Reconhecimento facial em ônibus gera bloqueio de 500 cartões TRI

Sistema foi instalado em 98 veículos, mas deve ser expandido para toda a frota de Porto Alegre

Sistema foi instalado em 98 veículos, mas deve ser expandido para toda a frota de Porto Alegre | Foto: Samuel Maciel / Divulgação PMPA / CP

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) examina 10 mil laudos gerados pelo sistema de reconhecimento facial instalado em 98 ônibus de Porto Alegre, desde o fim de agosto. Até o momento, com base nesse material, foram bloqueados 500 cartões TRI de usuários que possuem algum tipo de benefício (isenção ou desconto). O motivo do bloqueio é a suspeita de fraude e de uso inadequado do benefício.

Os laudos apontaram inconsistência entre a foto do titular do cartão TRI e o usuário. Atualmente, possuem benefício idosos, deficientes e estudantes. Os responsáveis pelos cartões que estão sob análise serão chamados pela EPTC para se explicar. Caso seja comprovado o uso inadequado, há possibilidade de perda do benefício. Após a primeira leva de análise dos 500 cartões bloqueados, todos os demais serão chamados, em um processo que a EPTC garante que vai se tornar permanente.

O diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, ressalta a importância da iniciativa: “Não é justo que as pessoas que recebem benefícios transfiram para terceiros. Vamos usar a tecnologia para coibir fraudes”. Ele reitera que Porto Alegre registra índice de 35% de gratuidades e isenções, enquanto a média nacional é de 22%. O uso de reconhecimento facial no transporte coletivo deve ser expandido a toda a frota, conforme decreto publicado em 22 de setembro. Até o fim do ano, 300 veículos terão o sistema instalado, projeta a Prefeitura.

Correio do Povo / Rádio Guaíba

Anúncios


Categorias:onibus

Tags:, ,

11 respostas

  1. Queria ver um estudo que mostre quanto esse sistema custa (tudo, do sistema que tira as fotos até a checagem humana), e qual a estimativa de passagens não utilizadas indevidamente pegas por esse sistema, pode ser que simplesmente ele custe mais caro do que deixar o uso indevido das gratuidades.

    Curtir

    • Exatamente.

      Inclusive em sistemas sem cobrador, a fiscalização é aleatória e certamente há uma quantidade de pessoas que andam sem pagar, mas ainda assim é mais barato que manter o cobrador.

      Curtir

  2. Torcer para que o bloqueio esteja sendo válido e o sistema realmente funcione bem, não prejudicando os usuários com “bloqueios errados”… se não depois de todo o gasto, descobrem que a tecnologia não serve para Porto Alegre.

    Curtir

  3. sério que o custo de instalar esse sistema nos onibus será compensado com as vezes em que as pessoas usaram o TRI de outra?
    Isso esta com muita cara de lavagem de dinheiro e corrupção kkkkk

    baseado em nenhum dado, mas em experiencias pessoais, estimo que esse sistema demoraria uns 20 anos pra se auto-compensar kkkkkk Tem coisas muito mais urgentes a gastar(ou investir) do que um sistema pra cobrir uma margem de erro que sempre irá existir de algum modo.
    Isso que não contei a manutenção do sistema, que por mês já não deve compensar. Mais um custo.
    O próximo passo é fazer um ‘contrato-amigo’ com uma empresa de roletas que cubram até o teto para impedir os 000000000,1% que pulam a roleta..

    Curtir

  4. A grande verdade é que nada muda. É só no momento de garantir votos mas logo após a verdade aparece. Com certeza o custo dessa brincadeira é muito maior do que o “beneficio” mencionado. Empresa de transporte não é para dar lucro é para ter receita para sua manutenção e consegue, se bem administrada manter cobradores, uma situação necessária para apoio a passageiros e ao motorista.

    Curtir

    • Como uma empresa vai garantir melhorias no sistema como veículos melhores e mais modernos, se o arrecadado for apenas para a manutenção?

      Esrá certo que o lucro não pode ser abusivo comoné hoje, mas este asco ao lucro vêm atrasando Poa cada vez mais.

      Mas o melhor é ver os comentários dos especialiatas de economia e infraestrutura de hardware e software afirmando com plena convicção que o custo de implementação do sistema não compensa. Alguém pode apresentar com base em quais dados afirma isso?

      Curtir

      • Por acaso vc já viu uma foto desse aparelho de reconhecimento facial?

        ali diz que tem 35% de gratuidades e isenções, agora reduz esse numero pras pessoas q cometem o delito, depois se questiona, se elas fazem isso frequentemente ou esporadicamente, já que elas estão compartilhando um TRI.
        Também ali diz que em 98 onibus, desde o FIM de agosto, ou seja em 1 MES o sistema gerou 10 MIL LAUDOS para a EPTC analisar como dito ali, para bloquear 500(5%), e a operação não termina aí, pois essas pessoas certamente irão recorrer..
        Imagine o custo dessa operação, não precisa ser especialista se os dados estão no post.

        Curtir

      • Bom, eu sou desenvolvedor de software, e te afirmo com conhecimento de causa: a tecnologia envolvida nisso está longe de ser madura, e vejo que estimar uns 5% de falso positivo não seria nenhum absurdo.

        Ou seja, pra cada 20 pessoas “acusadas”, uma é inocente. Ou seja, dessas 500, é bem provável que umas 25 não tenham feito nada errado, apenas tiveram a má sorte de o sistema se enganar com elas. O problema é que agora cabe a elas provar que são inocentes, algo completamente absurdo.

        Aí você imagina quando tivermos o sistema implementado a 100%. Essas 25 pessoas bloqueadas se tornarão centenas ou milhares. Vamos ter um sistema de recurso administrativo? Ou vai ter que ser via processo na justiça comum? Quanto vai custar isso?

        Todo esse negócio de reconhecimento facial é uma farsa gigante pra encher o bolso do amiguinho da prefeitura vendendo o sistema, e botar lenha na disputa das porcentagens de isenção (que erroneamente incluem isenção de segunda passagem).

        Tudo uma grande distração pro problema verdadeiro: a malha das linhas de ônibus de porto alegre não faz nenhum sentido, e com otimizações relativamente baratas poderíamos cortar significativamente o custo da passagem. Mas são medidas que afetariam o lucro das empresas, então ninguém quer fazer.

        Curtir

      • Tomei a liberdade de colocar este teu excelente comentário no Skyscrapercity.com.

        Link: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?p=142691063#post142691063

        Curtir

  5. Cada prefeito que entra faz bosta no transporte coletivo,qual o motivo? Tá dominado faz muitos anos são aqueles que sempre ganharam e vão continuar ganhando.Quinta eu tive que sair da minha casa e ir até o Praia de belas,coisa que não faço mais há anos,peguei um t7,que baita conforto,o onibus era muito ruim ia se arrastando e assim são onibus de outras linhas aqui em Porto Alegre.Como já foi dito o que esta se gastando pago pelo sistema não compensa.

    Curtir

  6. Tudo é uma questão de rachid. Absolutamente tudo na administração pública. Cada nova “ideia” como essa dos equipamentos de reconhecimento facial é uma oportunidade de colocar um laranja amiguinho pra pegar uma beira e ratear com o gestor. Está corretíssimo o fmobus, e eu também já havia escrito isso aqui anteriormente, inclusive fui negativado (não sei por que). Nós, enquanto contribuintes, temos o dever de investigar e duvidar de tudo. Somos nós que pagamos a conta e sustentamos o estado.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: