Caminho da Soberania: Executivo retira previsão de monumentos

caminho-da-soberania-01Está em tramitação, na Câmara Municipal de Porto Alegre, Projeto de Lei Complementar do Executivo que propõe alterar a descrição da área destinada à implantação do Memorial Caminho da Soberania, bem como o número de monumentos que dele fazem parte. A alteração proposta retira do texto atual da Lei que concedeu a área à Fundação Caminho da Soberania (Lei nº 10.390, de 22 de fevereiro de 2008) a previsão de edificação de um conjunto de três monumentos que abrigariam os Memoriais de Leonel Brizola, João Goulart e Getúlio Vargas. Os três blocos arquitetônicos teriam uma área na base de cada um deles de aproximadamente 375 metros quadrados, com altura de 4 metros, sendo fixado, nos topos, o busto de cada um dos homenageados.

A autoria do Projeto Caminho da Soberania é do arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012). “Por sua trajetória profissional com reconhecimento internacional, Oscar Niemeyer traz orgulho e referência cultural às cidades que recebem e executam proposta arquitetônica de sua autoria”, afirma o prefeito José Fortunati. “Além do impacto positivo na autoestima dos cidadãos, a imagem externa da cidade ganha em atratividade e, consequentemente, em destaque turístico quando da existência de uma obra deste notável arquiteto.”

A Fundação Caminho da Soberania é uma entidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, que tem entre suas finalidades: a preservação e a promoção da história política e a difusão dos ideais de Leonel Brizola, João Goulart e Getúlio Vargas; e a construção, administração e conservação, de modo colaborativo, de estátuas, monumentos, casas, estabelecimentos em geral, prédios e sedes de memoriais em homenagem a esses líderes.

Área concedida

Fortunati explica que, em relação ao disposto pelo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental (PDDUA), a área concedida situa-se na Subunidade 1 da UEU 1044, Macrozona 1, constando esse setor como Área de Interesse Cultural (AEIC). A área, com 23,2 mil metros quadrados, de propriedade do Município, localiza-se no quarteirão formado pela Avenida Edvaldo Pereira Paiva e o Lago Guaíba, tendo como limites a Nordeste a Avenida Edvaldo Pereira Paiva numa extensão de 400 metros; fazendo divisas com propriedade do Município de Porto Alegre a Oeste com 30 metros, a Sudoeste com 353 metros, a Sudeste com 71,35 metros, e a Leste, com 30 metros onde fecha o polígono no ponto inicial.

“A finalidade e as atividades propostas, com a indicação de deslocamentos para os pedestres que serão os usuários do espaço, acentuam a natureza essencialmente cultural e contemplativa, agregando à área/ambiente onde está inserido a possibilidade do exercício de práticas sociais de turismo, lazer e recreação e, portanto, apropriação social e animação urbana”, declara o prefeito. Ele conclui destacando que a proposta vai ao encontro do propósito básico das diretrizes urbanísticas estabelecidas para a orla da cidade: a reintegração do Lago Guaíba ao cotidiano da cena urbana.

Texto: Lisie Venegas (reg. prof. 13.688)
Edição: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)

Câmara Municipal

Anúncios


Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:

6 respostas

  1. Goulart e Brizola? E a estátua a Stalin, sai quando?

    Curtir

  2. Nesse caso espero que o memorial nem saia. Desculpa, mas querem transformar essa região num culto ao estatismo e esquerdismo (que são muito próximos na prática). Jango, Vargas, Brizola, projetado pelo comunista Niemeyer e ainda por cima próximo do memorial do Prestes? Chega de venerar coronel e figuras autoritárias, chega disso. Que esse projeto seja engavetado e não saia do papel.

    Curtir

  3. Segue a máxima pública: fazer meia boca.

    Curtir

  4. Gente e o Memorial Luis Carlos Prestes?

    Curtir

  5. Deixa eu entender esta fundação vai erigir esta elegia a um ditador um frouxo e um sujeito que virou enrolador com incentivos da Lei Rouanet ou pior com dinheiro publico,enquanto falta atendimento médico nesta cidade,vão erigir isto em Cuba.

    Curtir

  6. Entendi bem? Querem “podar” parte do projeto?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: