Contrariando tradição, Marchezan não concede passe livre no Dia do Trabalhador em Porto Alegre

Benefício era concedido por mais de dez anos na Capital

Dia dos Trabalhador não teve passagem livre pela primeira vez em 10 anos | Foto: André Ávila / CP Memória

Após 11 anos ininterruptos de concessão de passe livre na frota de ônibus no feriado do Dia do Trabalhador, em Porto Alegre, o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) decidiu não autorizar a isenção, hoje, para os usuários do transporte coletivo na cidade. Pelo menos desde 2006, nas gestões de José Fogaça, e até o fim do mandato de José Fortunati, em 2016, o benefício foi concedido repetidamente.

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Marcelo Soletti explica, no entanto, que o benefício não é obrigatório. Segundo legislação, a concessão é autorizada apenas em três datas específicas do ano. Além disso, a liberação das catracas pode resultar em aumento do preço da tarifa na Capital, explica Soletti.

“Obrigatoriamente, passe livre só existe para o feriado de Navegantes, dia de eleição e dia nacional de vacinação; o resto é tudo por conta da gestão. Então, tem se diminuído o passe livre porque isso impacta na isenção. Conforme orientação da EPTC se gente fizesse, neste ano, somente as isenções obrigatórias a gente poderia ter impacto na tarifa de até R$ 0,04 no preço da tarifa para 2018”, justifica.

Em função do feriado do Dia do Trabalhador, as linhas de ônibus de Porto Alegre estão operando, nesta segunda-feira, com tabela horária de feriado (equivalente à de domingo).

Vitória Famer e Lucas Rivas/ Rádio Guaíba / Correio do Povo

_______________

O caminho certo são as isenções caírem!  Parabéns ao prefeito!

Anúncios


Categorias:Ônibus

Tags:, ,

3 respostas

  1. O melhor caminho ainda era a comprovaçao do preço do diesel (para composição da tarifa) fosse feito pelo INPC e nao por nota fiscal apresentada pelas empresas de onibus.

    Curtir

    • Para quem nao sabe, estranhamente o diesel comprado em lotes de milhares de litros pelas empresas, é mais caro do que o que voce paga na bomba em postos.

      Curtir

  2. Tem que postar todas as despesas e receitas das empresas na internet e deixar os dados abertos para consulta, cruzamento e todo tipo de averiguação pela população, afinal não se trata de serviço que tem questão de concorrência e sim de algo com preço tabelado com direito de monopólio sobre as linhas e operações

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: