Fortunati projeta para taxistas regulamentação do Uber até 15 de maio

Motoristas de táxi alegam concorrência desleal e queda de rendimentos em até 50%

Motoristas de táxi alegam concorrência desleal e queda de rendimentos em até 50% | Foto: Ivo Gonçalves / PMPA / CP

Motoristas de táxi alegam concorrência desleal e queda de rendimentos em até 50% | Foto: Ivo Gonçalves / PMPA / CP

O prefeito José Fortunati, o vice Sebastião Melo e o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Capellari, receberam nesta segunda-feira dirigentes do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi), da Associação dos Taxistas de Porto Alegre (Aspertáxi) e de permissionários do sistema de táxi na Capital. Além de apresentar outras reivindicações, a categoria entregou colaborações ao projeto que prevê regulamentar o serviço do Uber na Capital. O prefeito estimou enviar o texto à Câmara de Vereadores até 15 de maio.

Os taxistas alegaram concorrência desleal com os carros da multinacional, citando que os rendimentos à noite caíram cerca de 50% desde que o aplicativo de celular começou a operar. “A cidade é plural, dinâmica, existem outros agentes neste processo. Estamos buscando a regulamentação de todo o sistema com normas adequadas, que atendam a cidade como um todo”, declarou Fortunati. Ele também citou medidas do poder municipal para contribuir com a categoria, como a ficha limpa dos taxistas da cidade, a fiscalização e a revisão rigorosa da frota, o carteirão provisório e o simulador Tarifa POA, que dá transparência ao valor da tarifa.

Na semana passada, um grupo de aproximadamente 100 taxistas protestou, fazendo caminhada pelo Centro da Capital. Conforme o grupo, existe uma fiscalização muito intensa em relação aos taxistas e “nada é feito contra o Uber”. Os profissionais seguiram em caminhada da Assembleia em direção a rua Julio de Castilhos, Camelódromo e Rodoviária.

Em fim de março, a EPTC confirmou que funcionários do órgão fingem ser clientes para penalizar motoristas da Uber, considerado transporte clandestino enquanto não houver a regulamentação. Desde o fim do ano passado, cerca de 40 veículos já foram apreendidos em função disso. A multa e os custos de guincho e depósito, conforme os motoristas, podem custar juntos mais de R$ 7 mil.

Correio do Povo



Categorias:Uber

Tags:, ,

7 respostas

  1. Taxista só é galo contra os motoristas do Uber, alegando que “são tudo clandestino”.
    Se querem dar esporro nos “clandestino”, chegam ali da voluntários, viaduto da conceição, na julio…
    Opaaaa….mas os valentes se cagam de medo de tomar uma sumanta ou um balaço!…isso se não forem os bro deles.

    Curtir

  2. Não importa o que for resolvido, se o UBER poder funcionar, eles serão contra. Essa cambada de mafiosos não gostam de concorrencia, e ficaram tristinhos por que a corrida caiu em 50% a noite, porque será ne??? Só uso Uber, e pra desespero de Capellari e cia, ate o meio do ano chega o WillGo pra concorrer com o UBER.

    Curtir

  3. Ia dizer que era só se livrar do sindicato que já iriam lucrar algo, mas o sindicato dos taxistas é realmente um dos poucos sindicatos que trabalha e faz estrago.
    hahaha

    Curtir

  4. Acho que cabe a Prefeitura a regulamentação de qualquer transporte público, mas o caso Uber, trata-se de contratações particulares. Ou seja, é uma nulidade presunçosa que está sendo preparada para ser posta no papel. Ridículo o autoritarismo.

    Curtir

    • Na verdade a regulamentação abrangerá qualquer transportador autônomo, não apenas Uber. E é importante que se faça, senão qualquer empresa de esquina entra nesse mercado, e se acontecerem abusos você não tem para quem recorrer.

      Curtir

  5. Unifica Taxista com Uber. Fica TAXIUBER.

    Curtir

  6. Só eu acho um baita contrasenso a prefeitura que tanto apoia blitz noturna através da EPTC para inibir a condução sob influência de álcool ser tão contra essa modalidade de transporte?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: