Cettraliq pede prorrogação de prazo para retirada de efluentes da água de Porto Alegre

Empresa ganhou 50 dias para realizar o serviço

Cettraliq pede prorrogação de prazo para retirada de efluentes na água de Porto Alegre | Foto: Divulgação / Cettraliq / CP

Cettraliq pede prorrogação de prazo para retirada de efluentes na água de Porto Alegre | Foto: Divulgação / Cettraliq / CP

Com o prazo para retirar os resíduos da sede da empresa encerrando nesta quinta-feira, a Cettraliq, apontada como responsável pela alteração do gosto e cheiro da água de Porto Alegre, solicitou à Justiça prorrogação de prazo. O período começou a contar em 5 de outubro, e a empresa ganhou prazo de 50 dias para realizar o serviço.

A Cettraliq sustentou a necessidade de respeitar procedimentos técnicos e burocráticos para a segurança do esvaziamento da planta. De acordo com a empresa, isso gerou demora em iniciar o procedimento no período estipulado. Foi contratada uma empresa de Santa Catarina, a Essencis, para receber e tratar os efluentes que permaneciam armazenados na sede da empresa, na zona Norte da Capital. A retirada do material só começou em dia 16 de novembro e, conforme a empresa, deve levar cerca de 50 dias. Até agora, foram removidos cerca de 20% dos 2,6 mil metros cúbicos de efluentes.

As atividades da empresa foram suspensas pela Fepam em 10 de agosto. A empresa, no entanto, sustenta não haver provas de que seja responsável pela emissão de odores fora dos limites. A Cettraliq fala que a Fepam havia indicado um local para receber os efluentes, mas que houve demora para autorizar o procedimento. Assim, a empresa preferiu buscar uma solução fora do Rio Grande do Sul.

A multa estipulada pela Justiça era de R$ 200 mil diários, em caso de descumprimento do prazo. Como solicitou novo plano de remoção com extensão do prazo, a Cettraliq espera que o pagamento de multa seja evitado. A Justiça deve se manifestar sobre a extensão do prazo nos próximos dias.

Após 7 mil amostras de água terem sido analisadas e dois laboratórios referenciais na área terem sido contratados, o Dmae manteve a tese de que o problema se deu por conta da atividade da Cettraliq. Conforme o Departamento, o problema da água com cheiro e gosto em Porto Alegre foi encerrado a partir do momento em que foram suspensas as atividades da empresa.

Bibiana Dihl / Rádio Guaíba / Correio do Povo



Categorias:poluição no Guaíba

Tags:, ,

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: