ARTIGO: Semana do Meio Ambiente. O que comemorar?

Parque Zoológico da FZB/RS Foto: Gilberto Simon

Estamos na Semana do Meio Ambiente, mas, temos o que comemorar? Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, no Brasil, no mundo, em qualquer lugar, há sempre um Trump para dizer não ser necessário cuidar da sustentabilidade do Planeta.

Podemos plantar mudas, aplaudir escolares pegando uma pá para algum plantio, mas será só isso?

No Brasil, temos índices alarmantes de desmatamento, queimadas, tráfico de animais silvestres, aumento do uso de agrotóxicos e venenos nos alimentos, sem contar o uso desenfreado da queima de combustíveis fósseis e contaminação de recursos hídricos. Registramos mortes de pequenos agricultores pela guerra de terras, a falta de penalização daqueles que causaram em 2015 o pior desastre ambiental do Brasil, em Mariana, pelo rompimento de barragem da mineradora Samarco.

Em nosso Estado, o Governo acredita que a gestão ambiental não é prioridade. Querem a extinção de fundações e autarquias, como a Fundação Zoobotânica do RS, órgão responsável pelas pesquisas biológicas, pela guarda do nosso patrimônio científico, que possui valor inestimável; pois desde 2002 é declarada fiel depositária da biodiversidade brasileira.

Se tratando de Porto Alegre, ficamos por mais de 120 dias sem comando da primeira Secretaria do Meio Ambiente instalada no Brasil. Secretaria esta que, desde a criação é referência para muitos municípios do Brasil. Além disso, não temos a devida atenção com a conservação de praças, ampliação do tratamento de esgoto, a despoluição do Guaíba e o falta do reconhecimento da importância aos recicladores, que estão em galpões prestando um serviço ambiental enorme. Há tempos não ampliamos as áreas das nossas unidades de conservação, pelo contrário, perdemos área, como o caso do Parque Sant’Hilaire.

Temos que promover ações proativas, individuais e coletivas, portanto, demarcar essa semana com atitudes, buscar por mudanças se fazem importantes.

Ao saber que uma escola com ações socioambientais, não só com o plantio de mudas, mas com diretrizes sustentáveis, incentivando a ter atitudes no dia a dia, como uso racional de água e energia, separar resíduos e utilizar sem depredação as áreas públicas, vemos luz no fim do túnel e acreditamos que vale a pena (re)comemorar.

Quando vemos lideranças comunitárias de bairro, incentivando ações culturais e ambientais, liderando galpões de triagem, ampliando áreas de trabalho e influenciando nas políticas sociais dos moradores, acreditamos que vale o que comemorar.

Quando vemos ainda nossas Ong’s lutando, junto com servidores municipais, estaduais, federais pela manutenção da execução do licenciamento junto ao órgão ambiental responsável e pela garantia e manutenção da FZB/RS e suas pesquisas científicas e vejo a notícia que a agroecologia já alcança dez mil hectares e que abrange mais de 27% dos municípios, que cada vez mais temos alternativas de alimentos saudáveis, produzidos pelos nossos pequenos agricultores familiares, sim, vale comemorar.

Quando vemos tudo isso e muito mais, resistimos, lutamos por ações sustentáveis que influenciam a todos (as) acreditamos que estaremos no caminho certo, não só lembrando de uma data comemorativa, mas um dia, uma semana, para lutarmos por um mundo melhor para todos.

Adeli Sell, vereador PT, Porto Alegre

Simone Rodrigues Mirapalhete, bióloga e Assessora Bancada PT na CMPA

Anúncios


Categorias:Meio Ambiente

Tags:, ,

10 respostas

  1. Será que não?
    Sempre vai ter um Trump da vida, sempre vai ter alguém que não acredita em aquecimento global, ou coisa do tipo.

    Mas….

    A reciclagem, que segue crescendo e se tornando algo mais comum nas famílias dos brasileiros?
    Os carros mais econômicos, até esportivos híbridos estão se tornando sonho de consumo, BMW totalmente elétrica que anda a mais de 200km/h, carro Chines esportivo que bateu o recorde na mais tradicional pista de corrida da Alemanha, Porsche que passa dos 300km/h e faz uma média de 14km/l na cidade.
    Claro, são coisas para poucos.

    Mas até o governo brasileiro isentou alguns impostos para carros elétricos ou híbridos, que estão se popularizando em todo o mundo.

    A China que sempre foi uma das maiores poluidoras do mundo investindo em energia limpa, o Brasil seguindo no mesmo caminho, até mesmo a construção civil reciclando e investindo em tecnologias que priorizam o meio ambiente.

    Aliás, nos próximos anos os impostos dos carros brasileiros não serão cobrados pelo tamanho do motor, e sim, pela eficiência energética.

    Uber e Cabify tirando carros das ruas, carona se popularizando cada vez mais, e até mesmo ônibus híbridos em teste em Porto Alegre.

    O mundo ta mudando, basta ver como certas coisas já mudaram, racismo e homofobia, não digo que vivemos em um mundo perfeito, mas esse tipo de coisa reduziu muito, as pessoas já não aceitam mais, a preocupação com o meio ambiente também segue nessa linha.

    Ainda temos muita coisa pra arrumar e melhorar, precisamos investir em tecnologia e educação, antes de qualquer coisa, não paramos no tempo, sequer estamos recuando, o mundo está avançando quanto a isso. Lentamente, mas avançando.

    Curtir

  2. As questoes de meio ambiente devem ser tratadas com seriedade, não como piada.
    Ainda que existam extremistas do meio-ambiente, nao devemos “torcer pelo meio ambiente ou contra”.

    Devemos ver sempre as questões ambientais, com cuidado, não para preservar animais, vida, fauna e flora originais mas principalmente para preservar a vida de nossa especie.

    Curtir

    • Toda a natureza é integrada e todos dependem de todos Thierry. Não é só a espécie humana. Talvez até agora não tenha extinguido nenhuma espécie tão importante do ponto de vista da teia alimentar, mas em breve teremos muitos problemas mais. Aguarde e verá.

      Curtir

  3. KKKKK , vereador do PT , por favor, menos.

    Curtir

    • Os grande homens combatem ideias, os idiotas combatem as pessoas…
      Pelo visto não consegues contrapor as ideias né.

      Curtir

      • Não concordo plenamente com você Osvaldo, pois quem tem as idéias são as pessoas, logo combatendo as pessoas, a fonte da ideia é eliminada.

        Porem acho muito bonito o que você falou

        Curtir

      • Se o Duke acha que as ideias morrem com as pessoas não aprendeu nada com o nazismo que tentou isso…
        Ah amigo, elas não morrem com as pessoas, os nazistas tentaram mas não conseguiram, veja a história, veja a história.

        Curtir

      • Certamente Osvaldo, mas sempre existem esses autores, líderes, etc que tem essas idéias e se esforçam para implementa-las. O perigoso são essas pessoas e não simplesmente uma ideia que a grande maioria teria medo ou preguiça de por em prática.

        Curtir

  4. Tuuuuuuuudo cupa dos governantes. Não teria como ser diferente.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: