Maiojama desmente boatos sobre interesse nos terrenos da Fundação Zoobotânica

Jardim Botânico de Porto Alegre. Foto: Gilberto Simon

Jardim Botânico de Porto Alegre. Foto: Gilberto Simon

Apesar de ser uma das maiores incorporadoras imobiliárias da capital gaúcha, a Maiojama ( setor imobiliário do grupo RBS Participações)  publicou na quarta-feira uma nota oficial em sua página do facebook desmentindo qualquer interesse em terrenos públicos e especialmente nos 39 hectares do Jardim Botânico.

Isto porque durante aquela tarde circularam boatos nas redes sociais, que a Empresa não só tinha o interesse mas de que estava certa a compra dos terrenos que hoje compõe o Jardim Botânico e a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB) que teve aprovada sua extinção no final do ano na Assembleia Legislativa. A FZB possui 39 hectares numa das áreas mais valorizadas da capital e 620 ha em Sapucaia do Sul, área do Jardim Zoológico. e da Reserva Florestal Padre Balduíno Rambo.

Na nota a empresa desmente a informação  e diz que “não há e nunca houve interesse em adquirir e tampouco edificar sobre o Jardim Botânico de Porto Alegre, ou qualquer outra propriedade pública”.

Leia abaixo a nota de esclarecimento na íntegra:

Em resposta a boatos que circulam por redes sociais, a Maiojama, por meio da presente nota, vem, em caráter oficial, esclarecer que não há, e nunca houve por parte desta empresa interesse em adquirir e tampouco edificar sobre o Jardim Botânico de Porto Alegre, ou qualquer outra propriedade pública. Qualquer informação em desconformidade com acima exposto, faltará, não apenas com a verdade, mas também com respeito aos leitores, a esta empresa e a seus clientes, que confiam na seriedade e ética do trabalho por ela realizado.  

Alertamos que a veiculação e o compartilhamento de notícia falsa constituem ilícito civil e criminal passível de responsabilização.

A Direção 

Jornal Já

Anúncios


Categorias:Meio Ambiente

Tags:, ,

10 respostas

  1. Seria uma boa, espaço inútil na capital.

    Curtir

  2. Não se pode comparar Curitba com Porto Alegre,pois aqui as coisas acontecem ao acaso e lá o que compóes grande parte da cidade foi planejado,a miuse´ria e a subhabitação ficaram de fora.Porto Alegre tem zonas nobres que valem grana para as incorporadoras cercadas de zonas quentes.Tanto o Zoologico como o Jardim botânico em mãos publi cas deu no que deu ingerências politicas cabides de emprego e consequentemente atraso. parte da reserva florestal em Sapucaia já foi invadida faz anos sob as barbas da autoridade publica, por mim pavimentem o Jardim Botânico que eu não to nem ai.

    Curtir

  3. Isso é um atestado de atraso da ” Havana do Sul” nada se constrói e tudo se destrói. Aprendam com Curitiba

    Curtir

  4. Tipica desinformacoes maldosas e levianas feitas pela vanguarda do atraso……
    Aquele mesmo grupinho de sempre….oscontra o Cais Maua, Arena do Gremio, Pontal do Estaleiro, shopping, etc…..Nada de novo na Havana do Sul.

    Curtir

  5. Santo Deus! A tara que certas pessoas e grupos têm com os Sirotsky beira o antisemitismo. Qualquer coisa que acontece que não gostam eles põem a culpa na RBS.

    Curtir

  6. Havia concertos da Ospa há alguns anos, não sei por que não fazem mais.

    A verdade seja dita, é um espaço completamente sub utilizado. Quantas atividades poderiam ser feitas lá, como concertos, caminhadas para a 3a idade, visita de escola, yoga, Tai Chi Chuan, palestras ao ar livre…

    Não adianta ficar bravejando dizendo que o povo não tem educação e não valoriza, o espaço tem que mostrar seu valor.

    Curtir

  7. Jardim Botânico de POA é bem maior que o de Curitiba, mas é completamente irrelevante, ninguém visita aquilo lá. O pessoal de Curitiba foi esperto, copiaram na cara dura o Kew Gardens de Londres, um total plágio arquitetônico, mas o que interessa é que atrai visitantes, virou ponto turístico até.

    Curtir

  8. Grupo RBS ameaçando quem mente ou espalha fatos sem comprovação. Que ironia.

    Curtir

    • Certo eles, na ultima vez que brincaram com isso, quase que puniram os seguranças do Zaffari da Cristovão por causa dos seguranças de uma igreja que agrediram um morador de rua.

      Curtir

  9. Se eu tivesse a grana deles, compraria e manteria o local.
    Seria ótimo pro nome deles.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: