Mais de 100 taxistas já tiveram a habilitação cassada em 2016 em Porto Alegre

Pente-fino analisou a ficha criminal de 2,5 mil motoristas, de um total de 10,4 mil

Mais de 100 taxistas já tiveram a habilitação cassada em 2016 na Capital | Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Mais de 100 taxistas já tiveram a habilitação cassada em 2016 na Capital | Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Desde o início do ano, 103 taxistas tiveram os documentos que habilita para a profissão cassados pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) em razão de crimes como furto, roubo, tráfico de drogas, estelionato e até agressão a mulheres. O pente-fino, iniciado em janeiro, analisou a ficha criminal de 2.512 motoristas, de um total de 10,4 mil cadastrados no sistema. O afastamento dos condutores acontece a partir de uma resolução anexada à lei dos táxis, que permite a análise dos antecedentes criminais antes de confirmar o cadastramento.

A avaliação ocorre em vistorias regulares; ações de fiscalização e on-line, via Sistema de Consultas Integradas da Secretaria de Segurança Pública (SSP), que passou a disponibilizar o histórico criminal do condutor. Os antecedentes que impedem a emissão do “carteirão” incluem delitos contra a vida, contra a dignidade sexual, crimes hediondos, de roubo, furto, estelionato, receptação, formação de quadrilha, sequestro, extorsão e tráfico de drogas.

A EPTC revelou, ainda, que no trabalho diário de qualificação do serviço, a fiscalização de transporte da EPTC já recolheu 153 táxis em blitze. Entre as razões, irregularidades com o “carteirão” dos condutores e desgaste nos pneus dos veículos, com riscos à segurança. Nas ações para retirada de transporte clandestino de passageiros, igualmente em blitze, já foram recolhidos 37 veículos Uber, com multa de R$ 7,3 mil. As blitze são diárias na cidade.

Em 2015, foram registradas mais de 2,2 mil multas e 500 recolhimentos a táxis na cidade em ações de fiscalização do serviço. Cerca de 200 “carteirões” foram cassados ou não liberados a taxistas, por diversas razões, no ano passado. A EPTC registrou, ainda, 3.658 reclamações a taxistas em canais de atendimento.

Rádio Guaíba – Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

2 respostas

  1. Isso mostra o risco a que estava exposta a população até recentemente: delitos contra a vida, contra a dignidade sexual, crimes hediondos, roubo, furto, estelionato, sequestro, extorsão…
    Medida insuficiente a tomada. Para não se repetir, deveria ser cassada a autorização do DONO do taxi também.

    Curtir

  2. A pergunta que fica é a seguinte: Por que não analisaram a ficha de todos os 10,4 mil taxistas cadastrados???

    Se mantiver o percentual da amostra (103/2500=0,0412), existem mais 325 bandidos dirigindo táxi em Porto Alegre neste exato momento (10400-2500=7900*0,0412=325) !!!

    Na minha opinião, o proprietário da licença deve ser responsabilizado com a cassação da licença.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: