Prefeitura anuncia consórcio para revitalizar a orla do Guaíba

Expectativa é de que primeira parte das obras comece em outubro

Prefeitura anunciou consórcio que vai realizar revitalização da orla do Guaíba | Foto: Ivo Gonçalves / PMPA / CP

Prefeitura anunciou consórcio que vai realizar revitalização da orla do Guaíba | Foto: Ivo Gonçalves / PMPA / CP

O consórcio Orla Mais Alegre, das empresas Procon, Sadenco e SH Estruturas Metálicas, foi anunciado nesta terça-feira como vencedor da licitação para a realização do obra do primeiro trecho da revitalização a orla do Guaíba, em Porto Alegre. A homologação ocorreu em cerimonia realizada no começo da tarde no gabinete do prefeito José Fortunati. A expectativa da prefeitura é de que o contrato seja assinado até o dia 15 de setembro e a obra comece no início de outubro.

O julgamento publicado no último dia 13 apontou que o consórcio Orla Mais Alegre ofertou o menor preço, no valor de R$ 60.682.477,52, atendendo às exigências do edital de licitação. Na segunda-feira foi encerrado o prazo para recurso das empresas licitantes. A primeira etapa da obra compreende o trecho de 1.320 metros da orla entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias.

Dividido em cinco fases, o projeto do escritório do arquiteto Jaime Lerner prevê ciclovias, caminhos iluminados, bares, quadras esportivas, arquibancadas e um terminal turístico para barcos. A obra deve ser realizada em prazo entre 12 e 18 meses. Os recursos provêm de um financiamento junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina – a Corporação Andina de Fomento (CAF).

O secretário municipal de Gestão, Urbano Schmitt, destacou que a obra foi projetada para atender à população da Capital. “É uma obra dirigida para a população, para que as pessoas possam ir lá aproveitar o dia a dia e o pôr do sol. A área foi projetada para as pessoas aproveitarem a orla do Guaíba”, disse à Rádio Guaíba.

Edital prevê melhorias para lazer, mobilidade e segurança

A nova orla deve ter construção de passeios, ciclovia, um ancoradouro para barcos de passeio, um restaurante e seis bares, quatro deques, duas quadras de vôlei, duas de futebol e duas academias ao ar livre, vestiário, playground, além de duas passarelas metálicas com jardim aquático, iluminação especial com fibra ótica e lâmpadas de LED e central de segurança com a Guarda Municipal para videomonitoramento da região.

Correio do Povo e Rádio Guaíba



Categorias:Projeto de Revitalização da Orla

Tags:

5 respostas

  1. Mais de 60 milhões!!!!para uma obra para a “população de Porto Alegre”,vamos pensar racionalmente!!!imagina se esse dinheiro fosse investido em educação,saúde e segurança,quantas melhorias realmente necessárias e urgentes poderiam ser realizadas!!!

    Curtir

    • Como se uma coisa excluísse a outra. Agora por haver deficiências nestas áreas não se deve investir no embelezamento da cidade (que é sim pra toda a população, ninguém vai fechar a orla)?

      Ou prefere o matagal que tem hoje em dia?

      Curtir

    • EDUCAÇÃO: em geral os Municípios são responsáveis apenas por creches e pré-escolas;
      SAÚDE: Municípios são responsáveis apenas pela gestão dos postos de saúde;
      SEGURANÇA: os Municípios atuam somente com a Guarda Municipal, que protege apenas bens públicos, não os cidadãos (isto fica a cargo dos Estados).

      Está tudo na Constituição de 1988.

      Então, acho que esses R$ 60 milhões não mudariam muita coisa nessas áreas. Além do mais, não é um dinheiro que esteja “sobrando” na Prefeitura, foi obtido um financiamento de um fundo que concede dinheiro especialmente para obras de desenvolvimento das cidades latinas.

      Curtir

      • Sem falar que a educação municipal recebe sim grandes investimentos, só comparar os salários dos professores e as condições físicas das escolas, em comparação com as estaduais.

        O que estraga o ensino municipal é o sistema de ciclos, que ninguém teve peito pra extinguir até hoje.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: