminho para percorrer até estacionar nas garagens dos consumidores. “Estamos com o projeto em andamento para conseguir financiamento e incentivos do governo para instalar uma fábrica do carro elétrico. Existem vários municípios interessados em receber o projeto, inclusive de outros estados e também do exterior, como o Paraguai e o Uruguai”, destaca João Dresch.

Jornal O SUL – 09/06/2015



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

9 respostas

  1. Boa notícia. Mas não sei se haverá um financiador interessado…

    Curtido por 1 pessoa

  2. Desde quando governo vai apoiar carro eletrico que não use gasolina ou algo da PeTrobras?????

    Curtir

    • Talvez o Governo realmente não apoie, mas isso tem mais a ver com pressão de grandes montadoras do que de qualquer coisa.

      Curtir

  3. E carro elétrico não paga IPVA,ou seja o governo não vai querer perder dinheiro ,o projeto do carro é legal mas de aparência(designer) ele é feinho se precisar de ajuda em um novo conceito (designer) eu ajudo.kkkkk

    Curtir

    • Acredito que paga sim, pois é (V)eículo (A)utomotor.

      Curtir

    • Paga sim, pois veículos eléctricos e híbridos não tem nenhum incentivo no Brasil, inclusive pagam a mesma porcentagem de IPI que motores com mais de 2000 cm³ de capacidade volumétrica (os conhecidos 2.0) 25%.
      A grande vantagem é o baixo custo de rodagem e de manutenção, pois o motor elétrico dispensa comando e cabeçote de válvulas, bombas e filtros de água, óleo e gasolina, alguns inclusive abrem mão da caixa de cambio e tem um motor acoplado diretamente em cada roda.

      E a propósito, designer é o profissional que desenha o produto. O aspecto dele se chama design.

      Curtir

  4. Seria interessante unir o fornecimento destes veiculos a tentativa que esta ocorrendo de implantaçao de carros eletricos de aluguel em poa.

    Curtir

  5. O que mais me espanta é que, se me recordo bem, o JAD ficou bastante popular após o episódio de que o dono foi multado por estacionar transversalmente à calçada. Após toda essa história da mídia, é que foram divulgar que o cara já andava há algum tempo com o veículo e AÍ foram entrar nos detalhes do potencial do veículo. Imagina se ele não tivesse tido essa exposição por causa da multa?

    Curtir

  6. Meu sonho de consumo: carro elétrico! Não polui, não faz barulho: tudo de bom! Quero um cor-de-rosa! Mas concordo c/os comentários: o design pode melhorar bastante!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: