Taxistas querem limitar número de carros do Uber em Porto Alegre

Categoria se reuniu com vereadores para discutir regulamentação do serviço

Taxistas querem limitar número de carros do Uber em Porto Alegre | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Taxistas querem limitar número de carros do Uber em Porto Alegre | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Taxistas de Porto Alegre se reuniram com vereadores, na manhã desta sexta-feira, para discutir o projeto de lei da Prefeitura da Capital de regulamentação do serviço do Uber e outros aplicativos de transporte. O encontro aconteceu na sede do Partenon Tênis Clube, na zona Leste da cidade. O presidente do Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintaxi), Luiz Nozari, ponderou que a intenção da classe não é barrar a proposta, mas sim alterá-la através de emendas.

Luiz ressaltou três sugestões iniciais elaboradas pelos taxistas. “Inicialmente queremos uma limitação do número de carros do Uber, paridade no preço da tarifa do táxi e identificação do veículo. Mas ainda existe um turbilhão de ideias para aperfeiçoar esta matéria”, adiantou.

Ainda não foi estipulado pelo Sintaxi um número preciso sobre o limite na quantidade de carros do Uber para atender passageiros, em Porto Alegre. O objetivo é avançar as propostas a partir dos encaminhamentos das emendas.

O vereador, João Carlos Nedel, do PP, ressaltou que o Uber é uma tecnologia avançada, presente em outros países. Nedel admitiu que não há mais como bloquear o aplicativo em Porto Alegre.

Na próxima quarta-feira, taxistas e representantes do Uber participam de audiência pública, na Câmara Municipal, também tendo como alvo do debate a proposta de regulamentação do aplicativo. Autoridades da prefeitura e da EPTC também devem estar presentes. A reunião foi proposta pelo presidente da Casa, Cássio Trogildo (PTB).

O projeto de regulamentação do Uber já foi protocolado na Câmara de Vereadores e tramita na Comissão de Constituição e Justiça. A previsão é de que seja votado até o final do ano.

Voltaire Porto / Rádio Guaíba / Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

7 respostas

  1. Isso non ecziste!!!

    Curtir

  2. O que o sindicato de taxistas tem que discutir com vereadores sobre o Uber??
    Lógico que eles não querem o Uber.
    Imagina que a cada nova empresa que aparecesse na cidade, as empresas do mesmo ramo discutissem com os vereadores leis para limitar a atuação da nova empresa.
    Os vereadores bem que poderiam, ao menos eventualmente, decidir pela população, não pela corrupção.

    Curtir

  3. Meus caros “brucutus” taxistas, vocês precisam cair na real e se adaptar a nova realidade, a população esta totalmente contra a causa que lhes convêm. Ao longo dos anos escolheram prestar um serviço muito ruim, baseado na má educação com passageiros e outros motoristas, baseado no tratamento com grossura com o cidadão cliente ou não, baseado na falta de ética na hora de rever troco, num sistema em que o passageiro jamais tem razão, entre outras coisas. Os vereadores sabem que a população vê o Uber com alivio, como uma forma de ter paz no serviço de transporte. Esqueçam e aceitem que doe menos, vocês apenas colheram o que plantaram.

    Curtir

  4. Já viram que não vão conseguir acabar com o Uber, agora querem pôr amarras nele. Farão o mesmo com o WillGo ou com o Waze quando ele começar a fazer caronas?

    Se o Uber é melhor, é porque o sistema de Táxis tem sérias deficiencias. Mas ao invés de optar pelo melhor para a população e melhorar o sistema de Taxis e lutar contra os impostos e taxas abusivas cobradas pela prefeitura e EPTC, querem deixar a concorrência tão medíocre quanto os taxis.

    Curtir

  5. O número limitado de táxis já é prejudicial à população,agora querem limitar os uber?
    Paciência em

    Curtir

  6. Começo a imaginar a Lima e Silva, José do Patrocínio, Rua da Praia, rodoviária, proximidades do viaduto da Borges, e no entorno do mercado público sem “trabalhadores” que, na maior parte do tempo ficam ociosos, escolhendo passageiros, transportando traficantes e sendo baderneiros.
    The end is near.

    Curtir

  7. O nível de instrução e educação em Porto Alegre é tão baixo que alguém ainda se interessa em ouvir o que os taxistas tem a dizer.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: