Prefeitura define 15 dias para readequação de GPS nos táxis

 Reunião estabeleceu que grupo de trabalho irá avaliar os equipamentos   Foto: Ricardo Giusti/PMPA


Reunião estabeleceu que grupo de trabalho irá avaliar os equipamentos   Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Representantes dos permissionários de táxi de Porto Alegre e taxistas foram recebidos no Salão Nobre da Prefeitura no final da manhã desta segunda-feira, 20, pelo prefeito em exercício Sebastião Melo e os diretores-presidentes da EPTC, Vanderlei Cappellari, e Procempa, Mário Teza. Também estavam presentes no encontro o tenente-coronel Francisco Vieira, da Brigada Militar, e o diretor da Show Tecnologia, empresa que venceu a licitação e presta o serviço de GPS, Eduardo Lacet, além de vereadores da Capital.

Os temas abordados foram as queixas em relação ao GPS dos táxis. Segundo taxistas, o sistema apresenta problemas técnicos que comprometem o monitoramento dos veículos. Por esse motivo, a prefeitura definiu, em conjunto com a categoria, suspender o serviço por 15 dias. O objetivo da paralisação temporária é formar um grupo de trabalho, composto por técnicos da prefeitura, vereadores e taxistas, e realizar uma auditoria para reavaliar o funcionamento dos equipamentos de GPS oferecidos pela Show Tecnologia.

Segundo Melo, o sistema é importante para a cidade, mas não pode seguir operando com problemas. “Após esses 15 dias, tomaremos uma decisão que leve em conta o usuário, a cidade de Porto Alegre. Esse sistema de GPS é vital para monitorar os táxis, traz mais conforto ao passageiro, mais segurança. Agora, não podemos aceitar um serviço com problemas. Por isso, em conjunto com a categoria, definiremos se a empresa vai seguir ou não”, afirmou.

O sistema de GPS foi implantado há dez meses, com base na nova lei dos táxis (lei municipal). Para possibilitar a implantação, foi antecipado o horário da bandeira 2, das 22h para as 20h. Atualmente, dos 3.920 veículos da frota, 3.326 já contam com os equipamentos de monitoramento em tempo real.

Nesse meio tempo, 14 ocorrências policiais, como furto e sequestro, foram solucionadas com a contribuição do GPS. “O sistema não é só importante para a segurança. O GPS é uma ferramenta de gestão, que vai colaborar para, no futuro, redimensionar a frota, sabendo se é preciso mais táxis para a cidade”, declarou Cappellari.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

%d blogueiros gostam disto: