EPTC é pressionada para aumentar frota de ônibus à noite em Porto Alegre

Cappellari garante que empresas vêm cumprindo exigências para melhorar serviço de ônibus

Empresários cobram ampliação de horários de ônibus para trabalhadores noturnos | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Empresários cobram ampliação de horários de ônibus para trabalhadores noturnos | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Em reunião nesta segunda-feira, às 14h, empresários dos setores de alimentação e hospedagem vão pedir à Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) que amplie os horários de ônibus noturnos em Porto Alegre. O objetivo é facilitar o retorno de trabalhadores de bares, restaurantes e hotéis para casa, durante as noites e madrugadas. O pedido parte dos sindicatos de Hospedagem e Alimentação (Sindha) e de Hoteis de Porto Alegre (SHPOA), que alegam que a escassez de transporte público à noite é um dos maiores desafios para a contratação no setor.

O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, comentou que a linha Balada Segura (C4), que passa pelos bairros Cidade Baixa e Moinhos de Vento, foi criada em 2011 para atender a demanda de funcionários e frequentadores de casas noturnas. Ele admite, porém, rever a necessidade de ampliar trajetos ou horários. “Já foi feita uma reivindicação pelo sindicato sobre os bairros Moinhos de Vento, Rio Branco e Floresta, que teriam dificuldades de atendimento, e a gente fez uma linha circular para atender a área durante a madrugada, entre 1h e 5h. Vou recebê-los e verificar quais pontos seguem com dificuldades para tentar atender”, afirmou.

Qualidade e tarifa dos ônibus

Nessa semana, Cappellari garantiu que os requisitos do edital de licitação para melhorar o sistema de ônibus estão sendo implementados dentro do prazo previsto, por parte das empresas responsáveis. Embora o número de veículos acrescentados à frota seja pequeno, há previsão de substituição gradual dos carros mais antigos. Quanto à superlotação em horários de pico, o titular da EPTC afirma que já foi cumprida a meta de reduzir de seis para quatro a média de passageiros por metro quadrado.

A etapa em andamento é de instalação de câmeras e equipamentos GPS para que os usuários possam monitorar a frequência dos trajetos. “Várias melhorias já foram feitas. Agora estamos na parte de segurança, instalação de câmeras em todos os 1.715 veículos e também o GPS, para controle nosso e informação ao usuário. Temos sete indicadores de qualidade e verificamos que o índice de regularidade do sistema tem melhorado bastante, principalmente nos últimos 90 dias. É um processo que está em implementação, de todas as exigências do edital”, garantiu.

A tarifa subiu de R$ 3,25 para R$ 3,75 desde o início do ano, em razão dos investimentos que as empresas alegaram terem sido necessários, para atender às regras do edital, além do reajuste anual dos funcionários. Apesar de reconhecer o custo elevado da passagem, Cappellari manifesta preocupação com a queda do número de passageiros nos últimos meses. A redução, atribuída principalmente à crise econômica nacional, foi de 7% em relação ao ano passado.

Bibiana Borba / Rádio Guaíba / Correio do Povo

Anúncios


Categorias:Outros assuntos

7 respostas

  1. Orelhões inteligentes dizem quando seu ônibus está chegando em São Paulo
    Os telefones públicos acabam de ganhar uma nova utilidade na capital paulista. E ainda é de graça.

    Quando que ideias assim chegaram em Porto Alegre ?

    http://super.abril.com.br/tecnologia/orelhoes-inteligentes-dizem-quando-seu-onibus-esta-chegando-em-sao-paulo

    Curtir

  2. exatamente!

    Curtir

  3. mais do que na hora!

    Curtir

  4. Quando voce nao recebe VT pago pelo contratante, percebe facilmente o alto custo de se locomover de onibus, mesmo com a segunda passagem “gratuita”

    Curtir

    • Esse esquema de segunda passagem “gratuita” é uma falacia. Se não há uma linha que te atenda, não é culpa sua e sim do sistema (que obviamente nunca vai ter linhas que atendam todos). Logo você paga uma passagem pra ir do ponto A ao ponto B, se há uma linha que liga A e B, beleza, se não há, você pode fazer uma conexão (a tal segunda passagem gratuita) mas é a mesma viagem, você está pagando pra usar o sistema entre A e B e não deveria importar quantos onibus voce vai pegar pra chegar lá.
      Isso parece ser contabilizado deste jeito só pra inflar o número de isentos (que de qualquer forma já é alto).
      O melhor seria termos um bilhete válido em uma janela temporal (mais ou menos como é hoje) mas sem limites pra segunda passagem ou terceira passagem desde que dentro dos minutos previstos pro bilhete.

      Curtir

  5. Sério! A implantação do GPS e a passagem dos dados para plataformas de acompanhamento de rotas e horários em tempo real, pelos usuários ainda não ocorreu por quê? É um troço sem cabimento em uma cidade que se intitula “polo científico e tecnológico”.
    Nestes tempos onde botar o pé na rua significa quase ser morto, ninguém mais quer ficar dando bobeira, mesmo que seja em ponto de ônibus.
    Reclamam que o número de usuários decresceu, mas qual foi o atrativo?

    Alguém sabe o motivo?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: