Shangai Electric está perto de assumir investimento de R$ 3 bi em novas linhas de transmissão da Eletrosul no RS

Parque Eólico de Osório, RS. Foto: Gilberto Simon

Políbio Braga falou por telefone e e-mail com a Eletrosul, que tem sede em Florianópolis, que confirmou a reunião na segunda-feira, entre o novo presidente da Eletrosul, Gilberto Eggers, o deputado Frederico Antunes, o secretário de Estado de Minas e Energia Artur Lemos e o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fabio Branco.

A Eletrosul disse hoje que estão em fase final as negociações com a empresa chinesa Shanghai Electric para a viabilização dos projetos de transmissão de energia que integram Lote A, leiloado pela Aneel em 2014, contemplando sobretudo a garantia de entrega de energia eólica produzida no RS. É um investimento de R$ 3 bilhões, que provavelmente sairá pelas mãos dos chineses, vencedores da chamada pública feita pela Eletrosul, que é detentora do projeto aprovado no leilão de 2014.

São 17 linhas de transmissão com 2,1 mil quilômetros, oito subestações e ampliação de 13 unidades existentes, com investimento total de R$ 3,27 bilhões.

Essa negociação é resultante de uma Chamada Pública para parceria e foi iniciada em 2016, a partir de proposta apresentada pela Shanghai Electric.

O deputado Frederico Antunes, PP do RS, que acompanha tudo de perto e com quem o editor almoçou esta semana na Churrascaria Barranco, Porto Alegre, disse ao editor que além disso, os empreendimentos do sublote A2 também vão estabelecer um novo ponto de atendimento do Norte do Estado e aumentar a confiabilidade no fornecimento de energia na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Políbio Braga

Anúncios


Categorias:Outros assuntos

2 respostas

  1. Pensando sobre a vinda das empresas chinesas no Brasil, cheguei a conclusão que a própria burocracia, sistema tributário intrincado e a infinidade de normas discordantes é um facilitador para grandes empresas chinesas.

    São raros os brasileiros que tem cacife para montar departamentos para lidar com os entraves brasileiros. Agora para grandes empresas chinesas, monta uma equipe que cuida das empresa inteira e como são gigantes, o custo desse pessoal acaba sendo pequeno matando pequenos concorrentes locais.

    Curtir

  2. Muito bom

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: