Jaime Lerner entrega projeto de revitalização de mais um trecho da Orla do Guaíba

Responsável pelo projeto de revitalização do Cais Mauá e da Orla do Guaíba, Jaime Lerner foi o convidado da reunião-almoço da Federasul|Foto: Ivan Andrade/Federasul

Responsável pelo projeto de revitalização do Cais Mauá e da Orla do Guaíba, Jaime Lerner foi o convidado da reunião-almoço da Federasul|Foto: Ivan Andrade/Federasul

Responsável pelos projetos de revitalização do Cais Mauá e da Orla do Guaíba, na Capital, o arquiteto e ex-governador do Paraná Jaime Lerner foi o palestrante do Tá na Mesa da Federasul desta quarta-feira (1°). Na ocasião, ele anunciou que entregou, na terça-feira (30), à prefeitura o primeiro esboço da revitalização do novo trecho do Guaíba, entre a Rótula das Cuias e o Estádio Beira-Rio, para a qual ele também foi contratado. O trecho, conforme Lerner, terá 25 quadras poliesportivas e “a maior pista de skate da América Latina”, além de áreas arborizadas.

A revitalização do porto será realizada pelo Consórcio Cais Mauá Brasil, que arrendou o local. Nesta quarta-feira, inclusive, o diretor-presidente da empresa NSG, Luiz Eduardo Abreu, entregou o Estudo e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima) à prefeitura, permitindo a emissão das licenças necessárias para o começo das obras estimadas em R$ 700 milhões. Segundo a NSG, integrante do consórcio, o trabalho deve iniciar em 2016. A revitalização, que prevê a restauração dos 11 armazéns, instalações de restaurantes e áreas de lazer, construção de um shopping na Usina do Gasômetro, torres e um centro de eventos, tem causado polêmica, já que movimentos sociais, como o Ocupa Cais Mauá, criticam a privatização da Orla e que o projeto apresentado não oportuniza a convivência da população e não preserva sua paisagem.

Já as obras no trecho da Orla da Usina o Gasômetro até a Rótula das Cuias ainda não saíram do papel porque as três licitações lançadas pela prefeitura não tiveram empresas interessadas. Estimada em R$ 57,4 milhões, a obra prevê a construção de ciclovia e caminhos iluminados com fibra ótica, fazendo com que toda a orla seja iluminada com lâmpadas led, e um terminal turístico, além da instalação de bares.

Nesta quarta-feira, Lerner disse que esses dois projetos não saíram do papel porque “são complexos e demorados”. “São dois projetos diferentes. O do Cais envolve muitas entidades. Hoje (quarta), foi entregue o Rima (Relatório de Impacto Ambiental) e essa é uma etapa fundamental”, afirmou ele, acrescentando que a demora também se deve à mudança de alguns dos investidores do Consórcio Cais Mauá. O arquiteto disse que trabalha nesse projeto há cinco anos. Sobre a revitalização da Orla do Guaíba, o ex-governador frisou que não houve modificações e a proposta inicial foi mantida. Nesse caso, na opinião dele, “precisa ter mais interesse da iniciativa privada em fazer a obra”. “Todos esses projetos têm uma complexidade e têm uma avaliação de custos, tem de conciliar a disponibilidade. Eu acho que é o empreendimento mais importante do país”, reforçou o arquiteto.

Contratos sem licitação

Nos três projetos de revitalização, a prefeitura contratou Lerner sem licitação com base “no notório saber” previsto na Lei de Licitações, mas o fato causou polêmica na Capital, a exemplo de outras cidades do país que usaram o mesmo argumento para contratar o escritório do reconhecido arquiteto. Alguns Tribunais de Contas do país chegaram a questionar a falta de licitação. O arquiteto afirmou, no entanto, que não teve problemas com TCEs e que é “convidado” para fazer o projeto e não envolve as futuras obras. “É licitação para a concepção do projeto. Eu não vejo necessidade de concorrência”, observou ele, que tem trabalhos também em Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro, além de países como México, Angola e República Dominicana. Recentemente, o ex-governador foi contratado para fazer um projeto de sustentabilidade do Bairro Quartier, em Pelotas, na zona sul do Estado.

Cidade sustentável

Para o arquiteto, uma cidade sustentável é aquela que, por exemplo, prioriza a convivência das pessoas, usa menos automóveis e os trabalhadores moram próximo do emprego. “A cidade sustentável é uma equação muito simples: entre aquilo que você poupa e aquilo que você desperdiça” explicou Lerner. Na sua visão, é preciso haver uma integração entre vida, trabalho e mobilidade. “O empreendimento é bom se atender toda a população. O processo de planejamento nas cidades está muito burocratizado”, sustentou o ex-governador, que deixou a política há 13 anos para se dedicar ao trabalho de seu escritório.

Ele afirmou que não só o Brasil, mas o mundo caminha para cidades integradas e com menos veículos. Para isso, segundo ele, é preciso investir num transporte público de qualidade,  priorizando não só a construção de BRTs (corredores rápidos de ônibus), mas também o sistema operacional. “A cidade tem de dar mais espaço para as pessoas, para as bicicletas. O uso do automóvel será diferente. Os automóveis serão para viagens, lazer, mas no dia-a-dia das cidades terão de se resolver sem transporte individual”, completou o arquiteto de 78 anos sobre a rotina dos grandes conglomerados no futuro.

SUL 21



Categorias:Projeto de Revitalização da Orla, Projeto de Revitalização do Cais Mauá

Tags:, , , , ,

10 respostas

  1. Que exagero 25 (vinte e cinco) quadras poliesportivas ali. A orla ali simplesmente virará praticamente apenas um amontoamento de quadras. Aquele trecho não é tão grande pra só entupir de quadras e me pergunto se seria necessário tantas assim. Não dava pra inventar mais outras coisas tb? Especialmente coisas cênicas, que muitas vezes se faz até com poucos recursos e muita criatividade.

    E pra que uma pista gigante de skate ali se o marinha já tem uma enorme excelente?

    Esperava mais criatividade dele. Tem muito lugar mequetrefe pelo país afora que já fez mais com menos.

    Porto Alegre merecia no mínimo uma orla como a da Ponta Negra (Manaus) e Atalaia (Aracaju). Sem falar que outra parte da orla (cais mauá) tb parece que perderá feio pro Cais das Docas (Belém do Pará).

    Nossa portinho merece mais.

    Curtir

  2. Faz aaaanos que só vejo projetos…a cidade dos projetos.

    Curtir

  3. Cade a calcadao ds rua da praia…. cade o cais…. a estacao da rodoviaria. A duplicacao da voluntarios. ..as estacoes brt e ônibus melhores…. a orla….o viaduto da borges…. etc etc…
    Isso sem falar na qualidade pessima do pouco que foi feito. Agora me vem com mais projetos, justo em ano eleitoral… conversa pra boi dormir. Esse pessoalzinho que ta no governo eu não voto nem pra sindico de prédio

    Curtir

  4. Como assim gente, quadras e pista de skate, ridículo, na orla, beira do Guaiba, Porto Alegre brinca

    Curtir

  5. Muito bonito o discurso ambiental dele ali no fim. Só não combina com o projeto do cais que irá induzir mais carros para o centro com as vagas que serão construídas.

    Curtir

  6. Uma pena ficarem fazendo “jogo de cumadres”, pagando um projeto e estudo para um aliado politico inventar um projeto impagavel de 700 milhoes.

    Curtir

  7. Quanto em dinheiro o Lerner está ganhando??? Já confiei neste caboclo, hoje não. Dentro da lei, sim, mas em dinheiro, não.

    Curtir

  8. Também acho desnecessárias 25 quadras. Precisava é de um bom calçadao, com quiosques e um belo projeto paisagístico. Ali, hoje, tem uma ciclovia compartilhada com a calçada que é mt estreita..

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: