John Deere inaugura linha de produção de tratores em Montenegro, RS

Investimento de US$ 40 milhões, anunciados em 2013, permitirá produção nacional de tratores de alta potência na fábrica de Montenegro (RS)

Investimento de US$ 40 milhões, anunciados em 2013, permitirá produção nacional de tratores de alta potência na fábrica de Montenegro (RS)

A John Deere se preocupa em atender a todas as necessidades dos agricultores, desde o pequeno ao grande produtor, oferecendo um portfólio completo que contribui para o desenvolvimento da agricultura brasileira por meio da alta tecnologia e produtividade. E para ampliar tal oferta de equipamentos, a John Deere inaugura nesta terça-feira, 4 de agosto, a expansão da linha de produção de sua fábrica de tratores, em Montenegro (RS). Com a nova linha, os modelos de alta potência da Série 8R (8270R, 8295R, 8320R, 8345R e 8370R) passam a ser produzidos nacionalmente, com possibilidades de financiamento via Finame.

A Série 8R é direcionada principalmente para as culturas de grãos, cana-de-açúcar e algodão em grandes propriedades. Para a nacionalização das máquinas foram investidos US$ 40 milhões, anunciados em 2013. O aporte é um dos grandes investimentos da John Deere para agricultura do País, e reafirma o compromisso de longo prazo da companhia em contribuir para a produção de alimentos e fibras em larga escala.

“O Brasil é um mercado-chave para a John Deere, não apenas por sua importância estratégica no continente, mas também pelo seu enorme potencial agrícola, de extrema importância para atender à crescente demanda global por alimentos de uma população que tende a crescer muito em poucas décadas”, ressalta Samuel Allen, CEO da Deere & Company.

Ano a ano o Brasil se fortalece como um dos principais mercados agrícolas do mundo, com safras recordes e chegada da tecnologia ao campo. E cada vez mais produtores demandam novas tecnologias, que impactam diretamente no modelo de negócios. As boas perspectivas do agronegócio brasileiro e a demanda interna por tratores de alta potência levaram a John Deere a investir na nacionalização da Série 8R. “A John Deere passa por um momento de grande crescimento e consolidação no Brasil e o Rio Grande do Sul tem grande importância para os negócios da empresa, seja pelas suas fábricas, seja pelo seu potencial agrícola e relevância na produção de alimentos no Brasil”, afirma Paulo Herrmann, presidente da John Deere Brasil e vice-presidente de Marketing e Vendas para a América Latina.

Uma das mais modernas fábricas de tratores do mundo e com excelentes níveis de produtividade, Montenegro emprega mais de 700 funcionários.

Máximo desempenho

Os tratores 8R são os mais potentes fabricados no Brasil (370 cv). Sua nova transmissão de 23 marchas (e23) permite que o trator entregue sua melhor performance, mesmo sem um operador experiente. Quando utiliza o gerenciador de eficiência, o operador apenas precisa indicar a velocidade de trabalho e automaticamente o sistema configura a marcha e a rotação do motor mais apropriados para maior produtividade e menor consumo de combustível. Além disso, o exclusivo sistema de suspensão independente do eixo dianteiro (ILS) é uma solução única, que permite que os pneus mantenham contato permanente com o solo mesmo em condições difíceis, entregando mais potência, operando mais rápido e economizando combustível.

Os modelos oferecidos contam com design arrojado e o que há de mais moderno em tecnologia no mercado. O trator possui ainda um sistema de iluminação composto por luzes de LED que garantem 360 graus de cobertura e 40% mais alcance, proporcionando maior segurança nas operações noturnas.

“Os tratores de grande porte da John Deere são máquinas desenvolvidas para operações pesadas, que exigem alta performance do equipamento e de operação”, explica Paulo Rohde, gerente da fábrica de Montenegro.

Investimentos constantes

A ampliação da linha de produção da fábrica de Montenegro faz parte de alguns dos investimentos no mercado brasileiro anunciados recentemente pela John Deere. Ao todo, foram mais de US$ 200 milhões em aportes no Brasil nos últimos anos para melhoria e evolução de produtos e serviços de excelência nos segmentos em que atua.

Além do investimento para a nacionalização da Série 8R, a John Deere investiu US$ 13 milhões na ampliação do Centro de Distribuição de Peças para América do Sul, em Campinas (SP), que será o maior armazém de peças do setor na América Latina e abrigará o Centro de Treinamento John Deere; US$ 40 milhões na ampliação da fábrica de Catalão (GO) para aumentar em 30% a produção de colhedoras de cana e pulverizadores; e, no segmento de máquinas de Construção, foram US$ 180 milhões em duas fábricas, inauguradas em fevereiro de 2014, em Indaiatuba (SP).

Em âmbito global, a Deere & Company investe em média US$ 4 milhões por dia em inovação, cujos resultados são os frequentes lançamentos para diversas culturas e a tecnologia embarcada que facilita a vida do agricultor em todos os produtos da empresa.

Agrolink



Categorias:Economia Estadual

Tags:, , ,

6 respostas

  1. apesar da crise…

    Curtir

    • O investimento começou em 2013… eles mantiveram.

      Mas que há crise, há sim.

      Curtir

      • É que duas fabricas contratando uns 1000 funcionários faz com que as outras 30 demitindo 15 mil não tenham valor.
        hahaah

        Apenas Honda, Toyota e Jeep estão vendendo carros, todas as outras estão dando férias coletivas.

        Curtir

      • Guilherme, a GM em gravatai está operando em três turnos.

        Curtir

  2. e aqueles 3 mil carros da gm estacionados no velopark?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: