Novas concessões são cogitadas para a orla

Imagem a capa do Metro:

Jornal Metro – Porto Alegre – 05/09/2017

Anúncios


Categorias:Projeto de Revitalização da Orla

Tags:, , ,

23 respostas

  1. Não acredito que li a palavra manutenção. Palavra esquecida pelas 4 últimas administrações municipais, onde tudo era “revitalização”.

    Curtir

  2. O meu receio, é que quando inaugurar, os moradores de rua, migrem para essa nova “casa”, incluindo os pichadores. Tomara eu estar errado, mesmo assim, não tenho fé que terá segurança 24 horas como foi a ideia inicial de a orla em si, ter uso nesse período, mas, aguardemos.

    Curtir

  3. Ótimo! Parabens…ai a população tem de quem cobrar…por qualquer não conformidade….Todos ganham

    Curtir

  4. Solucionar a falta de manutenção de Porto Alegre cedendo áreas públicas para construção de estacionamentos privados, não sei qual é a parte mais absurda dessa frase.

    Curtir

    • ué qual o problema? se tiver dono vai ser melhor cuidado que agora, e tem muita área ociosa pronta pra virar estacionamento.

      Curtir

    • Pensando de forma séria e sem puxada de brasa ideológica, a situação é complicada, veja as duas opções:

      O estado poderia ele mesmo montar um estacionamento e cobrar por isso, mas tudo que o governo administra dá prejuízo, veja Carris ou Correios;
      O estado poderia não fazer nada, daí as pessoas comprariam imóveis nas redondezas e criariam estacionamentos, lucrando com a existência da orla limpa e organizada sem compromisso com a sua manutenção;

      Algo intermediário é o governo ceder uma parte, o investidor entrar com dinheiro e comprometer-se com a manutenção.

      Curtir

  5. Basta não deixar quebrar ou sujar, não acredito que isso custe tão caro. Agora também esse prefeito quer privatizar tudo, se bobear vamos pagar até pelo ar que respiramos… Aliás, Marchezan Jr é que vai levar os louros, mas a verdade é que ao fim da administração Fortunati (pelo qual eu decididamente não morria de amores) quase 80% dessa obra já estava concluída, apesar de todos os percalços.

    Curtir

    • Pois não conseguiu capitalizar com este monte de obras começadas e não finalizadas, sendo a trincheira da Ceará a cereja do bolo: consegue atrapalhar todos que chegam por terra e ar a POA.

      Curtir

  6. Tem que privatizar tudo 100%…..todo o governo e péssimo empreendedor…..Gov so deve cuidar da segurança, saúde, educação…..

    Curtir

  7. A ideia é boa… vejo muita gente já dizendo que será ruim para quem mora longe ir de carro para a nova orla, pois não há onde estacionar… concede aquela parte do Harmonia usada como estacionamento sempre e, com os aluguéis dos bares e equipamentos, será possível fazer a manutenção… além de que devem aparecer empresas querendo fazer propaganda, como foi com a Pepsi.
    Isso sim é uma privatização/concessão boa para os dois lados e menos polêmica.

    Curtir

  8. Ainda tem 3 anos até acabar o governo do Marchezan. Falta pouco.

    Curtir

  9. Passei agora pela manhã ali pela obra e não consegui perceber onde será a parte da ciclovia.

    Alguém sabe?

    Curtir

  10. A maior moda na ADM publica no brasil é construir, deixar ruir e depois fazer um plano bonito de revitalização

    Curtir

    • é virada em mato, mendigos e calçada ruida, alem de alagamentos em dias de chuva

      Curtir

      • Olha Twig, pode até ser isso tudo de ruim que tu escrevestes, mas ainda assim é uma das praças “menos piores” de Porto Alegre.
        Embora a manutenção da praça englobe manter o piso em boas condições, destaco que não podemos misturar as coisas aqui apenas para fundar os argumentos. A existência de mendigos não tem absolutamente nada a ver com o concessionário. Da mesma forma, não deve pesar sobre quem mantem o espaço os problemas decorrentes de alagamentos na via pública (a drenagem urbana é obrigação do poder público). Não é assim que funciona, temos que ser realistas.

        De maneira geral, mesmo com todos os contras, ainda acho que a concessão vale a pena no final das contas. Como dito em um comentário anterior, o ponto intermediário – com compromisso de investimento e de fiscalização mútuos entre entes públicos e privados – é uma boa opção neste caso (lembro que o aeroporto também tem algo similar em seu contrato de concessão assinado na gestão da Presidente Dilma).

        Curtir

      • Josiel
        Nao sao as ruas e a drenagem ruin que alagam a praça, é o desnivelamento do piso

        Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: