Edifícios com tecnologias verdes poderão ser obrigatórios em SP

Um projeto de lei em tramitação na assembleia legislativa do Estado de São Paulo prevê a obrigatoriedade de instalação de dispositivos para a captação de energia e de água da chuva em novas construções

Imagem: Arcoweb

Imagem: Arcoweb

O projeto de lei 662/2015 quer tornar obrigatória a aplicação de tecnologias verdes na construção de novos prédios, centros comerciais e condomínios residenciais do estado de São Paulo.

Segundo dados do Green Building Council Brasil (GBC Brasil), prédios sustentáveis podem economizar até 30% de energia e 40% de água.

Especialistas acreditam que o uso consistente de materiais de isolamento de alto desempenho e outras medidas passivas, com uso da luz e ventilação natural, poderia reduzir quase pela metade o crescimento futuro do consumo de energia dos edifícios.

Um exemplo de empreendimento que utiliza dispositivos de captação de energia e água é o EcoCommercial Building (ECB), que tornou-se o primeiro prédio do Brasil a gerar energia solar para cobrir 100% de sua necessidade anual. O edifício também conta com mais de 20 tecnologias para construções sustentáveis.

O diretor do programa EcoCommercial Building no Brasil, Fernando Resende, comenta que os resultados foram verificados na prática com um ano de medição, e que anualmente, já considerando os custos de amortização dos sistemas instalados, o prédio gerará uma economia de 50% dos custos com energia. “Vale destacar que o valor investido foi equivalente ao de uma obra tradicional de mesma proporção”, afirma.

O prédio conta ainda com a certificação LEED-NC Platinum do U.S. Green Building Council, que reconhece as melhores estratégias e práticas sustentáveis. Trata-se do sexto edifício deste tipo construído no mundo.

Além disso, o ECB Brasil é o sexto projeto da empresa MaterialScience no mundo e o primeiro da América Latina. O edifício emprega coberturas e fachadas feitas com chapas de policarbonato Makrolon® de alto desempenho, que permite que a luz natural seja aproveitada, retendo até 50% do calor, com baixo peso, o que reduz custos com estruturas.

Painéis com núcleo de poliuretano (PU) garantem o isolamento térmico do edifício, reduzindo em até 90% o calor transmitido por coberturas e paredes. A tecnologia também diminui significativamente a espessura de isolamento e possibilita grande velocidade de execução, ao substituir as convencionais paredes de alvenaria.

Arcoweb

________________

Ainda acho muito pouco, apenas colher água da chuva e prover energia no local. É preciso mais. Telhado verde por exemplo. E é urgente. Pelo menos, sigamos o exemplo de São Paulo.



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Sustentabilidade

Tags:, , , ,

3 respostas

  1. Acho que Novo Hamburgo ja tem uma lei assim ha anos. Alguem poderia confirmar?

    Curtir

  2. Fora de tópico mas não tanto.

    Por que as vagas de estacionamento não tem mais permeabilidade nas ruas? Não precisaria de asfalto em vários pontos onde os carros não vão andar rápido, só estacionar. E o custo seria bem menor acredito, ainda mais que as ruas antigas de porto alegre são quase todas de paralelepípedo.

    Tipo isso: http://www.ci.berkeley.ca.us/uploadedImages/Public_Works/Level_3_-Sewers-_Storm/Graphic%204%20Pavers%20Picture.jpg

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: