Troca de prestadora pode suspender aluguel de bicicletas em Porto Alegre

Presidente da EPTC explica que suspensão só deve ocorrer se a empresa atual perder a licitação

Presidente da EPTC explica que suspensão só deve ocorrer se a empresa atual perder a licitação | Foto: Bruna Cabrera / Especial / CP

Presidente da EPTC explica que suspensão só deve ocorrer se a empresa atual perder a licitação | Foto: Bruna Cabrera / Especial / CP

Uma licitação para contratar a nova empresa que vai operar o aluguel de bicicletas em Porto Alegre, o chamado Bike POA, pode causar a suspensão temporária do serviço. De acordo com a EPTC, caso a empresa que atualmente detém o contrato perca a licitação, que ocorre na próxima semana, pode haver interrupção para alteração dos sistemas. O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappelari admitiu o risco, mas disse estimar que os transtornos possam ser sanados rapidamente.

“Quero tranquilizar a população em relação a isso, pois é muito pequena a possibilidade de haver esse prejuízo no serviço. Temos que aguardar a licitação e ver o que vai acontecer”, afirmou Cappelari, sem estimar um tempo de paralisação, caso haja alteração na gestão do serviço.

O processo de licitação deve ser totalmente concluído até o fim de setembro. Entre as mudanças previstas, está a ampliação de 40 para 80 estações até o final do futuro contrato, de cinco anos.

Os preços serão os mesmos: R$ 5 por viagem, ou R$ 10 por mês. De acordo com a Serttel, responsável hoje pelo gerenciamento do serviço, Porto Alegre já soma 153 mil pessoas cadastradas ao Bike POA, mais de 70 mil delas utilizando o serviço com regularidade.

Eduardo Paganella / Rádio Guaíba / Correio do Povo



Categorias:Aluguel de biciletas, Bicicleta

Tags:,

1 resposta

  1. #sópravariar!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: