Chineses da CREC querem investir na Trensurb e no metrô de Porto Alegre

Metro_São_PauloDiretores da estatal chinesa CREC desembarcarão em Porto Alegre no início de fevereiro.

Os chineses querme estudar oportunidades de PPPs no setor de transporte ferroviário e mobilidade urbana.

Isto inclui Trensurb e o programado metrô de Porto Alegre.

A direção da CREC agendou reuniões com o governador Ivo Sartori, mas também quer conversar com prefeitos da Grande Porto Alegre.

Polibio Braga

 

___________________

Vale lembrar que acabamos de perder 1,7 BILHÃO DE DÓLARES para o projeto do metrô.

Vejam a matéria:

Porto Alegre perde parte dos recursos para construção da segunda linha do metrô

Perda de R$ 1,7 bilhão afasta a possibilidade de contar com segunda linha

Foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira uma portaria do Ministério das Cidades que afasta ainda mais a possibilidade de Porto Alegre contar com uma segunda linha do metrô. O projeto está perdendo R$ 1,770 bilhão. Estes recursos tinham sido anunciados em dezembro de 2014. As informações são do blog Estamos em Obras, da Rádio Gaúcha.

A portaria cita dezenas de obras que deixam de ter financiamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Além do recurso destinado ao metrô, o Rio Grande do Sul está perdendo dinheiro para outras obras: a construção dos trechos um e dois do corredor de ônibus da Estrada do Conde, entre Guaíba e Eldorado do Sul; Projeto da Perimetral Metropolitana, que partiria de Porto Alegre e ligaria os municípios de Viamão, Alvorada, Gravataí e Cachoeirinha; duplicação da Avenida da Legalidade, em Porto Alegre; construção de corredores de ônibus entre a avenida Protásio Alves e a Estrada Caminho do Meio, entre Porto Alegre e Alvorada; e corredores de Ônibus em Santa Maria.

A Secretaria Executiva do Ministério das Cidades cita que estas propostas selecionadas em caráter de excepcionalidade, para execução de obras de mobilidade urbana do Programa de Aceleração do Crescimento (Pac), não formalizaram a contratação das operações de crédito junto aos agentes financeiros do programa, até a presente data. A prefeitura já contava com uma Proposta de Manifestação de Interesse (PMI). Para que fosse viabilizado o projeto do trem tanto a prefeitura quanto o governo do Estado precisariam garantir os recursos necessários para realização da obra. Porém, a participação financeira do governo gaúcho nunca chegou a dizer como conseguiria honrar a sua parte.

Além do financiamento, a União já havia se manifestado que repassaria, a fundo perdido (sem devolução), R$ 1,77 bilhão. A prefeitura deveria ingressar com R$ 690 milhões. Caberia ao Estado financiar R$ 1,08 bilhão. O restante necessário para construir a segunda linha do metrô será pago pela iniciativa privada, que poderia explorar o serviço por mais 25 anos.

Por: Jocimar Farina
30/12/2016 – 12h51min | Atualizada em 30/12/2016 – 12h54min

Anúncios


Categorias:Metro Linha 2

Tags:, , ,

5 respostas

  1. Grande notícia de Políbio Braga!

    Curtir

  2. POA realmente necessita de linhas de metrô, e já deveria tê-las. Espanta a lentidão para implantar, enquanto Sampa, Rio e até mesmo Salvador só fazem expandir suas linhas.

    Curtir

    • Eu acredito que a a ZN precisa de metro. Outras zonas especuladas como a Bento Gonçalves são muito esparsas, um metro não vai funcionar com meia duzia de prédios no caminho, tem que adensar muito a cidade pra o metro ganhar sentido.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: