Greve dos servidores pode se estender e agentes cogitam “abandonar” presídios

Débora Fogliatto – SUL 21

Flávio (D) afirma que agentes podem abandonar presídios | Foto: Caroline Ferraz/Sul21

Flávio (D) afirma que agentes podem abandonar presídios | Foto: Caroline Ferraz/Sul21

Após receberem apenas R$ 600 em suas contas bancárias nesta segunda-feira (31), os servidores públicos do Rio Grande do Sul manifestaram sua indignação e detalharam as paralisações planejadas em coletiva de imprensa, na sede da Federação Sindical dos Servidores Públicos ( Fessergs). Representantes de diversas categorias afirmaram que, embora o plano seja fazer paralisações por quatro dias, até o dia 3 de setembro, esse período ainda pode ser estendido.

“Eu não tenho memória de que algo tenha acontecido com essa magnitude, similar a isso, em 30 anos de sindicato”, afirmou o presidente da Fessergs, Sérgio Arnoud. Ele destacou que os servidores não têm como “pagar aluguel, comida transporte, sustentar suas famílias” com o valor que foi depositado. Mais cedo nesta manhã, o governador informou que irá pagar os salários em quatro parcelas, sendo a próxima de R$ 800, no dia 11.

Para Arnoud, a medida “afeta toda a sociedade gaúcha” e o apequenamento do Estado irá levar apenas a uma situação pior. “Queria também manifestar nosso repúdio pelo governador dançando na Expointer enquanto os servidores vivem o maior drama de suas vidas”, colocou. As atitudes do governador José Ivo Sartori (PMDB) ma abertura do evento neste fim de semana foram criticadas mais de uma vez pelos líderes dos servidores. “A falta de sensibilidade do governador é fantástica”, apontou Helenir Schürer, presidente do Sindicato dos Professores (Cpers).

Os rumos da paralisação ainda serão definidos ao longo dos próximos dias, afirmaram os servidores. “Essa primeira parcela inviabiliza qualquer servidor de trabalhar, porque alguns sequer vão conseguir custear seu deslocamento para o local de trabalho. Na Susepe muitos servidores não trabalham na cidade em que moram”, apontou o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários (Amapergs), Flávio Berneira.

Leia a matéria integral, no SUL 21, clicando aqui.



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

1 resposta

  1. Prezado Simon: De alguns dias para cá não consigo mais abrir o sitio, nem com o Chrome nem com o Internet, quando clico no botão “comentários”, no meu Samsung Android. Informa que a página está indisponível. Isto só ocorre com o portoimagem.wordpress.com Pode auxiliar-me, por favor? Obrigado

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: