Vereador propõe extinção de Memorial Luís Carlos Prestes

Vereador Wambert Di Lorenzo quer a instalação de Museu da História e da Cultura do Povo Negro

O memorial foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Foto: Paulo Niemeyer

Um projeto de lei complementar protocolado pelo vereador Wambert Di Lorenzo promete gerar polêmica em Porto Alegre. O projeto prevê a extinção do Memorial Luís Carlos Prestes, que fica localizado na Avenida Edvaldo Pereira Paiva. No local, seria instalado o Museu da História e da Cultura do Povo Negro.

O que motivou o vereador a criar o projeto de lei é a história de Luís Carlos Prestes. Wambert afirma que ele não realizou nenhum ato heroico e explica que não há razão para um memorial em homenagem ao político. “Primeiro, é uma aberração este homem ser homenageado. Segundo, existe a necessidade de resgatarmos nossa história. Nós temos o museu do imigrante, o monumento aos italianos. A economia do Rio Grande do Sul passou pelos negros, que foram escravizados e trazidos à força da África. Será que eles não merecem uma homenagem?”, disse o vereador.

O memorial foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, em coautoria com o neto Paulo Sérgio Niemeyer. Em 2014, pouco antes de ser inaugurado, o local foi alvo de protesto contra o comunismo.

A maior parte do acervo do Memorial Luís Carlos Prestes foi composta por material doado pela filha do político, Anita Leocádia. O projeto de lei complementar protocolado pelo vereador Wambert ainda deve passar por comissões antes de ir para o plenário.

A reportagem tentou contato com a administração do Memorial Luís Carlos Prestes, mas não obteve resposta.

Band Notícias

Anúncios


Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Outros assuntos

Tags:

12 respostas

  1. A parte da extinção é otima.

    Curtir

  2. Ótima ideia. Não tem porque homenagear quem defendia uma ideologia tão autoritária.

    Curtir

  3. Quem é o mantenedor do memorial ?

    Curtir

  4. Sinceramente, minha primeira atitude ao ler esta notícia é a de foi a de mandar um email para o vereador, propondo que ele se preocupe mais com outros temas da cidade, muito mais importantese não com besteiras.

    Luis Carlos prestes, bom cidadão e político ou não, fez parte da história do RS e do Brasil.

    Curioso que, agora já com o museu pronto, querem a todo pano o desfazer, por que não se discutiu isso antes da inalguraçao? Enquanto estava em obras e todos sabiam o que seria ninguém protedtou lá. O museu foi pago pela FGF Federação gaúcha de futebol, que está longe de ser comunista.

    As vezes parece que voltamos aos anos anos 60, onde tudo era medo de comunismo.

    Pensem maior portoalegrenses, enquanto tentam nos ocupar com discussões se havera golpe comunista ou não, a gasolina continua cara, a violência alta e os direitos trabalhistas e previdenciarios estão sendo roubados de nós.

    Se Luís Carlos prestes foi ruin ou não, é daí?

    A história tem que ser contada e preservada para que não possamos repetir os erros dos nossos antepassados.

    Curtir

    • Enquanto isso o LArgo doa Açorianos segue jogado as moscas, moradores de rua ocupando de forma indiscriminada o Viaduto Otávio Rocha…. No meu bairro, o Partenon, não existe mais capinha. Na única Praça da minha região o mato tomou conta é a iluminação é precária….
      Concordando ou não com as ideias de Prestes, não há como negar sua figura na história do país… isso me lembra aquela aberração da esquerda, quando mudou o nome da Av. Castelo Branco. Como se vê, estupidez tem dois lados…
      É de quebra o vereador em questão ainda faz demagogia com o povo negro pra defender sua “causa”… Pobre Porto Alegre!!!…

      Curtir

  5. Não tem nada mais importante para se gastar dinheiro público não??? Ah, vá catar coquinho, vereadorzinho!

    Curtir

  6. Não sou nenhum fan do Luis Carlos Prestes, mas é inegável que ele participou da história do País. Se na Alemanha existem museus sobre Adolf Hitler, não porque foi um bom governante, mas porque fez parte da história mundial, qual o problema de ter um museu do Prestes?

    Os negros fizeram parte da nossa história? Sem sombra de duvida! Proponho inclusive que se faça um memorial à batalha dos porongos, que foram traídos na guerra dos Farrapos e até hoje essa traição é uma mancha na história do nosso estado. Acho inclusive que os negros são parte importante da nossa história, que merecem algo melhor que um memorial “reaproveitado”.

    Curtir

  7. Se bem que tá tudo certo… Memorial de um comuna vermelho, mantido por uma FGF vermelha….

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: