Porto Alegre terá reforço de 200 homens da Força Nacional de Segurança em fevereiro

Rio Grande do Sul também ganha núcleo federal de inteligência a partir do mês que vem

Porto Alegre terá reforço de 200 homens da Força Nacional Segurança em fevereiro | Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil / CP

Porto Alegre terá reforço de 200 homens da Força Nacional Segurança em fevereiro | Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil / CP

O efetivo da Força Nacional de Segurança em Porto Alegre vai ser ampliado, durante o mês de fevereiro, para 200 policiais militares, confirmou o Ministério da Justiça, nesta terça-feira. A medida é parte da primeira etapa do Plano Nacional de Segurança. No fim de agosto, um efetivo de 120 policiais da Força Nacional desembarcou na Capital. Esse número, que chegou a 136, já havia caído para 71, até a semana passada. Pedidos de desligamento da Força e solicitações de retorno dos PMs aos estados de origem fizeram o contingente cair de forma gradativa.

Além disso, o Rio Grande do Sul passa a contar, a partir do mê que vem, com um núcleo federal de inteligência. Hoje, o secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, recebeu as informações em meio a uma reunião com o ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, em Brasília.

Em um primeiro momento, as unidades da federação contempladas serão o RS, Sergipe e Rio Grande do Norte. Os trabalhos terão início em fevereiro e terão foco na redução dos índices de homicídio nas capitais: Porto Alegre, Aracaju e Natal, respectivamente.

Por questão de estratégia operacional, a maioria das atividades a ser elaborada e executada pelo grupo vai ter caráter restrito. Schirmer destacou, entretanto, a relevância da atuação integrada entre as forças estaduais e a nacional. “O crime organizado possui esse nome devido a toda estrutura que mobiliza em torno de sua atividade ilegal. Dentro deste contexto, é vital que atuemos em conjunto. Somando-se isso ao aporte de recursos que a União projeta a partir do plano nacional, promoveremos um novo momento no combate à criminalidade”.

Forças Armadas poderão atuar em presídios para reforçar segurança

Nesta terça-feira, o governo federal também autorizou atuação das Forças Armadas em presídios para fazer inspeção de materiais considerados proibidos e reforçar a segurança nas unidades. O anúncio foi feito depois de reunião entre o presidente Michel Temer e autoridades de todos os órgãos de segurança e instituições militares do governo federal para discutir estratégias de segurança pública.

Segundo o governo, é preciso que os governadores concordem com o trabalho dos militares enviados pelo Ministério da Defesa, mas a segurança interna continua sob responsabilidade dos agentes penitenciários e policiais em cada estado.

As reuniões prosseguem durante o dia, com foco na instalação de núcleos de inteligência nas três cidades-piloto. Nesta quarta, o governador José Ivo Sartori participa de um encontro no Palácio do Planalto que vai reunir governadores e o ministro da Justiça e Cidadania. A presença do presidente da República, Michel Temer, ainda não é confirmada.

Lucas Rivas / Rádio Guaíba / Correio do Povo

Anúncios


Categorias:Outros assuntos

5 respostas

  1. é absurdo a quantidade de militares sem fazer nada, apenas guardando prédios burocratas, no complexo militar do centro se vê. Me pergunto quem vai invadir um prédio em pleno centro a tarde para se ter um milico armado o dia inteiro na porta.
    Infelizmente o exercito no brasil é um desperdício inútil de energia e despesas. Nosso exército é o dobro do tamanho do exército do Canadá, e 100 mil de militares a mais que a França, que tem tropas no oriente médio combatendo Estado Islâmico.. Em um mundo onde as guerras são por Drones, nosso exército é pensado para guerra de trincheira.

    Curtir

    • Desde os atentados a França tem usado o exército para fazer rondas ostensivas em praças, aeroportos e estações de trem. Aqui somos um “país rico” e “calmo” diferente da França que é “pobre” e “perigosa”, aqui os milicos ficam no quartel dando bom dia pro general. Para fazer uma comparação olhem o que acontece nos arredores da rodoviária de Porto Alegre, será que uma ronda de soldado com fuzil na mão não melhoraria um pouco a situação?

      Curtir

      • temos milhares de militares treinando há décadas para uma possível guerra que nunca aconteceu, talvez seja hora de repensar o uso dessas forças e volta-las para algo útil, servi-las as cidades.
        Sem contar os gastos do exército na “cavalaria”, que ainda não achei função de um cavalo ou cachorro numa operação militar.

        Curtir

      • AutoBot cavalaria não faz sentido desde a segunda guerra. A maioria dos países já tinha abandonado a cavalaria antes da segunda guerra.

        Curtir

  2. Eu gostaria muito para que serve essa chamada Força Nacional de Segurança? O que esses caras fazem de tão especial ?.

    Pelo que eu saiba já estiveram em Porto Alegre e não mudaram em absolutamente nada o panorama de violência endêmica na cidade, assim como não tem conhecimento desses caras terem mudado nenhuma cidade de violência para qualquer lugar que foram enviados.

    Fica na rua com metralhadora é apenas figuração para inglês ver.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: