Prefeito de Porto Alegre anuncia R$ 237 milhões para prevenção de alagamentos

Obras devem ter início em março de 2016

Obras devem ter início em março de 2016 | Foto: André Ávila

Obras devem ter início em março de 2016 | Foto: André Ávila

A partir de março de 2016, começam pelo menos três grandes obras de macrodrenagem que devem reduzir as chances de enchentes em Porto Alegre. O prefeito José Fortunati assinou nesta quinta-feira o aviso de licitação para o início do processo de contratação das empresas. O total de novos investimentos para a área soma R$ 237 milhões, sendo que, na primeira etapa, serão liberados R$ 190 milhões. A conclusão do conjunto de intervenções está prevista para 2020.

A Bacia do Arroio Areia deve ganhar sete novos reservatórios, além de reforço das galerias, sistema de drenagem isolado e aumento da capacidade. Serão empregados somente nessa obra, que envolve 14 bairros, R$ 107,2 milhões. O diretor-geral do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), Tarso Boelter, classificou essa como uma das principais bacias da Capital e as melhorias são comparadas as do Conduto Álvaro Chaves. Ao todo, 178 mil pessoas podem ser beneficiadas.

O Arroio Moinho tem prazo de execução de três anos para a conclusão. Serão investidos R$ 40,7 milhões para beneficiar 98 mil pessoas de cinco bairros. A ideia é fazer oito reservatórios. Sobre eles, praças e parques serão reurbanizadas. A obra abrangerá 4,5 quilômetros quadrados.

A terceira grande obra inclui a reforma e aumento da capacidade das Casas de Bombas. O prazo de execução é de 36 meses com aporte financeiro de R$ 42,4 milhões. Boelter explicou que o primeiro lote conta com cinco unidades para serem remodeladas e a segunda fase ainda está em análise. Geradores deverão ser adquiridos para garantir o funcionamento das casas. Todo o recurso é do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Prevenção.

Para Fortunati, os alagamentos vistos nos últimos dias na região Metropolitana não afetaram tanto a Capital quanto as cidades vizinhas, em função das obras feitas desde 2005 na área da drenagem. Ele citou todos os projetos concluídos e em execução nos últimos dez anos. Também mencionou que foram feitos investimentos de R$ 11,5 milhões em ações emergenciais.

Karina Reif – Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

1 resposta

  1. Amém.
    Meu bairro, antes do Alvaro Chaves, qualquer chuvinha alagava tudo, teve uma época que a água entrou no prédio.
    Depois de pronto, nunca mais.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: