UBER já está funcionando em Porto Alegre. Alguns taxistas aderem

Taxista adere ao Uber para agregar fonte de renda
Reportagem do Correio do Povo testou o serviço nesta tarde

Uber começou a funcionar em Porto Alegre nesta quinta | Foto: Ricardo Giusti

Uber começou a funcionar em Porto Alegre nesta quinta | Foto: Ricardo Giusti

Anunciado o início da operação para as 15h, conseguiu-se efetivar a primeira chamada para o Uber Porto Alegre às 15h21min. Dez minutos de espera, e um Bora, da Volkswagen, estacionou no Centro de Porto Alegre. O motorista, com barba ruiva, cara simpática, abriu o porta-malas, pegou água gelada de uma bolsa térmica e ofereceu às passageiras. Depois, fez questão de abrir a porta do carro.

Com bancos de couro, ar condicionado ligado, o Bora automático cheirava a novo, apesar de não ser. A viagem iniciou sem o motorista solicitasse o uso do cinto de segurança, mas respeitou a sinalização de trânsito durante todo o trajeto. Depois de 17 minutos e 5,8 quilômetros rodados até a Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Ufrgs, o valor cobrado foi R$ 15,00. Pelo simulador de tarifa de táxi da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), o preço seria de R$ 17,85.

O motorista do Uber se identificou como Diego, e viveu nessa quarta-feira sua primeira experiência como parceiro do novo serviço. Ele trabalha como taxista na Capital e disse que a ideia é agregar uma nova fonte de renda. “Vou continuar trabalhando minhas oito, dez horas como taxista, mas vi uma oportunidade de gerar uma renda extra como parceiro do Uber”. No final de uma semana, ele disse que vai avaliar a lucratividade.

Diego participou de duas reuniões com os organizadores do aplicativo Segundo ele, a maioria dos participantes interessados eram taxistas. Nas ocasiões, conheceu a plataforma e o conceito do serviço. “A mesma qualidade que o passageiro encontra com o Uber em Nova Iorque, ele tem que encontrar em Porto Alegre”.

O motorista acredita que a polêmica criada na cidade pelo funcionamento do Uber vai ser solucionado em poucos meses, quando houver entendimento que há espaço para todos. “O Uber vai suprir aquele vão que existe no serviço, das pessoas que foram mal atendidas nos táxis e preferem outra opção de transporte, e vai cobrir o vão que existe nos horários de pico, quando a frota de Porto Alegre não suporta a demanda”, considera.

No final da viagem, o valor da tarifa foi informado por meio do aplicativo da usuária, e descontado do seu cartão de crédito (única forma de pagamento). A partir dali, Diego seguiu viagem para atender o terceiro chamado do dia.

Cintia Marchi – Correio do Povo

________________

Leia mais, no Correio do Povo:



Categorias:Uber

Tags:, , ,

7 respostas

  1. Eu digo que a gestão de Capellari é ilegal e clandestina.

    Curtir

    • Sou totalmente a favor do Uber, mas não de forma clandestina. A prefeitura deve ter uma postura de tentar regulamentar o serviço e não simplesmente multar e multar. Que é o que a EPTC mais sabe fazer….
      Mas parece que os responsáveis pelo Uber não honraram as negociações que vinham sendo feitas. Caíram vários pontos por isso, na minha opinião.

      Curtir

      • O Uber alega que é um serviço de transporte individual privado (ao contrário da categoria dos taxistas que são público), a exemplo dos motoristas de aluguel, por isto não são regulamentados pelas prefeituras, mas sim pelo governo federal. Então, eles não tem que dar satisfação a prefeitura. E a justiça tem tido esta mesma interpretação.

        Os motoristas particulares não tem culpa da convergência tecnológica terem deixado os dois serviços quase que equivalentes.

        Curtir

      • Eles estão operando em várias cidades do mundo, não acho que a prefeitura de Porto Alegre tenha mais competencia que a de Paris ou de Nova Iorque. Deveriam ao menos liberam um periodo de testes pra saber como se comporta. Vamos lembrar que o serviço só surgiu porque o serviço de taxis é uma vergonha. Quando se chama um taxi por aplicativo ou em um ponto conhecido você sabe o que vai encontrar, mas experimenta pegar um taxi na rodoviária domingo a noite. Você será recebido por uma senhora gritona que parece ter saído diretamente do filme da Matilda pra trabalhar na distribuição dos taxis da rodoviária. Experimente também reclamar com ela ou tentar pegar ou táxi que não o que ela te mandou (inversão de direitos, eu tenho que escolher quem vai prestar o serviço, não ela). Depois dessa calorosa recepção você viverá momentos de muita emoção, acelerando um gol ou um classic pelo túnel com a audácia que nem um piloto de F1 teria. Depois, ao entrar na Oswaldo ou na João Pessoa você verá um festival de furos ao sinal vermelho, pneus cantando nas curvas, etc. Me desculpa, mas nesse caso a prefeitura de Porto Alegre não tem nenhuma moral para se opor ao Uber.

        Curtir

      • Olha o tipo de serviço regulamentado que tu defendes:

        http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2015/11/carro-do-uber-e-bloqueado-por-taxistas-em-frente-a-bar-em-porto-alegre-4912200.html

        Motorista particular não é ilegal.
        Quer algo mais legítimo do que um serviço em que o passageiro é o “regulador”?

        Vai ter Uber sim e o poder público não pode e nem deve se meter.

        Curtir

  2. Já baixei. Ansioso para usar.

    Curtir

  3. “Diego participou de duas reuniões com os organizadores do aplicativo Segundo ele, a maioria dos participantes interessados eram taxistas.”

    Sempre suspeitei que os taxistas seriam os maiores interessados no Uber. Quem se opõe são os donos das licenças dadas pela prefeitura que irão perder seus privilégios.

    Só resta agora saber se o fato destes interessados serem Taxistas é bom ou ruim para a população.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: